segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald - Crítica


“É possível você gostar de uma coisa e ainda assim reconhecer que ela tem defeitos”. Essa é a frase de abertura do vídeo do canal Toga Voadora sobre o filme Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, do diretor David Yates, e eu não podia concordar mais. Sim, eu amo Harry Potter e todo esse universo incrível e criativo que a J. K. Rowling criou e inclusive amei o primeiro filme da franquia Animais Fantásticos, mas vamos ser bem sinceros aqui: Esse longa tem problemas seríssimos, principalmente de roteiro.


Aqui continuamos acompanhando Newt Scamander (Eddie Redmayne), o magizoologista que soltou sem querer vários animais mágicos em Nova York. Apesar de ele ser o protagonista, o enredo agora gira em torno de Grindelwald (Johnny Depp), um bruxo que acredita que a sua raça deve dominar a humanidade que não é mágica. Após conseguir escapar da prisão americana, ele vai para Paris a procura de Credence e o obscurial (Ezra Miller), que segundo ele terá papel fundamental na sua busca de supremacia. Newt, Jacob (Dan Fogler), Tina (Katherine Waterston) e o Ministério da Magia seguem na caça ao fugitivo, enquanto ele tenta angariar seguidores a sua causa.

Mesmo sendo super fã de toda a saga fiquei perdida em inúmero momentos. Parecia que vários arcos foram jogados ali e pronto, sem grandes explicações. Eu que sou fã e acompanho até de perto todo esse universo muitas vezes fiquei “ahn?”, imagina quem não é tão fã assim. Achei que talvez fosse eu, que não estivesse prestando tanta atenção ao filme, mas ao sair do cinema perguntei para os meus amigos – um que gosta muito da saga e conhece super bem e outra que gosta, mas apenas isso – e o sentimento de roteiro problemático foi geral, inclusive do que ouvi outras pessoas comentando ao sair da sessão. 



A sensação que tive foi que o enredo andou muito pouco. Em mais de duas horas de filme quase nada foi concreto para o desenvolver da saga de modo geral. O primeiro volume é uma introdução dos personagens e do universo, enquanto esse foi apenas um capítulo com algumas informações que devem ser importantes para o caminhar das próximas produções, já que serão cinco filmes que levarão até o nascimento de Harry Potter. Há alguns momentos bem inspirados, como quando Leta (Zoe Kravitz) explica a história da sua família – mesmo isso achei um pouco fora de contexto -, Newt tenta falar palavras bonitas para Tina, Dumbledore (Jude Law) dá aula para os alunos de Hogwarts e mesmo o discurso inflamado de Grindelwald no fim do filme. Além disso alguns personagens parecem permanecer na história apenas porque o público gosta deles, como Queenie (Alison Sudol) e Jacob, que pouco acrescentam numa perspectiva maior.

Mas claro que Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald tem seus méritos. O elenco é espetacular. Eddie Redmayne com seu Newt de pouco traquejo social, mas muito carisma foi uma escolha super acertada para o protagonista. Sempre acreditei o personagem talvez estivesse dentro do espectro autista e essa semana vi uma matéria em que o próprio ator tem essa impressão. Dan Fogler e Alison Sudol são os queridinhos da saga, no sentido que todo mundo ama essa dupla altamente improvável. Jude Law encaixou perfeitamente como um jovem Dumbledore. Ele traz a aura de sabedoria, calma e de quem sabe das coisas que o nosso amado diretor sempre teve. Sobre a relação do personagem com Gridelwald dá a entender que era mais no sentido amoroso do que de amizade, mas é tudo muito sutil. Acredita-se que mais para frente teremos o desenrolar disso.



Ezra Miller também está muito bem, ainda que o seu personagem não tenha tanto espaço nesse filme como no outro. Mas, pelo cliffhanger do final, fica claro que ele será muito mais explorado nos próximos. Zoe Kravitz tem um papel interessante, ainda que muito sobre a sua personagem não tenha sido muito explicado (como ela passou de namorada de Newt a noiva do seu irmão? Por que nunca se deu bem em Hogwarts, mas tem um papel fundamental no Ministério?). Suas cenas do terço final do filme são muitíssimo bem atuadas. E quer você goste ou não do Johnny Depp depois dos escândalos envolvendo seu divórcio, não podemos deixar de falar bem dele aqui. Grindelwald tinha tudo para ser mais um Jack Sparrow caricato, mas o autor deu espaço para o personagem ser quem precisava e isso é muito bom. Tudo bem que no título se fala dos crimes dele, mas pouco ele fez. Ele mais fala e faz discursos do que realmente cria o caos. Espero que nos próximos volumes ele realmente tenha um papel ativo, como foi tanto dito durante os livros de Harry Potter.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, como já era de se esperar, tem um visual espetacular. Os animais mágicos que aparecem, os cenários, a cena do cemitério, o circo francês, tudo isso é de encher os olhos. E esse foi um dos casos que valeu a pena assistir em 3D, já que em vários momentos as coisas “voam” da tela até o espectador. 



E para quem é fã de Harry Potter, o filme é um prato cheio de referências. Nicolas Flamel (Brontis Jodorowsky), o inventor da Pedra Filosofal aparece, assim como o próprio objeto que nomeia o primeiro livro de Harry Potter, também a professora Minerva MacGonagall (Fione Glascott), ainda que pela linha do tempo ela não teria nem nascido nessa época. Também encontramos o bicho papão na aula de Defesa Contra as Artes das Trevas, o espelho de Ojesed e muito mais.

Se não fosse o roteiro tão truncado e problemático, Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald seria um filme muito bom. Mas J. K. Rowling foi a roteirista e pelo que foi dito por aí ela não deixou que ninguém colocasse a mão no seu trabalho. Ninguém pode negar que ela é uma excelente escritora, um fenômeno na verdade, mas já como roteirista não podemos dizer o mesmo, infelizmente.


Recomendo.

Teca Machado


5 comentários:

  1. Oi Teca!
    Ainda não vi o filme, mas ainda estou animada!
    "É possível você gostar de uma coisa e ainda assim reconhecer que ela tem defeitos” essa frase se aplica muito a várias coisas que já li e vi, hahahah. Então, super entendo!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o primeiro filme e amei. Lógico que não chega aos pés da saga Harry Potter (para mim), mas gostei bastante. Não cheguei a ler, mas deve ser legal. Eu tenho andado bem enferrujada na leitura, sabe? Preciso priorizar tempo para isso. É bom ver o parecer de outras pessoas, porque fica mais fácil até para escolher a próxima leitura e entender de uma visão extra como é a dinâmica do livro.
    Beijos!! Borboletra

    ResponderExcluir
  3. ah eu amei tanto o primeiro filme e com certeza já quero ver esse!fiquei preocupada com esse roteiro problemático que vc indicou, mas mesmo assim estou bem animada pra ver

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Oi, Teca.
    Eu não assisti ao filme, mas não me senti atraída, pois não curto HP - julguem-me kkkkk.

    Tenha um ótimo dia.

    Abraços,
    Naty

    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir