segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

O Primeiro Dia Do Resto Da Nossa Vida – Uma história quase real


A vida é cruel. Mas pode ser doce. E nem sempre o destino nos dá aquela mãozinha que tanto precisamos. Acho que esse é um ótimo resumo para o livro O Primeiro Dia Do Resto Da Nossa Vida, de Kate Eberlen, que recebi em parceria com a Editora Arqueiro.

Livro recebido em parceria com a Editora Arqueiro

Eu esperava um romance leve e divertido quando comecei a leitura, muito no estilo young adult, mas o livro se mostrou muito mais profundo e reflexivo do que eu esperava. E isso foi bem bom. Os dois protagonistas que dividem as páginas e os capítulos passam por enormes provações, dificuldades, decepções, lutos e problemas do dia a dia. O enredo todo é muito verdadeiro, muito cru. E tirando o final, que para mim acelerou muito o desfecho para algo que a autora queria, essa poderia muito bem ser uma história real. Em muitos momentos o tipo de narrativa e a sinopse me lembrou bastante Um Dia, de David Nicholls.

Em O Primeiro Dia Do Resto Da Nossa Vida, conhecemos Tess e Gus. Eles são perfeitos um para o outro, mas não se conhecem. E os caminhos que a vida os leva faz com que estejam cada vez mais separados. Ao longo de 16 anos acompanhamos esse “casal”. Crescemos e amadurecemos junto com eles no decorrer de uma vida cheia de decepções e alguns momentos fugazes de felicidade.

Kate Eberlen
Tess e Gus são personagens completamente humanos. Têm qualidades, têm defeitos e inseguranças, erram o tempo todo, se envolvem com pessoas que não deveriam e fazem das tripas coração para que tudo se ajeite e possam ser minimamente felizes. É claramente possível se identificar com um deles, ou mesmo com os dois, e isso é um ponto muito positivo do livro, pois criar essa conexão com o leitor é muito importante.

Apesar das escolhas muito erradas que Gus faz ao longo do livro, gostei muito mais dele do que de Tess, que muitas vezes me irritou porque mais reclamava do que fazia algo para mudar sua situação. Mas não levem isso para o lado pessoal porque eu tenho sérios problemas com a maioria das protagonistas de livros.

Como de um capítulo para outro em vários momentos há um salto de tempo de anos, vamos acompanhando o amadurecimento dos personagens e conhecendo aos poucos as pessoas em quem eles se transformam e como os fatos da vida moldam suas personalidades e estilos de vida. E para quem está nessa faixa de idade que eu vivo no momento, entre os 25 e os 30 anos, toda essa coisa de “sou adulto? Sou jovem?” que Kate Eberlen deixa muito claro, muitas vezes é um balde (muito necessário) de água fria.

O enredo de O Primeiro Dia Do Resto Da Nossa Vida é como a nossa própria vida: tudo é passageiro, tanto os momentos ruins quanto os momentos bons. Não há uma linha reta eterna de felicidade ou de tristeza para os personagens. Sempre há uma curva em algum ponto que altera a trajetória. Em algumas passagens morri de angústia por Tess e/ou Gus, pensando em como eram sofridos.

A protagonista tem o mesmo apelido que eu :D

Kate Eberlen comandou muito bem o livro e nos apresentou uma história que foca bem mais em todos os aspectos da vida e de crescer do que no romance propriamente dito. Então não se engane por causa da capa fofa: esse não é um romance água com açúcar, é a vida real.

Recomendo.

Teca Machado


12 comentários :

  1. é mt bom se surpreender positivamente com livros assim qd eles se mostram mais profundos do que prometiam, gostei mt da resenha

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom!
      Foi uma surpresa maravilhosa esse livro!

      Beijooos

      Excluir
  2. Não daria uma chance ao livro, isso até conferir a sua resenha. Seu texto me animou, principalmente por saber a abordagem da vida que a autora faz.
    Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de dezembro. Serão dois vencedores, dividindo 3 livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom!
      Fico feliz de saber que a minha opinião te fez sentir vontade de ler.
      Não se deixe enganar pela capa "menininha". Ele é cheio de conteúdo!

      Beijooos

      Excluir
  3. Parece muito bom, ainda mais que li um "baseado em história real" e isso já arrepiou.
    Ótima resenha. Primeira vez no blog e ja gostei muito.
    Xoxo
    http://ja-ta-crescida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é baseado em história real, mas poderia muito bem ser.
      Tão cru e verdadeiro ele é.

      Beijoooos

      Excluir
  4. Oiii Tecaaa

    Amei esse trecho com seu nome hahahaha
    Cara eu me arrependi de não ter lido essa estória quando tive a chance, porque lendo agora a resenha eu tenho certeza de que teria gostado do livro também..

    Beeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raíssa!
      Eu fiquei doida por ter meu "nome", hahaha.
      Eu me surpreendi com a história tão linda. Amei!

      Beijooos

      Excluir
  5. Teca, eu não diria nunca que ele é um livro mais sério e reflexivo se olhasse a capa. Ele me passou a impressão de ser como A História de Nós Dois, acho que pelo estilo da capa mesmo. Mas achei muito legal! Quero ler!

    Beijo, Meg's Army

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, a capa dele lembra muito esse outro, que li no início do ano.
      E se parar para pensar, é no mesmo gênero. Parece mulherzinha e leve, mas tem uma história mais profundar por baixo.

      Beijooos

      Excluir
  6. Teca, achei que era comédia.
    Pena que não é. Mas mesmo assim, parece que é um livro bem legal!
    Você me empresta?

    Beijo, Nana Pitaluga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei que fosse.
      Não comédia, mas algo mais leve, young adult.
      Mesmo assim é lindo.
      Se eu te empresto? Só se você prometer que vai ler mesmo e devolver, hahaha.

      Beijoos

      Excluir