Pequenos Incêndios Por Toda Parte – Livro e série - Crítica


Quem gosta de ler quando vê uma adaptação de um livro fica com dois sentimentos: Feliz porque a história vai virar filme/série e vai poder ver o que já “via” na própria mente e com medo porque a chance de estragarem uma obra querida é bem grande. 


Muitas vezes temos adaptações maravilhosas e boas, que respeitam o original, muitas vezes umas péssimas e, em alguns raros casos, as que são melhores do que o livro. Para mim foi o que aconteceu com Pequenos Incêndios Por Toda Parte, de Celeste Ng, publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, e cuja série, produzida pela Amazon Prime Video e cujo título em inglês é Little Fires Everywhere, ficou mais interessante do que o livro.



Vou falar um pouquinho das duas. Vem comigo!


Sinopse


Pequenos Incêndios Por Toda Parte começa com a casa dos Richardsons pegando fogo e sabe-se que foi intencional. Então há um retrocesso no tempo e a história começa a ser narrada, mostrando os eventos que culminaram nesse momento.


Após viver anos como nômades, a fotógrafa Mia Warren e sua filha adolescente Pearl chegam à Shaker Heights, uma comunidade planejada e perfeita. Lá a grama tem que ficar numa altura específica, a tinta das casas tem cores padrão, as crianças não precisam atravessar avenidas para ir para a escola e tudo é organizado, limpo e lindo. Até as pessoas são o ápice da perfeição, com suas vidas perfeitas e planejadas.



Mia e Pearl definitivamente não se encaixam no padrão da cidade. Tudo o que possuem cabe no velho carro, suas roupas são de brechós e os móveis achados na rua. Mas decidem ficar, principalmente para que Pearl possa estudar numa excelente escola. Elas alugam um apartamento de Elena Richardson, jornalista, mãe, rica e influente, um exemplo impecável do que é de ser de Shaker Heights.


Os Richardsons, com Elena, o marido e os quatro filhos, são o padrão do que é ser da cidade. Seguem as regras, não criam escândalos e seguem o fluxo da vida planejada. A não ser por Izzy, a filha mais nova de Helena. Contestadora e feminista, resmunga da perfeição falsa de suas vidas, por isso se dá tão bem com Mia, que acha um refresco para a monotonia da sua cidade. Enquanto Izzy deseja a liberdade e mistério de Mia, Pearl deseja a perfeição e elegância de Elena e dos Richardsons.




Pequenos Incêndios Por Toda Parte trata de diversos assuntos, como não se encaixar num padrão, relações conturbadas, preconceito, adoção, privilégios, descoberta da sexualidade e suas consequências e mais. Mas, principalmente, é sobre maternidade, que é mostrada de diversas maneiras.


Livro


Narrado em terceira pessoa, ficamos um pouco distante dos personagens, apesar de conhecer o seu íntimo, pensamentos e história de vida. Acredito que a intenção da autora foi criar esse espaço entre personagens e leitor para que ele vá construindo sozinho os caráteres e junte as peças do quebra-cabeça de forma lenta.


Celeste Ng

E acaba que esse fato torna a leitura exatamente isso: lenta. Muitas vezes temos a impressão de que nada acontece. Há inúmeras páginas sobre o passado dos personagens, em trechos aparentemente aleatórios, mas que estão lá para ajudar a formar cada um deles. Algo que percebi durante a leitura é que nada está ali por acaso.


Há o mistério que ronda a vida de Mia, que vai se desvendando aos poucos, assim como tudo no livro. Do mesmo modo, a tensão entre os personagens começa pequena, como pequenos focos de incêndio, até que culmina numa queimada de grandes proporções.


É uma história onde não há mocinho e nem vilão, com personagens lotados de defeitos, falhas e erros e mostra que a tal perfeição de Shaker Heights e seus habitantes só existe no papel.


É um bom livro, mas deve-se ler sabendo que não é ação, suspense e correria. É cozido a fogo lento até um final que vale a pena.


Série


Pequenos Incêndios Por Toda Parte foi indicado pelo Clube do Livro da Reese Whiterspoon (conheça aqui, é MUITO bacana). E assim como Big Little Lies, outro livro indicado por ela, foi transformado em série, tendo a atriz como produtora e uma das personagens centrais.


Reese vive Elena enquanto Kerry Washington é Mia. Ambas estão excelentes: nos fazem sentir raiva, empatia, tristeza, estranheza e desconforto, cada uma com as particularidades dessas personagens extremamente complexas.



O elenco bem escolhido - não apenas as duas, mas os filhos e outros coadjuvantes também - e algumas mudanças sutis da obra original deixaram a série mais interessante do que o livro. As diferenças não são gigantes, mas apenas detalhes que transformam tudo e até mesmo dão mais sentido às atitudes dos personagens. O desfecho mesmo apresentou uma diferença enorme, que eu, particularmente, gostei muito.


Outro fato que deixou a série melhor do que o livro é a tensão racial, que não existe no original. O show mostra um racismo velado, uma pseudoaceitação de Mia e Pearl naquela comunidade perfeita, tanto pela cor da pele quanto pelo estilo de vida. A inquietação de Elena com ambas é muito visível desde o início. Li a obra antes de ver a série, mas como sabia que Mia era vivida por Kerry Washington imaginava a personagem negra. Só depois de ver alguns comentários percebi: em momento algum a autora fala sobre a cor dela, por isso não há essa questão tão presente no livro.


Com apenas 8 episódios com cerca de uma hora cada, Pequenos Incêndios Por Toda Parte é uma minissérie, sem perspectiva para nova temporada.


Recomendo ambos: livro e série.


Teca Machado


3 comentários:

  1. Oi Teca,

    Que bacana que a série conseguiu ser mais interessante que o próprio livro. Isso é raro de acontecer.
    A trama parece ser bem interessante, eu não sei se eu leria o livro, mas acho que vou conferir a série!


    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  2. Oi Teca,
    Então, eu odiei o livro, haha. Esperava por um suspense ou algo do tipo e me deparei com uma história linear e sem muito desenvolvimento. Terminei-o na força do ódio. O livro em si não é ruim, mas eu tinha expectativas diferentes e li no momento errado. Quanto a série, tentei assistir assim que ela foi lançada, mas ainda não estava dublada na Amazon, então eu resolvi esperar para assistir e acabei perdendo o interesse. Mas agora, sabendo que vc achou a adaptação melhor, deu até vontade de conferir, haha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ✩ Participe do Top Comentarista de Abril!

    ResponderExcluir
  3. Ooi
    Eu tive a oportunidade de ler a série e amei demais, uma das melhores que vi na quarentena. As atuações são impecáveis e gosto de como elas são diferentes. O livro eu nunca tive muito interesse em ler pois ele tem uma carinha de ser lento mesmo.

    Sil
    blog kzmirobooks.com • Siga no Instagram: @kzmirobooks
    Top comentarista valendo a saga Harry Potter

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.