quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Nasce Uma Estrela - Crítica


Shallow, Music To My Eyes, Always Remember Us This Way, I’ll Never Love Again. Se você já assistiu Nasce Uma Estrela, com Lady Gaga e Bradley Cooper, sabe do que estou falando. Essas são (apenas algumas) músicas da trilha sonora desse filme incrível, que provavelmente veremos no Oscar 2019 em algumas categorias.


Quarto remake da história que foi contada pela primeira vez em 1937, recontada em 1954 e mais uma vez filmada em 1976, o enredo não tem nada de diferente ou espetacular. Mas a forma como Bradley Cooper, que além de um dos protagonistas é o diretor e assina o roteiro em conjunto com Eric Roth e outros, é íntima, real, delicada, sem medo de mostrar o universo dos personagens, assim como seus demônios pessoais.

Nasce Uma Estrela mostra a ascensão de Ally (Gaga), uma cantora que se apresenta em bares de drag queens e que se resignou ao fato de que sua aparência, principalmente seu nariz, não a levará ao estrelado, mesmo tendo um talento extraordinário. Até que Jackson Maine (Cooper), um cantor consagrado, mas com sérios problemas de bebida e drogas, a conhece e se encanta tanto pela garota quanto pela forma que canta. Com um relacionamento complicado e intenso, enquanto a carreira de um está começando a do outro está em queda.



Essa é a estreia de Cooper como diretor, mas isso não fica evidente em nenhum momento. O jogo de câmeras é inovador, os diálogos bem trabalhados, as músicas ótimas. Somos levados ao palco, sentimos a energia e emoção de quem está diante de milhares de fãs, assim como a sua paixão real pela música. O longa proporciona uma experiência intimista e muito pessoal de como é ser uma estrela.

O enredo não corre e acompanhamos o passo a passo de Ally e Jackson, ainda que nem tudo seja mostrado, com algumas coisas subentendidas. Os diálogos são interessantes e inteligentes e mesmo com todos os demônios que ele encara, o casal se entende e se completa num nível muito profundo de lealdade. A mudança que Ally vai sofrendo no meio do caminho é gradual e isso dói em Jackson, dói no público, dói em todos. Somos tão envolvidos naquele universo que compartilhamos com os personagens todas suas vitórias e dores.



Bradley Cooper está num nível de atuação nas alturas. Acredito que podemos esperar uma indicação pelo seu trabalho nas premiações do ano que vem. Sua postura melancólica, seu ar cansado e pesado, a voz mais arrastada e embargada de quem carrega o mundo nas costas mesmo que ele tenha sido deixado aos seus pés. E a gente fica mais impressionado ainda ao saber que o papel foi tão importante e difícil para ele porque o próprio foi viciado em bebida e drogas, mas está limpo desde os 29 anos. E é incrível como canta, toca e interpreta as músicas (sim, ele mesmo é quem canta e inclusive escreveu algumas delas). Quem diria que existe um senhor cantor dentro dele! Lendo sobre o filme, vi que Gaga incentivou que eles cantassem ao vivo durante as cenas, não dublassem as versões de estúdio. Não posso deixar de falar de Sam Elliott, como irmão de Jackson, que faz um papel típico da sua carreira, mas de forma intensa e que merece atenção.

E o que falar da Lady Gaga, minha gente? Quando aquela mulher abre a boca para cantar impossível não arrepiar todinha! Mais do que uma cantora, ela é realmente uma estrela. Vários momentos fiquei emocionada. Quando ela canta Shallow, no início tímida e vai crescendo no palco. Minha nossa, é incrível. Assim como a cena final, que nos deixa embasbacados. E eu li que a apresentação é ainda mais carregada dramaticamente porque poucas horas antes de filmar, uma amiga da cantora faleceu, então ela colocou todo o sentimento que tinha naquele momento tão intenso. Vemos no longa uma Gaga diferente da que estamos acostumadas. Ela está sem maquiagem nenhuma, com o cabelo na cor natural e sem os exageros aos quais estamos acostumados, então vemos seu talento cru e bruto.



Não sei se ela vai ser indicada como Melhor Atriz em 2019, mas com certeza podemos dizer que continuando assim ela vai ganhar uma estatueta mais cedo ou mais tarde (e eu tenho certeza que ela vai levar por Melhor Música por alguma da trilha sonora, o que irá reparar a injustiça de 2016 quando ela mereceu por Till It Happens To You e deram para o Sam Smith).

As cenas de show de Nasce Uma Estrela foram filmadas em festivais que aconteceram de verdade, então o público e toda animação não são computação gráfica, inclusive em alguns casos pediram que a plateia gritasse “Ally” para dar ainda mais veracidade. Uma delas foi no Choachella em 2017, onde Gaga se apresentou. É interessante que o público pagou apenas U$ 10 para assistir e tiveram os celulares confiscados para que nenhuma cena do filme caísse na mídia. Eles também estiveram no Glastonbury Festival, no palco do Saturday Night Live e num festival de country na Califórnia, onde espremeram uma apresentação de Cooper entre outras reais e filmaram numa tomada só de 10 minutos que entrou na íntegra no filme, que é a cena de abertura.

Nasce Uma Estrela é um filme que emociona, mexe com a gente e que merece uma ida ao cinema. Agora a playlist do filme está tocando em modo repeat no meu Spotify e sei que vai ficar assim uns bons meses (como foi com La La Land, O Rei do Show, Mamma Mia...).

Recomendo demais.

Teca Machado

P.S.: O cachorrinho que o casal tem no filme é realmente o cachorro de Bradley Cooper <3 

18 comentários:

  1. Oi, Teca!
    Assim.. Melhor atriz eu já acho demais porque eu achei a atuação da Gaga um pouco fraca em certos momentos, mas o Bradley está maravilhoso. E que voz esse homem tem, sem or!!!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Acho que ela vai concorrer de Melhor Música, com certeza.
      Melhor Atriz se forem beeeeeeeeeeeeeeeeeeem bondosos. Ela trabalha bem, mas não nível Oscar, como o Bradley.

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi Teca,
    Estou amando as críticas desse filme, muito feliz pela Gaga e pelo Bradley. Adoro os dois!
    A trilha sonora já me deixou viciada no filme mesmo sem ter visto haha.

    até mais,
    Nana e Leticia - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nana, se já amou a trilha, imagina depois de assistir?
      Não paro de ouvir.

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi, Teca
    Preciso muito conferir esse filme!Eu nem curto dramas mas estou ansiosa por causa das resenhas ótimas. Sinceramente amo o Cooper, mas nunca vi a Gaga em um filme, vai ser uma experiência bem diferente.
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mika, é lindoooooooooo!
      A Gaga sempre foi trilha sonora, nunca atriz, mas fez um trabalho muito bom.

      Beijooos

      Excluir
  4. Oii Teca.
    Estou acompanhando as críticas desse filme e só vejo positivas. Você me deixou ainda mais ansiosa para ver. Eu gosto de filmes musicais, mas estou louca para ver como é a Gaga como atriz.
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jessica!
      Ela trabalha muito bem, mas é quando canta que a gente fica deslumbrado.

      Beijooos

      Excluir
  5. Oi Teca, tudo bem?
    Amei esse filme, mas ele me devastou. Fiquei mal por dias hahaha!
    A curiosidade do cachorro eu sabia, mas a dos shows não! Que genial terem se apresentado de verdade, amei.
    No final, tá rolando lá no meu blog algumas dúvidas/debates sobre o empresário... algumas pessoas interpretaram que ele insinuou ter tido um caso com a Ally. Eu não interpretei desse modo. E você?
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Priscilla!
      Eu não fiquei devastada, porque sabia o final já. Uma amiga contou antes de eu assistir, acredita?
      Eu não interpretei que eles tinham um caso. Era bem profissional a relação deles para mim.

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi, Teca

    Esse não é um filme que assistirei no cinema. Primeiro, por ter implicância com a Gaga, acho-a extremamente over. Ok que aqui ela está diferente, mais introspectiva e etc, mas nosso santo não bate. A voz dela é linda, isso eu não nego. Já até ouvi a trilha sonora e está um arraso.
    Outra coisa que me deixa com o pé atrás é o fato de ser a quarta versão do filme... pra quê? Pra mim soa como caldo requentado.
    Achei bem bacana as curiosidades sobre as gravações em festivais reais e sobre o cachorro do Bradley.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami!
      Tem birra com a Gaga?
      Por que?
      Hahahaha
      Ah, é caldo requentado, mas é uma versão mais bem feita. Os outros são muito antigos.

      Beijooos

      Excluir
  7. Oi Teca,

    Não vi nenhum das outras versões do filme, mas fiquei curiosa para ver esse já que estão falando bastante do filme e dos protagonistas.
    Estou ouvindo playlist de música e adorando.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa playlist é maravilhosaaaaaaaaaa!
      E o filme também. Você vai adorar!

      Beijooos

      Excluir
  8. Oi Teca, sua linda, tudo bem?
    Gente, eu não sabia desse filme e fiquei toda arrepiada só lendo sua resenha. Deve ter sido emocionante essa cena dela cantando colocando todas as emoções da perda que sentia. Com certeza um grande filme que vale a pena ser visto. Adorei sua crítica.
    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse filme é demaaaaaaaais!
      Que bom que gostou.

      Beijooos

      Excluir
  9. Oie Teca =)

    Estou vendo muitas criticas positivas desse filme e como gosto bastante da Gaga espero poder assistir o filme no cinema.

    Confesso que até hoje não curti muito a atuação do Bradley, mas quem sabe com esse filme, a minha opinião não mude rs...

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ane!
      Jura? Eu gosto tanto dele!
      E ela trabalhou muito bem também.

      Beijooos

      Excluir