sábado, 9 de agosto de 2014

Robert Downey Jr nos anos 1990 – Só Você


Antes de voltar às graças de Hollywood, Robert Downey Jr. sofria com o terrível vício em drogas e ficou no limbo cinematográfico alguns anos. Mas, nesse meio tempo, fez uma das comédias românticas mais divertidas e adoráveis que eu já assisti: Só Você, de 1994, do diretor Norman Jewinson. Ainda bem que ele se reabilitou e hoje é o sucesso estrondoso que é, porque quando assisti pela primeira vez, há uns dez anos ou mais, fiquei encantada com aquele cara charmoso e engraçado com terríveis roupas dos anos 1990 que ainda não era o Homem de Ferro e era desconhecido do grande público.


Além de um excelente e jovem Robert Downey Jr., temos uma jovem e excelente Marisa Tomei com um péssimo corte de cabelo característico da década. Ela faz a protagonista com graça e sutileza, tanto que mesmo as suas maluquices não parecem tão absurdas. Os dois tiveram química na tela e fazem o espectador querer que eles fiquem juntos também na vida real.

Peter (Downey Jr.) e Faith (Tomei)
Em Só Você conhecemos Faith (Tomei), que acredita em destinos, em almas gêmeas, que estamos destinados à tampa da nossa panela. Quando criança, a brincadeira do copo diz a ela que o nome do amor da sua vida é um homem chamado Damon Bradley. Então, Faith passa anos procurando-o, até que desiste. Prestes a se casar com um médico, ela recebe uma ligação de um amigo do noivo, Damon Bradley, dizendo que não poderá comparecer na cerimônia porque está em Roma. Enlouquecida e sem saber mais nada sobre o cara que teoricamente é o dos seus sonhos, Faith arrasta Kate (Bonnie Hunt), sua cunhada, para a Itália.

Numa confusão típica de comédia romântica, Faith conhece Peter Wright (Downey Jr.), que passa a ajuda-la em sua busca frenética e sem grandes pistas. Alguém tem dúvida do que irá acontecer?

Situações absurdas e engraçadas têm como cenário a lindíssima e romântica Roma. Uma das melhores cenas é quando os personagens refazem uma sequência do filme A Princesa e o Plebeu (1953), com Audrey Hepburn e Gregory Peck, na Boca della Veritá, uma estátua do deus Tritão, onde diz a lenda que se a pessoa colocar a mão e contar uma mentira, o deus arranca fora o membro.

A cunhada Kate
Só Você é aquele tipo de filme otimista, que te deixa com um sorrisinho besta na cara quando termina, uma produção feel good. A principal lição que nos deixa é que de pode até existir destino, mas quem o molda somos nós.

O filme é antigo, mas tem muito mais alma e graça do que várias comédias românticas que encontramos hoje por aí.

Recomendo muito.

Teca Machado


Um comentário: