sexta-feira, 29 de julho de 2016

Agnus Dei – No Mar de Água Doce


Adoro escrever sobre autores nacionais aqui no blog, mas gosto mais ainda quando os autores são amigos meus e pessoas por quem tenho admiração. Esse é o caso do Rui Matos, que venceu o Prêmio Mato Grosso de Literatura em 2015 com o livro Agnus Dei – No Mar de Água Doce.

Crédito: Página de Agnus Dei no Facebook

O Rui, além de ser um jornalista incrível com especialização em filosofia e marketing, mora no meu coração porque durante mais de cinco anos foi meu editor. Ele me “adotou” na revista em que trabalhávamos quando eu ainda estava na metade da faculdade e me ensinou basicamente tudo o que sei sobre jornalismo. Ele foi meu professor, me deixou livre para tomar decisões em textos e reportagens e sempre se mostrou muito altruísta quando o assunto era quem teria matérias de destaque. Só tenho a agradecer! Por isso fiquei imensamente feliz quando ele me disse que também ia embarcar nesse mundo doido da literatura.

O Agnus Dei – No Mar de Água Doce, segundo a descrição do próprio Rui, é um romance épico que resgata encantos da paixão num cenário de tirar o fôlego. “Poderia ser mais uma saga apimentada por beijos cheios de desejo, sexo tendo o céu como cobertor, intrigas apaixonantes e uma trama de mexer com a libido até dos mais tímidos. É mais do que isso! A obra, editada pela Tanta Tinta, com ilustrações de Flávia Scheel, lança o jornalista como romancista que extravasa sentimentos campestres”.

Uma das ilustrações de Agnus Dei

No site da editora Carlini e Caniato, responsável pela publicação do livro, temos o seguinte texto:

De autoria do jornalista Rui Matos, o livro “Agnus Dei – no mar de água doce”, traduz a vida no singular que se conjuga no pantanal mato-grossense de 1930. A obra é uma das dez vencedoras do Prêmio Mato Grosso de Literatura, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

A história de “Agnus Dei – no mar de água doce” resgata o cotidiano rural pantaneiro da década de 30. A cultura, a culinária e o modo peculiar do falar são os temperos da lida com o gado, das conduções de boiadas, caçadas, pescarias, histórias de assombração, vidas que chegam e que vão. Ficção e realidade dividem a mesma canoa imaginada pelo autor no arraial de Poconé, distante 100 quilômetros de Cuiabá.

É neste cenário que somos apresentados aos personagens, a exemplo de Agnus de Borgonha e Maria Cecília, que permeiam naqueles longínquos anos a realidade contemporânea.  O romance é inspirado na saga real da camponesa Laurinda Cintra e do vaqueiro Odário Nunes, que tiveram seus nomes inseridos na história de Mato Grosso. “O amor está debaixo de um palácio suntuoso ou de uma choupana de palha. Busquei esses elementos e criei personagens e situações que levam o leitor a refletir sobre o amar, felicidade, sonhos e fantasias. Uma leitura para mergulhar e se apaixonar”, comenta o autor.

Rui Matos
“Felizmente, em Mato Grosso não se colhe apenas grãos. Como cantaram Arnaldo Antunes e Fromer, ‘a gente não quer só comida’. Brotou aqui uma nova safra de escritores e Rui Matos germinou com este primeiro romance”, avalia o ex-presidente da Academia Mato-grossense de Letras, Eduardo Mahon.

Para Eduardo Mahon, que prefacia a obra, “trata-se de um aboio caboclo, de trama densa, ambientado num mar de água adocicada pela paixão de duas mulheres a um vaqueiro misterioso, que carrega consigo um passado medieval e baú de ilusões. É uma alegria ver o romance ganhar esse novo fôlego e, daqui, palmilhando coisas nossas, espraiar-se para sabe-se lá onde. Um alcance que só a literatura possibilita”.

Em “No mar de água doce”, Rui Matos busca o tortuoso caminho do sucesso, tão ansiado por escritores que se lançam no mercado editorial. Para o presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, João Carlos Vicente Ferreira, ao romancear fatos ocorridos com gente pantaneira e o próprio Pantanal, o autor vai atrair a atenção dos leitores, não só pelo tema, mas também pela qualidade e apuro na elaboração do texto. “Falar do Pantanal, de sua gente e suas histórias, das terras ricas e férteis, dos pássaros que buscam suas lagoas para pesca e alimentos necessários, das plantas que se reproduzem e cria toda vegetação exuberante que marca com beleza este oásis biológico, de água, luz e terra é, sem dúvida alguma, uma forma de arrebatar leitores. Uma narrativa cheia de sensualidade que aguça a imaginação”, observa João Carlos.

Onofre Ribeiro, que também é jornalista e apresenta o autor, afirma que a obra surpreende com uma vertente leve, torneando personagens e fatos numa doçura quase inocente de quem vê a vida como uma estrada que não precisa necessariamente ser sinuosa. “Agora, é esperar que Rui Matos nos conduza com a mesma doçura, em breve, com os próximos livros que completarão a trilogia ‘Agnus Dei’ para outros mares nunca dantes navegados”, concluiu Onofre Ribeiro.

Crédito: Página de Agnus Dei no Facebook

*** 

O meu exemplar de Agnus Dei – No Mar de Água Doce já está a caminho e em breve faço uma resenha completa. Enquanto isso, você pode garantir o seu livro na Livraria Cultura aqui e na próxima semana o ebook estará na Amazon.

Teca Machado

7 comentários:

  1. bem interessante conhecer o autor e esse livro, bom final de semana lindona!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem diferente, Lívia!
      Uma leitura diversa.
      :D

      Beijooos

      Excluir
  2. Grato pelo Lìvia. Leia no Mar de Água Doce e conheça os encantos de um oceano encravado no Cerrado de Mato Grosso e adocicado pela paixão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rui, estou doida para ler!
      É uma das minhas próximas leituras.
      <3

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi, Teca!!

    Concordo com você. Ler livros de pessoas queridas nos dá uma sensação de orgulho como se fosse nossa a obra também. :)

    Os comentários são ótimos e os desenhos lindos. Também acho que a história deve ser linda e romântica.
    Fico esperando sua resenha completa para ter mais detalhes! ;)

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho muito gostoso ler livro de amigos.
      Ainda não li esse, mas acho que poderemos gostar.

      Beijooos

      Excluir
  4. Eu fico tão feliz em ver publicações nacionais com um alto nível assim.
    Isso só incentiva o mercado a abrir suas portas de vez pros autores nacionais e também incentiva o público a buscar por mais autores brasileiros. Muito bom! ^^
    Aguardo sua resenha!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir