sábado, 16 de janeiro de 2016

Prodigy – Livro 2 da trilogia Legend


Uma das melhores distopias que li em 2015 foi o primeiro volume da trilogia Legend (Comentei aqui), de Marie Lu. Agora em Prodigy, segundo volume, que peguei em parceria com a Livraria Janina, fiquei tão encantada, agoniada e presa na história quanto no livro um, talvez até mais, já que ao nos aprofundarmos no enredo mais problemas e conspirações são descobertas.  

Muita gente costuma dizer que a segunda obra de uma trilogia geralmente é a mais fraca, mas isso tem se provado o contrário. Por exemplo, das sagas Jogos Vorazes e Divergente os livros dois são os meus preferidos. E Prodigy está aí para mostrar que não deixa nada a desejar para Legend. Marie Lu tomou rumos inimagináveis pelos leitores e nos surpreendeu tanto com o meio quanto com o desfecho.

Se você não leu Legend, os próximos dois parágrafos podem conter spoilers do primeiro livro:

June e Day foram bem sucedidos em sua fuga das autoridades da República. Apesar de a população acreditar que Day foi morto, os militares sabem que não e continuam em busca do delinquente mais famoso do país e da ex-queridinha do Exército. O casal se dirige para Las Vejas para solicitar ajuda do grupo rebelde Patriotas para fugir para as Colônias.

Quando encontram os Patriotas, June e Day serão aceitos no grupo com apenas uma condição: Que matem o novo Primeiro Eleitor. O ditador anterior morreu e agora quem assume é o seu filho Anden. A tarefa é aparentemente fácil, afinal, os dois odeiam a República, mas quando June precisa se infiltrar outra vez no governo para se aproximar de Anden e mata-lo, percebe que ele não é o que se pensava e que talvez a melhor saída não seja assassina-lo. A partir daí, uma rede de suspeitas, intrigas e conspirações, com muitos segredos revelados, nos fazem enxergar que as aparências enganam.

Marie Lu
Prodigy tem alguns momentos lentos de introspecção dos personagens, mais do que em Legend, mas as cenas de ação são de tirar o fôlego. Marie Lu descreve com detalhes, a ponto de nos enxergamos lá, mas não é chata com detalhes demais. E também é um livro recheado de flashbacks dos passados da dupla principal.

Somos apresentados à história tanto pelos olhos de June quanto pelos de Day, então é possível ter um panorama mais completo. Só que os personagens na maior parte do tempo não sabem o que está acontecendo, o que deixa o leitor no vácuo também. A sensação de agonia e curiosidade fica à flor da pele e isso é muito bom, principalmente quando as reviravoltas (que são várias, acreditem) chegam.

June e Day são ótimos personagens aos quais o leitor se apega totalmente. Eles têm algumas atitudes infantis e de mimimis, mas é preciso lembrar que são adolescentes de 15, 16 anos. Então, se você parar para pensar nisso, são extremamente maduros. As dificuldades enfrentadas em suas vidas os fizeram crescer como outros jovens nem conseguem imaginar.

É normal em livros assim termos um triângulo amoroso, mas no caso de Prodigy é um quadrilátero, que às vezes parece meio sem espaço. Por causa do desfecho, que é totalmente mind blowing, não consigo nem imaginar o que Marie Lu nos preparou no último volume, Champion.

Recomento bastante.

Quer comprar a trilogia Legend? Tem aqui na Livraria Janina.

Teca Machado

11 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido falar nessa trilogia, mas parece ser bem legal. E foi você que escreveu o livro I love NY? Eu ja tinha ouvido falar dele, que legal!! Sucesso para você, lindona!

    Um cheiro!
    www.vinteetantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! A própria :D
      Muito obrigadaaa!
      Essa trilogia é beeeem boa mesmo.

      Beijooos

      Excluir
  2. Essa distopia😍
    é perfeita. Eu também recomendo!
    Já ta sabendo que vai virar série de TV? Espero que não estraguem com o livro
    Bj da Le
    www.leversosecontroversias.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Le!
      Não sabia, mas adorei a notícia!
      Espero que fique beeeem legal.

      Beijooos

      Excluir
  3. hm, eu adoro uma boa trilogia e essa eu ainda nao conhecia, gostei bastante de conhecer essa distopia ;)

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lívia, essa é bem bacana!
      Eu estou adorando.
      *.*

      Beijooos

      Excluir
  4. Teca, estou com Legend há séculos na minha prateleira e ainda não consegui tempo para lê-lo!! Hahahaha

    A Iza (do blog) já resenhou a trilogia - e surtou muito no processo, devo dizer -, então eu tenho que arrumar um tempo "vago" entre as leituras do blog o que é quase impossível, devo lhe dizer.

    Ainda não consegui ler Outlander 3 - parte 2 por conta disso também. xD

    Mas estou super curiosa porque todo mundo que lê ama muito essa história! Espero que também a ache incrível assim que conseguir pegá-la. Hahaha

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Olha, pelo que eu percebi do seu gosto literário, acho que você vai gostar.
      :D
      Agora me diz, cadê a empresa que vai me pagar para passar os dias lendo?
      Hahaha.

      Beijooos

      Excluir
  5. Oi Teca,
    Eu tinha visto mtos elogios a esse serie e fui ler Legend todo empolgado, mas me decepcionei. Meu problema fui que eu nao consegui acreditar nos personagens. Achei eles muito habilidosos para meros adolescentes. Outro fator que me incomodou foi que achei tudo mto previsível. Por isso, cheguei no final do livro e decidi abandonar a série.

    PS: não indico Revival para ser o teu primeiro contato com o King. Se vc não tem medo de tamanho, tanto Sob a Redoma quanto Novembro de 63 são ótimos. Se vc prefere começar com algum livro menor, recomendo Joyland, que apesar de nao ser o melhor livro do King, dá para ter uma boa noção do que ele é capaz de fazer. A Mari tbm sempre indica os livros de contos dele: Quatro Estações (contos que puxam mais para o drama) e Escuridão Total, Sem Estrelas (contos que puxam mais para o suspense). Espero ter ajudado :D

    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alê!
      Que pena que não te conquistou.
      Bom, eu ignoro a idade deles, hahaha. Geralmente leio tendo a certeza absoluta que eles têm 20 e tantos anos.
      :P
      Acho que eles terem 15 é forçação de barra mesmo.

      Obrigada pelas dicas do King!
      Sob a Redoma eu vi que é beeeem gigante, né? Hahaha. Vi uns pedaços da série.
      Acho que vou começar pelo Joyland e pelo Quatro Estações.

      Beijoooos

      Excluir
  6. Adorooo livros cheios de reviravoltas e que acabam de um jeito que eu jamais poderia esperar! Já vi que vou gostar dessa trilogia! ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir