sexta-feira, 27 de março de 2020

Daisy Jones & The Six - Resenha


Como falo com frequência, sigo o clube do livro da Reese Whiterspoon (@reesesbookclub), que todos os meses traz dicas de obras escritas por mulheres de todo mundo. E posso dizer que as indicações dela são maravilhosas. Uma das que mais me chamou a atenção no último ano foi Daisy Jones & The Six, da Taylor Jenkins Reid. Logo em seguida a Editora Paralela, do grupo Companhia das Letras, publicou a obra no Brasil e depois o outro livro da autora, Os Sete Maridos de Evelyn Hugo (resenha aqui), que eu li e digo que foi uma das melhores leituras de 2019. E esse ano finalmente consegui ler Daisy Jones & The Six. E posso dizer que fiquei completamente apaixonada e provavelmente será uma das melhores leituras de 2020.

Foto @casosacasoselivros

Daisy Jones & The Six: Uma História de Amor e Música, é exatamente o que diz o título. A banda foi a voz de uma geração nos anos 1970, encheu estádios e vendeu milhões de discos com músicas de rock que falavam fundo à alma. Daisy Jones era a personificação da garota descolada, linda e livre e The Six era o grupo do momento, com potencial para ser o maior de todos os tempos. Quando o caminho da cantora se cruza com a banda o resultado é explosivo, sucesso imediato. Mas após o show de 12 de julho de 1979 a banda se desfez em pleno auge, e ninguém nunca soube o porquê. Pelo menos até agora. Narrado por meio de entrevistas com todos da banda e com pessoas que fizeram parte da sua trajetória, podemos conhecer toda a história, do começo ao fim.

Algo que Taylor Jenkins Reid faz com maestria tanto em Daisy Jones & The Six quanto em Os Sete Maridos de Evelyn Hugo é falar de personagens fictícios de uma maneira que temos certeza de que são reais. Nos dois livros a todo momento eu tinha certeza de que estava lendo uma biografia, tão bem a autora constrói seu enredo. A vontade é jogar no Google para ver fotos de Daisy durante os shows, ver a capa dos discos, conhecer o rosto de todos os The Six, ouvir gravações das músicas tão incríveis. E aí você lembra – um pouco frustrado! - que não são pessoas que existiram. Poucos autores têm essa técnica tão aprimorada.

E por falar nos personagens, são extremamente bem elaborados. Como o livro é escrito em forma de entrevista, conhecemos cada um e os fatos de acordo como eles enxergaram a situação, então em vários momentos o mesmo fato tem duas ou três versões, o que deixa o enredo muito mais rico e diverso. Taylor Jenkins Reid não perde muito tempo descrevendo cenários, o que no fim das contas não faz diferença e deixa com que foquemos no que realmente importa: nas pessoas.

Taylor Jenkins Reid

“Os seis que deveriam ser sete.”

Apesar de todos da banda terem um papel fundamente na narrativa, os embates e sentimentos de Daisy e Billy, o vocalista do The Six, têm mais espaço. "Nós adoramos gente linda e destruída por dentro. E não dá para ser mais claramente destruída por dentro e ter uma beleza mais clássica que a Daisy Jones”. Essa é uma boa maneira de descrever ambos os protagonistas. Acredito que falar mais do que isso deles pode estragar a experiência de leitura de quem ainda não leu. Eles são complexos, ambíguos, bons, maus, talentosos, com defeitos, qualidades e muito mais. E o mesmo pode ser dito de Graham, Karen, Warren, Pete, Eddie e Camila, que apesar de não ser da banda é parte importante da trajetória deles. 

E um ponto importante é a força e a liberdade feminina, trazida por Daisy, Karen e Camila. Cada uma a sua maneira é empoderada e não deixa de fazer o que quer por causa do gênero. Uma das frases do livro exemplifica bem: "Os homens parecem achar que merecem um prêmio quando tratam as mulheres como seres humanos."

É bem claro a todo instante que a autora pesquisou muito o universo efervescente da música, principalmente do rock, nos anos 1970 e é uma mistura de realidade com ficção. E ao final do livro a autora disponibiliza a letra de todas as músicas da banda. E como participamos do processo criativo delas, ficamos morrendo de vontade de escutar. Gostaria que tivessem feito como em Talvez Um Dia, da Colleen Hoover, e As Cordas Mágicas, de Mitch Albom, em que as músicas foram gravadas e disponibilizadas no Spotify.


Descobri depois da leitura que a Reese Whiterspoon está produzindo para a Amazon Prime uma série de 13 episódios baseada no livro e já foram escalados Sam Claflin para viver Billy Dunne e Riley Keough como Daisy Jones. Ainda estamos sem maiores informações de datas, mas eu já estou quicando de ansiedade.

Daisy Jones & The Six é uma história de amor à música e pessoas quebradas, mas fortes. 

Recomendo demais!

Teca Machado

15 comentários:

  1. Menina, cada vez que venho aqui, sinto vontade de participar desse clube de leitura.
    Eu fiquei interessada nesse livro, porque ele fala de música e eu amo música! :D

    Já vou pôr na minha lista!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O clube de leitura dela é maravilhoso!
      Segue lá no instagram para você ver.
      :D

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi, Teca! Este livro que resenhastes é tudo de bom não é mesmo! Eu espero que a série seja tão boa quanto o livro. Amei a resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucianooo!
      Esse livro é incrível!
      Altas expectativas para a série.

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi, Teca
    Todas as resenhas que eu leio desse livro são boas, mas a história em si não me chamou atenção. Não tem nada de especial no enredo, somente a narrativa da autora, então não sei se leria.
    Beijo!
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mika!
      É aquele tipo de livro que a sinopse não faz justiça ao que ele é.
      Vale super a pena!

      Beijoooos

      Excluir
  4. Gostei bastante do artigo de hoje, sempre estou aqui acompanhando seu blog. Tenho aprendido muitas coisas legais aqui e te agradeço por compartilhar...

    Beijos 😘.

    Meu Blog: Samara Silva

    ResponderExcluir
  5. ja vi resenhas super positivas desse livro e com sua resenha fiquei ainda com mais vontade de ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  6. Oi Teca,
    Eu li primeiro 'Daisy Jones' e só agora estou lendo 'Evelyn Hugo', mas continuo apaixonada pela escrita da Taylor.
    Essa mulher sabe escrever de uma maneira envolvente e gostosa, né? Não consigo parar de ler nenhum dos livros dela, kkkkkk.
    E a série vai ser um belo acerto, não vejo a hora de lançar.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale!
      Siiiiim!
      A escrita dela é maravilhosa.
      Como a gente não se envolve com esses personagens maravilhosos, né?
      Mal posso esperar pela série!

      Beijooos

      Excluir
  7. Oiii Teca

    Da Taylor Jenkins li Em outra vida, talvez? e eu amei, amei, amei com todas as forças. A escrita dela é envolvente e as histórias nunca são mais do mesmo. Este semestre pretendo ler tanto Daisy Jones quanto o da Evelyn, que todo mundo só elogia e tenho certeza de que vou gostar muito porque essa autora me surpreendeu demais de primeira. Tomare que sigam publicando outros livros dela por aqui.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivy!
      Falam que esse dela é muito bom!
      Quero ler, principalmente porque esses outros dela são INCRÍVEIS!
      Você vai gostar!

      Beijooos

      Excluir