Amor de Redenção - Crítica


Amor de Redenção, de Francine Rivers e publicado no Brasil pela Editora Verus, estava na minha estante desde o início do ano passado e apesar da vontade de ler, simplesmente ia passando outros na frente. Até que esse ano, com o lançamento da versão cinematográfica da obra, decidi que havia chegado a vez da sua leitura. E posso dizer que me arrependi de não ter lido antes. Apesar de muito triste e sofrido, Amor de Redenção é belíssimo.


Foto @casosacasoselivros


A obra é considerada um romance cristão, mas se você não é religioso, não deixe isso te afastar. É uma história de amor linda e que mostra como o amor, o mais puro e o vindo do Divino, pode curar feridas profundas.


Amor de Redenção


Califórnia, 1850. Angel foi vendida para a prostituição aos 8 anos. Ela viu a mãe definhar por causa do pai e, depois da sua morte, foi levada para um bordel. Assediada, estuprada e abusada, tudo o que ela conheceu na vida foi o ódio aos homens, que sempre a usaram. Lindíssima, como um anjo, ela é disputada por todos, mas ninguém nunca chegou nem mesmo perto de ganhar seu coração ou sua confiança. Michael é um fazendeiro, trabalhador e cristão e que busca a Deus em tudo o que faz. Quando ele vê Angel na rua, mais do que se apaixonar à primeira vista, ele sente o Pai falando com ele, pedindo para que case com Angel. Michael então começa a comprar o tempo de Angel, mas para conversar, para conquistá-la. Mesmo quando as circunstâncias os levam a se casar, ela ainda odeia os homens, mesmo esse fazendeiro que parece tão diferente dos outros. Ele estar quebrando suas barreiras, que foi o que a levou a sobreviver tanto tempo, é extremamente assustador. 


Será que o amor pode realmente curar, resgatar as pessoas da mais profunda escuridão? Por que será que é tão difícil seguir os planos de Deus? Mesmo quando alguém rejeita o amor, o outro consegue seguir em frente?


Oséias


Francine Rivers
conta que ela baseou Amor de Redenção no livro Bíblico de Oséias, tanto que o sobrenome de Michael é Hosea, que é Oséias em inglês. Mas mesmo com o cunho religioso, a autora não tenta evangelizar ou impor sua fé. Deus é parte importante da história – a mais importante -, mas é um livro de ficção com drama e amor. Então se você é uma pessoa que não tem essa vivência de Bíblia ou mesmo que não goste, anda assim pode ser uma leitura para você.


Amor de Redenção é uma história de amor pura e simples. É doída, é triste, é angustiante, é linda, é de fazer chorar, é de fazer abraçar o livro quando tudo o que você queria era abraçar Angel e Michael. É uma leitura realmente tocante e que te faz pensar no amor, em como ele pode realmente salvar vidas e em como é difícil dar e retribuir amor em certas ocasiões.


Angel e Michael


Os protagonistas são muitíssimo bem construídos. Com a narração em terceira pessoa que acompanha tanto Angel quanto Michael, temos uma visão bem abrangente de ambos os personagens, conseguimos entender suas motivações, suas personalidades e seus caráteres. Há ainda muitos personagens secundários ótimos de acompanhar, principalmente Miriam e sua família.


O contexto do livro é a Corrida do Ouro na Califórnia no Século XIX, o que dá uma dimensão ainda mais profunda aos acontecimentos. 



Amor de Redenção é uma leitura cativante. E por mais que seja longa (mais de 500 páginas) e com muitos acontecimentos, é uma narrativa fácil de acompanhar e relativamente rápida. Há sim, algumas passagens muito fortes envolvendo Angel e seu passado, do tipo que você precisa parar e dar uma respirada, mas de modo geral, o amor se sobrepõe a tudo isso.


Recomendo muito.


Teca Machado


(No fim das contas li o livro e ainda não assisti ao filme!)

Um comentário:

  1. Não tenho tanta vontade de ler o livro, mas quero muito assistir o filme! Mas pela tua opinião, parece ser uma leitura bem emocionante.
    https://www.balaiodebabados.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.