quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A Garota do Calendário - Março


Estamos de volta com a acompanhante de luxo Mia Saunders!

No terceiro volume da série A Garota do Calendário, de Audrey Carlan, publicada pela Verus Editora, temos, até o momento, o livro mais diferente da saga, porque o cliente em questão é gay.


Para quem não sabe sobre o que A Garota do Calendário trata, vai um resumão: Mia Saunders, uma garota de Las Vegas, se vê obrigada a trabalhar como acompanhante de luxo depois que seu pai pegou dinheiro emprestado com um agiota, não pagou e tomou uma surra que o deixou em coma. Para pagar a dívida de um milhão de dólares, ela precisa aceitar o emprego oferecido pela sua tia pelo tempo de um ano. Ela não é prostituta, mas se quiser dormir com os clientes, está livre para fazer isso e ganhar um bônus. Cada volume acompanha o cliente de um mês e o seu relacionamento com Mia. Comentei o livro de janeiro aqui e o de fevereiro aqui.

Em março encontramos Tony Fasano em Chicago. Herdeiro de uma cadeia de restaurantes, ex-lutador de boxe e único homem de uma tradicional família italiana, ele precisa ser o “macho alfa”. Mas desde a faculdade mantém um relacionamento com Hector, advogado da sua empresa e amigo de todos os Fasanos. Mia é contratada porque Tony precisa fingir para a família (e para a mídia) que tem uma noiva. Apesar de topar ajudar o casal, Mia sente que sua presença ali talvez possa mais atrapalhar o relacionamento deles do que ajudar, então decide se inserir no mundo deles da forma menos intrusiva possível.

Audrey Carlan
Os livros de A Garota do Calendário são assumidamente eróticos. Então o primeiro pensamento que temos em março é: como a Mia vai se “divertir” nesse volume se o cliente não se interessa por ela? A resposta vem na volta de um dos seus amores passados que tanto adoramos.

O melhor de março é que temos uma Mia mais contida e menos conteúdo sexual explícito, além um aprofundamento um pouco maior (pouco, porque esse livro é tudo, menos profundo) nas histórias de vida. Convenhamos, as aventuras da protagonista em fevereiro foram um tanto “demais” em questão de erotismo. O livro inteiro foi baseado apenas em sexo e agora damos uma respirada com um pouco mais de enredo propriamente dito.

Tony e Hector são ótimos personagens e é facílimo gostar deles. Eu me apaixonei! Principalmente por Hector, que é aquele amigo que todos gostariam de ter, já que é divertido e leal até debaixo d’água. Mia continua intempestiva, ousada e cheia de atitude, o que às vezes nos irrita e às vezes nos faz torcer alucinadamente por ela e por sua felicidade.

Como de costume nessa série, temos a narração em primeira pessoa por parte de Mia, o que nos dá uma visão bem clara da história e de seus sentimentos. A cada mês que passamos com ela é possível ver seu amadurecimento e crescimento para superar obstáculos. Esse é mais um livro curtinho para ser lido num dia ou dois.

Como sempre digo, não espere em A Garota do Calendário um livro profundo ou com conteúdo real, apenas entretenimento puro e simples.

Recomendo.

Teca Machado


6 comentários:

  1. Tudo na vida tem um por quem.
    ( do livro desaforismos de Georges Najjar Jr )

    ResponderExcluir
  2. Uma amiga minha ta lendo e ta devorando, pois os livros têm poucas páginas, né? O que é beeeem triste! Também quero ler! *.*

    Beijo, mariasabetudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiim, são pequenos, aí lê rapidinho.
      :D

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi, Teca!!

    Eu gosto muito dessa série porque depois ela dá uma super reviravolta e a história ganha outros focos muito legais.

    Me surpreendeu de certa forma porque achei que seria tudo sempre igual do mesmo, cliente novo, amor novo, amor velho e assim por diante.

    Mas a autora deu uma super viajada e você vai saber do que estou falando a partir agosto...

    Tenho que voltar a ler a versão em português para fazer as resenhas também! Hahaha

    Espero que continue gostando da série!

    Bjs!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, terminei junho e as coisas já começaram a remexer.
      Maio eu detestei, mas junho se redimiu.
      :D

      Beijooos

      Excluir