5 diferenças entre a segunda temporada de Bridgerton e o livro


A vida anda corrida, anda doida, anda ótima e acabei sumindo daqui por um tempo, mas e as saudades que sinto desse cantinho? É enorme! Por isso estou de volta!


E hoje vamos conversar sobre a segunda temporada de Bridgerton?



A série da Netflix produzida pela Shonda Rhimes baseada na saga de livros da Julia Quinn estreou a sua segunda temporada há quase um mês, tendo como tema o segundo volume, chamado O Visconde Que Me Amava. A produção acumulou 193 milhões de horas vistas em seu primeiro final de semana, mas chegou a aumentar ainda mais a audiência com a sua primeira semana completa. Bridgerton ficou no Top 10 em 93 países. 


Mas apesar dos altíssimos números de audiência e da química enlouquecedora que Jonathan Bailey (Anthony Bridgerton) e Simone Ashley (Kate Sharma) tem em cena (ai, que tensão sexual, minha gente!), a série não agradou a todo mundo. O motivo principal foram as mudanças em relação ao livro. 


Adaptação, como o próprio nome já diz, é um ajuste, não necessariamente fiel ao original, até porque muito de uma história escrita não se traduz tão bem para o audiovisual. Mesmo sabendo disso, é certamente incômodo quando a série/filme muda tanto do enredo.


Vem ver as 5 principais diferenças entre a segunda temporada de Bridgerton e de O Visconde Que Me Amava.


1- Relação de Anthony e Kate



No livro o relacionamento do casal principal não é tão lento. A série focou num slowburn, com muita tensão sexual e com um quê de proibido. Mas no livro é tudo mais rápido – tanto que eles se casam mais ou menos na metade da obra. No original tem toda uma atratividade óbvia e discussões acaloradas que tem um que quase divertido, de “te odeio e te amo”, enquanto na série é mais dramático, mais sofrido, com réplicas e tréplicas com raiva de tanto amor.



2- Relacionamento entre Edwina e Anthony



Certamente o livro não conta com relacionamento mais profundo entre um os personagens e muito menos com um triângulo amoroso entre as irmãs Sharma e o visconde. No original Anthony nem mesmo chega a pedir a mão da irmã caçula em casamento, enquanto na série eles estão no altar e tudo se desfaz quando a noiva percebe que o lorde ama a sua irmã. E isso até mesmo abala a relação das irmãs, que sempre foram tão próximas. Há uma ruptura entre elas, uma briga enorme e troca de farpas.



3- A picada da abelha



A cena da picada da abelha acontece, mas muito diferente do original – o que leva o enredo para outro rumo. É mais crível – um ataque de pânico por ver uma picada de abelha, já que uma dessas matou seu pai -, mas isso fez com que os acontecimentos fossem muito diferentes. No livro Anthony tenta sugar o veneno da picada de abelha com a boca e era no seio de Kate, o que provoca um escândalo e eles são obrigados a casar. Na série a picada é no pescoço e ele entra em pânico, mas não tem efeitos tão dramáticos para a trama. Além disso, o roteiro não trabalha a questão do medo tempestades de Kate, também algo importante no original.


4- Medo de Anthony de se apaixonar



A morte prematura de Edmund, o pai de Anthony e de todos os Bridgertons, é um fator crucial para que o novo visconde se recuse a se casar, mas por motivos diferentes na série e no livro. No livro é porque ele acredita que vai morrer cedo, na mesma idade de seu pai, enquanto na série é porque ele viu como sua mãe ficou devastada com a perda do marido e não quer ter uma esposa que fique assim sem rumo e arrasada quando ele se for. Por isso que quando ele decide se casar quer que seja sem amor, apenas para cumprir seu papel como visconde.


5- Outros personagens



Algo que muita gente reclamou sobre a segunda temporada foi a quantidade de tempo que a série deu para outros personagens – alguns nem tão interessantes (Calma, Benedict e Eloise, não estou falando sobre vocês). Muito foco na rainha (que no livro nem é citada), nos Featheringtons, em Penelope e suas artimanhas como Lady Whistledown, em Colin e sua paixão pela Marina (do Colin dá até tristeza de falar, porque ele é o melhor personagem dos livros, divertido, de bem com a vida e na série o transformaram num banana com um total de zero carisma e alegria e um ator que não tem charme), em Eloise infiltrada em movimentos sociais e mais. Além de transformarem os Bridgertons, tão respeitados na sociedade, em párias por causa do casamento cancelado.


*** 


Eu, particularmente, não amei a segunda temporada de Bridgerton, mas também não detestei. Apenas gostei e não vi muito da história original nos episódios. Não foi inesquecível para mim, mas também não vou deixar de assistir as outras temporadas. 


E vocês, o que acharam?


Teca Machado


3 comentários:

  1. Concordo plenamente com o que você escreveu, nossa a parte da abelha fiquei esperando esse momento que seria triste mas também importante para a mudança dos planos. Parabéns pela postagem

    ResponderExcluir
  2. Oi, Teca. Como vai? Tomara que a próxima temporada seja melhor, não é mesmo? Eu não assisti não. Que bom que você tenha gostado desgostando,rsrsrs. Abraço!




    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ainda não vi, mas pretendo!

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está de volta com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.