quarta-feira, 15 de agosto de 2018

A Barraca do Beijo – Filme - Crítica


O bonde dos atrasados passou e só essa semana consegui assistir o queridinho da Netflix A Barraca do Beijo, filme baseado no livro homônimo de Beth Reekles. E, sim, é bem adolescente, engraçadinho e fofo, como o título e o pôster da produção sugerem, e sim, eu adorei. Podemos dizer que é um prazer culposo.


Um dos pontos mais legais de A Barraca do Beijo é que o livro estourou um tempo atrás no Wattpad. E, pasmem, Beth Reekles tinha apenas 15 anos quando começou a publicar a história. É um dos livros de maior sucesso da plataforma e hoje também já foi muitíssimo assistido na Netflix.

Em A Barraca do Beijo, do diretor Vince Marcello, Lee Flynn (Joel Courtney) e Shelly Evans (Joey King) se conhecem a vida inteira. Eles inclusive nasceram no mesmo dia, na mesma hora e no mesmo hospital e suas mães eram melhores amigas há décadas. Então nada mais natural do que eles serem também melhores amigos, inseparáveis. Shelly sempre teve uma queda por Noah (Jacob Elordi), irmão mais velho de Lee, mas nunca levou isso para frente, já que havia uma regra entre eles de que parentes um do outro eram proibidos para namorar. Quando durante um festival da escola, Shelly e Noah se beijam na Barraca do Beijo, descobrem algo que sempre esteve guardado dentro de si mesmos, mas não podem levar isso adiante para não magoar Lee.



Todas as vezes que temos histórias sobre melhores amigos, de uma forma ou de outra eles terminam juntos, o que acaba propagando a premissa de que homens e mulheres não conseguem manter amizade sem pelo menos um deles nutrir sentimentos platônicos. Em A Barraca do Beijo isso não acontece. Lee e Shelly são realmente amigos e um fica feliz pelo outro quando há alguma conquista amorosa. A grande questão de que estando juntos eles magoariam Lee é porque há um pacto entre os amigos e quando ele é quebrado, mentiras passam a fazer parte de uma relação que sempre foi muito honesta.

Mesmo que o romance entre Shelly e Noah seja importante para o filme, porque ele faz parte do amadurecimento da protagonista, o mais importante ali é a amizade. Mais do que seu amor por Noah, a relação de uma vida inteira com Lee é o imprescindível para Shelly e eu adorei ver isso, encontrar amigos que são realmente amigos, irmãos, que cuidam um do outro com um carinho imenso.



Joey King é uma gracinha e em muitas vezes me lembrou a Rory Gilmore fisicamente. Ao mesmo tempo é forte e inocente, uma adolescente normal e somos convencidos disso em todas as cenas. Ela é divertida e nos diverte ao mesmo tempo que emociona. Joel Courtney também. A amizade e carinho entre ele e Joey parece que vai para fora da tela e é bem competente. Jacob Elordi é o mais fraco dos três – ainda que lindo! Suas habilidades de interpretação são bem medianas, mas a gente releva. A Barraca do Beijo não é uma história cheia de profundidade, ainda que tenha seus momentos mais intensos, por isso não é necessário exigir tanto dos atores. Senti que ficou faltando trabalhar melhor o personagem Noah, mas nesse caso foi culpa do roteiro. E o legal é que apesar de não terem a mesma idade de Shelly, Lee e Noah – 16 e 18 anos -, os três atores são bem jovens. Joey tem 19 anos, Jacob 21 e Joel 22 (Sim, o irmão “mais velho” é um ano mais novo que o caçula). Joey e Jacob estão namorando desde as filmagens. Segundo dizem, foi amor à primeira vista e até mesmo já falam em casamento. Fofo, né?

Para quem sabe um pouquinho de cinema dos anos 1980, vai perceber que a mãe dos garotos é Molly Ringwald, de O Clube dos Cinco e de A Garota de Rosa Shocking. E a música que cantam no baile, uma versão de Don’t You (Forget About Me), tocou no filme clássico de Molly. E em uma forma de homenagem, na cena da detenção os alunos no fundo da cena estão vestidos como os personagens de O Clube dos Cinco. 



O cenário do filme é bem bonito. Temos ali o melhor da Califórnia e do Hollywood Sign. Deu até vontade de conhecer! Que tal acessar esse link e pesquisar hotéis em Los Angeles para a sua próxima viagem?

A Barraca do Beijo é um filme bonitinho, que merece todo esse hype ao seu redor. Vale a pena assistir, principalmente se você gosta de produções adolescentes sobre crescimento e amadurecimento.

Para comprar o livro que deu origem ao filme, clique aqui:


Recomendo.

Teca Machado

9 comentários:

  1. Olá Teca,

    Eu adorei esse filme e já perdi a conta de quantas vezes eu assisti ele hehehe xD arrasou na resenha!!

    Um beijo,

    My Pure Style x My Instagram x My Facebook 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda!
      É fofo demais, né?
      Eu adorei!

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi, Teca!

    Sou doida por esses romances leves e curti o filme, mas confesso que não achei nada de tão extraordinário pra tantos comentários. Acho que o irmão mais velho por quem ela é apaixonada não me convenceu muito. Adorei a sua resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Eu achei bem legal, bem fofo, mas não entendi taaaaaaaaanto hype para ter feito tanto sucesso.
      É gracinha, mas gostei.

      Beijooo

      Excluir
  3. Eu assisti no dia que estreou e depois já assisti mais umas 15x (sério haha). Eu adorei! É aquele clichê, bem bobinho, mas bem gostosinho de assistir. Tb super recomendo!! Bjs

    www.mayaravieira.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro um clichê bobo!
      É bom para relaxar, né?

      Beijooos

      Excluir
  4. Oi, Teca
    Eu adoro esses filmes passíveis de passar na Sessão da Tarde. Não sei como teve gente que não curtiu, falou que o personagem do Noah era muito agressivo/machista e etc. Acho assim, que quando temos um enredo do tipo, que queira só nos divertir não dá pro espectador ficar exigindo muito dos personagens ou da obra. É um filme pra gente ver rapidinho, não pra ficar fazendo a gente refletir, e muita gente acaba não gostando porque não sabe diferenciar as duas coisas.
    Mesmo assim amei, culpada!
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
  5. Ouvi comentários bem positivos sobre esse filme, ainda não vi, mas ele já está na minha lista!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Teca!
    Menina, eu odiei demais esse filme. Acho que você viu minha crítica dele, então nem vou me alongar aqui haaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir