sábado, 30 de julho de 2016

Para Sir Phillip, Com Amor – Os Bridgertons 5


Vivo dizendo isso aqui, mas se tem uma família literária que eu amo de todo o meu coração são os Bridgertons. Os personagens criados por Julia Quinn em oito romances de época são extremamente apaixonantes, assim como seus cônjuges. A série, que foi trazida ao Brasil pela Editora Arqueiro, parceira do blog, teve seu último volume recém-publicado. Mas, como eu sou do tipo que não engole uma franquia de livros inteira porque odeia ficar órfã depois, acabei de ler o quinto, chamado Para Sir Phillip, Com Amor.



Confesso que tinha certo receio com Para Sir Phillip, Com Amor porque todo mundo dizia ser o mais fraco entre os oito. Então li com as expectativas baixas. No fim das contas, não foi o meu preferido até o momento (Esse lugar fica com O Duque e Eu e Um Perfeito Cavalheiro), mas achei de uma delicadeza incrível. É fofo, é lindo, é doce, é maravilhoso. Afinal, é da Julia Quinn.

Esse quinto volume é sobre Eloise Bridgerton, a sexta filha de Violet. Ela, que sempre foi falante, otimista, sem papas na língua e totalmente segura de quem era, nunca se importou com o papel de solteirona. Afinal, já tinha 28 anos e não havia se casado. Nunca havia amado um homem e tinha como companheira de solteirice sua melhor amiga Penelope Featherington. Só que Penelope acabou de se casar com Colin, irmão de Eloise, e a Bridgerton se viu sozinha. 

Por isso quando Sir Phillip, o viúvo de uma prima distante com quem se correspondia por cartas há mais de um ano, faz um convite para que ela vá até sua casa no campo para ver se são compatíveis para casar, Eloise vai tentar dar uma chance ao amor, mesmo que não haja um pingo de romantismo na proposta.

Julia Quinn
Eloise não é como Phillip pensava. Ele acreditava que ela era feia, mas é muito bonita e encantadora, apesar de falar sem parar. Ele também não é o que ela imaginava. Forte, um tanto rústico, totalmente introspectivo e pouco preocupado com as maneiras londrinas, eles basicamente são água e óleo quando o assunto é personalidade. Fora que tudo fica ainda mais difícil quando os filhos gêmeos de Phillip fazem de tudo para que Eloise vá embora.

Diferentemente dos outros livros da série, não temos os deliciosos trechos da coluna de Lady Whistledown e ele não se passa em Londres, mas praticamente inteiro na casa de campo de Sir Phillip e às vezes na de Benedict e Sophie. Não há bailes, não há glamour e não há as fofoqueiras de plantão, mas há um relacionamento muito doce sendo construído aos poucos, sem aquela paixão fulminante à primeira vista. Essa é uma característica dos livros da Julia Quinn, relacionamentos cheios de amor, mas que foram moldados devagar.

Sir Phillip é muito diferente dos três irmãos Bridgertons que já tiveram livros e de Simon, marido de Daphne, mas é apaixonante à sua maneira simples, sem frescuras. Ele é um pai que não enxerga o quanto pode ser incrível e sabe que precisa de Eloise para encaminhar sua vida. Depois de uma primeira esposa depressiva, tudo o que ele precisa é da vivacidade de Eloise, mesmo que ele às vezes fique cansado do seu estado de espírito sempre otimista e falante. E Eloise é teimosa, afinal é uma Bridgerton. E com uma personalidade cintilante, que acaba cativando (ou cansando) a todos. Ambos foram excelentes protagonistas, assim como os filhos de Phillip, Amanda e Oliver, que são umas fofuras, apesar de terríveis.

Um destaque para quando todos os irmãos homens de Eloise aparecem no livro: Anthony, Benedict, Colin e Gregory. Quando junta esse povo todo é amor (e bom humor) demais para o meu coração.

Como todos os outros livros dos Bridgertons, Para Sir Phillip, Com Amor é impossível de ser lido devagar. A gente vai se apaixonando, se entregando à história e quando percebe, já se envolveu totalmente com esses personagens maravilhosos e suas vidas. O livro passa no século 19, mas a linguagem é extremamente atual e é possível nos identificar com os problemas de relacionamentos que eles vivem.

Representação dos Bridgertons


Enfim, continuo recomendando Julia Quinn e seus Bridgertons com toda força do seu ser.

Teca Machado 


6 comentários :

  1. Oiii Teca

    Li o primeiro livro dos Bridgerton, sobre a Daphne e te confesso que esperava mais, não curti tanto assim. POrém, fico curiosa em ler o restante dos livros da série já que é tão elogiada e tão querida por tantos leitores. No momento tenho várias leituras pendentes, mas quando houver uma brecha quero conferir o segundo livro da série

    Beijos

    http://unbloglitteraire.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena, Alice!
      O da Daphne é um dos meus preferidos.
      Lê os outros, acho que você vai acabar gostando.
      São muitos livros.

      Beijooos

      Excluir
  2. eu lembro qd sairam os primeiros livros dessa serie, esse titulo eu ainda nao conhecia, mas como curto mt romance historico fiquei curiosa com a saga td

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lívia, Julia Quinn é obrigatório para quem gosta do gênero.
      <3

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi, Teca!!

    A gente sempre acaba conversando sobre os livros antes e quando chega na hora de fazer comentários fico sem ter muito o que dizer... Hahahahaha
    Mas eu adoro essa família, assim como você, só que continuo achando que esse livro do Philliph é o mais fraco da série.
    Eu achei a história fofa e tudo mais, mas senti falta de um algo a mais. Não criei muita empatia.

    Mas concordo com você! Os melhores momentos são quando temos a família toda reunida. É diversão garantida!! Hahahaha

    O próximo livro, da Francesca, é um dos meus favoritos. Espero que você se apaixone por ele tanto quanto eu. <3

    Bjs!!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha
      Eu sofro desse seu mal, Carol!
      Toda essa família é sempre sinônimo de amor e risada.
      Vamos ver se vou gostar do da Francesca tanto quanto você.
      :D

      Beijooos

      Excluir