sexta-feira, 24 de abril de 2020

Ordem – Trilogia Silo - Resenha


Depois da leitura de dois romances, quis ler um gênero diferente. Não sei vocês, mas gosto de misturar os estilos de leitura para não enjoar de determinado tema. Como fazia tempo que eu não lia distopia, resolvi escolher Ordem, segundo da trilogia Silo, de Hugh Howey, publicado no Brasil pela Editora Intrínseca. O único problema disso foi que ler um livro sobre o fim do mundo no meio de uma pandemia de proporções épicas não é uma das ideias mais brilhantes, né?

Foto: @casosacasoselivros

A premissa da série, que conta com os volumes Silo, Ordem e Legado, é que depois que o mundo acabou, os poucos remanescentes da humanidade sobrevivem num gigantesco silo subterrâneo. As pessoas vivem sob estritas regras em comunidade onde o maior crime é querer ir para fora do silo. Aqueles que expressam esse desejo – ou comentem algum crime grave – são mandados para a limpeza. Ou seja, vão para o lado de fora limpar as câmeras que transmitem ininterruptamente imagens do desolado e acabado mundo exterior.

Os próximos dois parágrafos contêm spoilers do primeiro livro. Então, leia por sua própria conta em risco.

Depois de bombásticos acontecimentos de Silo, é natural esperar que Ordem seja a continuação da história. Mas, na verdade, o enredo se passa quase todo antes de Silo e o terço final da obra é simultâneo com o fim do volume inicial.

Por mais que o leitor esteja ansioso para saber como tudo continua, Hugh Howey nos envolve com toda conspiração que levou o mundo a acabar e porque a humanidade vive nesses espaços subterrâneos – sim, no plural, porque no final de Silo descobrimos que não há apenas um, mas vários. Além disso, entender como o planeta chegou àquele ponto e quem fez isso é importante para o caminhar da história.

Dividido em três partes, chamadas de Legado, Ordem e Pacto, o livro conta com a narrativa do deputado Donald Keene, que foi convidado pelo poderoso senador Thurman para participar de um projeto gigantesco antes de tudo acontecer, de Troy, uma espécie de diretor do Silo 1, responsável por gerir todos os outros silos e o único que sabe da existência de todos e do motivo de viverem neles, e de Mission e Jimmy, moradores de alguns dos silos que são importantes para o leitor saber o que está acontecendo em outros locais.

Ordem é extremamente interessante. Os mistérios do primeiro livro começam a ser respondidos, assim como indagações trazidas nesse volume. E ainda há toda a questão claustrofóbica de estar preso a mais de 100 andares abaixo da superfície e não ter para onde ir. Fico pensando na logística de um lugar nesse e fico desesperada de saber que não tem elevador! Confesso que estou extremamente curiosa para continuar e saber como acaba.

Mas, por melhor que seja o livro, ele tem um problema: a sua leitura é lenta. Sabe aquela história boa, envolvente, que te prende, mas que você passa 3 horas lendo e quando vai ver só foram 10 páginas? É o caso. Não sei por que isso acontece, talvez seja por falta de ação propriamente dita ou a falta de alguém extremamente interessante como Juliette, uma das protagonistas do primeiro livro. Mas ainda com esse problema de fluidez é melhor e mais dinâmico que Silo, pelo menos que eu me lembre.



Mesmo que o motivo da destruição do mundo não tenha sido nem tão grande e nem tão impactante para mim (cara, eu MATARIA se soubesse que estou enfurnada num silo subterrâneo sem luz do sol por causa disso!), sinto que temos muito ainda a descobrir em Legado.

Recomendo (mas acho que você não deveria ler essa trilogia em plena pandemia apocalíptica!).


Teca Machado

P.S: Silo está baratinho na Amazon! Se quiser começar a leitura dessa série é só clicar aqui em cima.

4 comentários:

  1. Oi, Teca como vai? Eu tenho interesse em ler esta série, apesar de ela ser lenta. Adorei sua resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, ela é bem lenta, mas é boa.
      Vale a pena persistir!

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi Teca,
    Se eu te falar que comecei a ler o livro 1 e parei, você acredita? Foi há anos atrás, achei lento demais mesmo. E mesmo depois de toda essa quarentena, meu psicológico não iria aguentar passar por essa leitura, rs.
    Com essa pandemia que estamos vivendo, descobri que eu nunca serei uma das sobreviventes que dará a continuidade a humananidade, rs.
    beeejos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale!
      Acredito, porque o livro 1 demora a engrenar.
      Realmente, e a pandemia não é o melhor momento para ler.
      Fui burra, hahahaha.

      Beijooos

      Excluir