sexta-feira, 27 de abril de 2018

Quando Tudo Volta - Resenha


De vez em quando eu me sinto um etê por ter uma opinião contrária a de todo mundo sobre um livro.

Quando Tudo Volta, de John Corey Whaley, da Editora Novo Conceito, foi uma obra que quando eu terminei fiquei olhando para ela pensando: “Ahn?”. Comprei há um tempo porque vi várias pessoas elogiando e depois de ler Outlander, que é sempre uma leitura intensa e que me deixa exausta, no melhor sentido, queria algo mais leve, mais “real”. Achei que podia ser a escolha certa. Mas não foi. E depois de ter terminado, pesquisei em vários blogs se as pessoas realmente tinham gostado e quase todas as resenhas que vi foram positivas.

Fotos instagram @casosacasoselivros

Não sei se eu não entendi bem ou o que aconteceu, mas uma história que podia ser interessante não foi. Não me conectei aos personagens e achei uma embromação sem fim várias partes. Claro que não foi de todo ruim, o autor conectou enredos distintos numa só numa trama com desfecho até surpreendente, mas foi para mim a única coisa que salvou.

Em Quando Tudo Volta, Cullen é um rapaz de 17 anos meio apático, sem grande popularidade que é confrontado de repente com o desaparecimento do irmão mais novo, um menino doce, inteligente, de quem todo mundo gostava. Enquanto tenta lidar com isso, com a tia que acabou de perder o filho por overdose, com os pais que estão sofrendo com a tragédia e com sua imaginação que transforma todo mundo em zumbi, toda sua pequena cidade volta os olhos para o suposto reaparecimento de um pica-pau que está em extinção há 60 anos.

John Corey Whaley
No meio da leitura, Cullen começava a imaginar realidades alternativas, principalmente sobre zumbis, e isso se estendia por páginas e páginas, o que me cansou muito. Fora que sempre teve um tom pessimista, meio que “nada na vida vai ter jeito”. Ele tem um humor meio negro, meio ácido, que apesar de eu gostar não me convenceu. Não foi um personagem cativante, ao contrário de Lucas, seu melhor amigo, que realmente viveu junto a ele toda a dor de perder o irmão.

A história do pica-pau é meio sem pé e nem cabeça e para mim só estava lá para deixar o livro um pouco mais longo (graças a Deus ele é curto e eu li em dois dias), porque essa trama não tem realmente uma importância para o decorrer da história.

O que foi interessante é que temos os capítulos alternados entre Cullen e uma história paralela sobre um fanático religioso, que de início não parece ter nada a ver com o enredo principal, mas que lá pelo meio da obra se junta de uma maneira bem inteligente. Sendo bem sincera, para mim esses foram os melhores capítulos, porque realmente não gostei do Cullen e suas divagações. 

Apesar do final ter sido levemente aberto – apenas uma frase na última página dá a entender um desfecho, mesmo que sem muitas respostas – o fim foi a salvação da obra para mim, que me fez acreditar que não tinha realmente desperdiçado todo meu tempo na leitura.

De todo modo, não é um livro que funcionou para mim.

Não recomendo.

Teca Machado


14 comentários:

  1. Oi, Teca!
    Esse livro tem cara de ser um fumado não muito legal.. acho que vou passar dessa vez.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, é bem isso mesmo: um fumado não muito legal.
      Eu não fumei para ler, aí fiquei com essa cara de tonta.

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi Teca, quando só o fim salva é pq não salva tanto assim, né? rs Eu te entendo pq de modo geral eu nunca gosto muito dos livros da moda rsrsrrsrs, a não ser os de época, esses geralmente eu curto, mas acontece, ás vezes não funciona mesmo!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!
      Não salvou mesmo.
      Eu gosto de livros da moda, mas esse a moda já passou faz horas e é ruim, hahaha.

      Beijoos

      Excluir
  3. Oi Teca!
    Não tem história nem desfecho surpreendente que se salve quando a gente não se conecta aos personagens. Que pena que isso aconteceu com essa leitura.
    Eu também me sinto um ET quando todo mundo gosta de um livro que me faz ficar "ahn?" ou, pior ainda, quando todo mundo se rasga em elogios e eu acho o livro péssimo. Mas é assim mesmo....cada leitor lê com a sua bagagem...funciona para alguns, mas não para outros.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari.
      Nossa, foi muito o caso
      Não salvou, não.
      Essa é a graça da literatura, tem para todos os gostos, né?
      :)

      Beijooos

      Excluir
  4. Hey Teca! Como vai?
    Também acho muito estranho quando não gostamos de um livro que TODO MUNDO elogia horrores... Aconteceu comigo quando fui fazer a resenha de 'Transformada', alguns anos atrás, um livro que achei simplesmente péssimo e um desperdício de papel.
    Essa coisa do personagem divaga demais realmente é um pecado, por que nos faz pegar um "ranço" básico do livro todo. Quando isso acontece, não consigo prestar atenção em mais nada da história e qualquer coisinha me distrai durante a leitura. Talvez eu tente lê-lo um dia, para tirar minhas próprias conclusões - embora a premissa em si não me atraia em nada.

    Beijos,
    www.nerdabsoluta.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sarah!
      Acontece que muita gente elogia sem ter gostado só para fazer média com a editora.
      Aí não é bacana, né?
      Peguei ranço total dessa leitura.

      Beijooos

      Excluir
  5. Oi, Teca!

    Que pena que a leitura não foi proveitosa! Já tinha ouvido falar do livro, mas não havia me interessado. Imagino que essa forma negativa do protagonista pensar, além de viajar na batatinha, deva ser por sua personalidade ou pela realidade que vive, onde é meio isolado e tudo mais, mas ainda assim, é difícil gostar da história quando não nos conectamos com o protagonista. Adorei a sua sinceridade!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, a conexão com ele foi zero.
      Gostei mesmo não.
      E eu acho que nosso papel é ser sincero sobre livros, porque eu várias vezes li livros que alguém indicou e eram HORRÍVEIS! Não de história chata, mas de construção de enredo, de ortografia, de construção de personagem...

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi
    só vi resenha positiva até agora dele e pelo que falou a história parece ser meio confuso, pena que se decepcionou com a leitura desse livro que nem se conectou com o principal.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise!
      Vi muito poucas resenhas negativas dele, mas se eu não gostei, preciso ser sincera, né?
      :)

      Beijooos

      Excluir
  7. que pena que vc nao gostou dessa leitura; mas acho que acontece sim de td mundo estar lendo um livro, vendo um filme/serie que tá fazendo sucesso, td mundo gosta, e a gente não gostar....

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece, né?
      Sorte que o livro era curtinho, hahaha.

      Beijooos

      Excluir