sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Mais Lindo Que a Lua - Resenha


Que a Julia Quinn é a musa literária de muita gente, todos nós sabemos. Difícil é encontrar alguém que não se apaixonou pelos Bridgertons (eu, por exemplo, ainda não consigo saber qual dos irmãos e seus cônjuges eu gosto mais). Mas Mais Lindo Que a Lua, primeiro volume da duologia Irmãs Lyndon, publicado pela Editora Arqueiro, não teve uma aceitação tão boa assim e foi criticado por muita gente.

Foto @casosacasoselivros

Em Mais Lindo Que a Lua, Robert, o conde de Macclesfield, e Victoria Lyndon, a filha do vigário, se apaixonam perdidamente à primeira vista. Depois de semanas intensas e incríveis, que os marcou profundamente, fazem planos para fugir e se casarem. Mas os pais de ambos, contra a união, dão um jeito de separar o casal. Sete anos depois, por acaso Robert e Victoria se reencontram. Todo aquele sentimento que nutriam ainda está ali, mas também as mágoas e ressentimentos que esses anos tiveram sobre eles.

A primeira metade da história é doce, sensível e te deixa com um sorriso nos lábios. Ver Victoria e Robert se apaixonarem é lindo, assim como o reencontro deles e a reconexão. Mas então chegamos na página cento e pouco e ao olhar para o livro vemos que ainda tem metade da história, quando tudo parecia que já se encaminhava para o final. E é aí que o negócio desanda, o que deixou muita gente por aí irritada.

Julia Quinn
Não vou dar spoilers do que acontece, claro, mas a reviravolta encontrada por Julia Quinn não foi das melhores. A impressão que tive foi a de que o livro precisava ficar mais longo e ter mais ou menos o mesmo tamanho de todos os outros que já escreveu, então colocou um plot twist que não foi bacana e que fez Robert cair muito no conceito dos leitores, principalmente das mulheres.

Amor à primeira vista é um dos assuntos mais explorados em literatura, cinema e séries, mas ao tentar inovar e dar uma nova cara ao tema, Julia Quinn perdeu um pouco a mão. E é triste falar isso, porque eu amo a autora, mas é verdade.

Mas um ponto interessante desse livro é que antes de a história começar, a autora nos diz que não acredita em amor à primeira vista, o que parece um pouco ilógico vindo da mulher que escreve romances o dia todo. Mas decidiu dar uma chance ao tema e realmente acreditou, desde a primeira página, que Robert e Victoria realmente se apaixonaram instantaneamente. E é fofo ela falar assim, como se eles realmente fossem pessoas reais, que ela conheceu.

Mais Lindo Que a Lua não é ruim, principalmente se levarmos em conta a primeira metade do livro, que é recheada da magia Quinn da qual estamos tão acostumados. É só que não é a melhor obra dela, então não vá com muita sede ao pote. Pesquisando sobre ele, descobri que foi escrito em 1997, 13 anos antes da autora iniciar a série dos Bridgertons, então percebemos que houve uma melhora surpreendente na sua maneira de contar histórias. Só que tudo o que amamos na escritora – sua escrita ágil, sua maneira de nos fazer amar e compreender os personagens, o humor sempre presente, sem tirar o peso dramático – está ali, então vale a pena a leitura.

O segundo volume, já publicado no Brasil pela Editora Arqueiro, é Mais Forte Que o Sol, que tem como protagonista Ellie, a irmã de Victoria que já conhecemos e amamos em Mais Lindo Que a Lua.

Recomendo.

Teca Machado


6 comentários:

  1. Poxa Teca
    Pra te falar a verdade eu achie que Os Bridgertons começou mt bem e desandou durante alguns livros, apesar de dar aquele gás em Hyacinth novamente
    Qual será que foi a reviravolta que ela fez pra poder dar uma chance ao casal?Acho que daria uma chance ao livro, mas nao é o primeiro na minha lista por enquanto...
    mas adoramos uma julia quinn <3
    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pâm!
      Não é o melhor da Quinn, mas tem toda magia dela que amamos.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi, Teca!
    Sabe que nunca li nenhum livro dela. :O
    Esse lance de primeiros livros é complicado porque nem sempre eles refletem a escrita madura do autor. Ainda mais naquela época da década de 90, em que as pessoas ainda não tinham a praticidade de escrever e publicar na internet para receber feedbacks e ir desenvolvendo a escrita.

    Gostei de conhecer o seu blog, a autora e a sinceridade da sua resenha!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda!
      É bem isso mesmo, né?
      Que bom que gostou do blog e da sinceridade.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  3. Amiga, li esse livro tem um tempinho. Com certeza não é um dos melhores livros dela, porém, é o que você falou algumas características encontramos (que mais amamos) sim nessa leitura. Então, vale a pena! E algumas atitudes dos dois, me irritaram muito hahaha! Mas sabe um que mega vale? "Como agarrar um herdeira". Já leu? É da Julia Diva também! ♥

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, friend!
      Sim, várias coisas me irritaram, hahaha.
      Mas, no fim das contas, é fofinho.
      :D
      Esse eu não li ainda, mas quero muito!

      Beijooos

      Excluir