quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Birdman – Um Oscar meio superestimado


Birdman (Ou A Inesperada Virtude da Ignorância) pode até ter ganhado o Oscar de Melhor Filme esse ano e de Melhor Diretor para Alejandro González Iñárritu, mas não ganhou meu coração. Uma palavra que tenho usado para descrevê-lo é esquisito. Bizarro também. A impressão que tive é que foi um filme de diretor para diretor, do estilo que pessoas cults – ou que se fazem de cult – adoram. Bom, eu não.


Não estou dizendo que o filme é ruim ou chato. Longe de mim. Só não fez a minha cabeça ou criou em mim aquela comoção geral que temos visto. Não nego que ele é inquietante, inovador e que fala de um tema que todo mundo gosta: o showbussiness. Vi alguns comentários por aí dizendo que ele só ganhou o Oscar porque a Academia e as pessoas que votam são egocêntricas e adoram filmes sobre si mesmas. Achei maldade (Mas com um fundinho de realidade).

Em Birdman vemos a história de Riggan Thomson (Michael Keaton), um ator que na juventude interpretou um super-herói chamado Birdman. Ao se recusar a fazer o filme três da franquia. acabou decaindo na carreira e agora, na meia idade, tenta se reerguer com uma peça de teatro psicológica, densa e profunda. Temos aí um homem marcado pela fama, pelo ostracismo, por problemas psicológicos e por dramas familiares. Birdman, o personagem fictício, conversa com Riggan em sua mente, o que o deixa fora do eixo.



Michael Keaton, não há dúvida, se entregou ao papel. Principalmente porque o filme é quase a história da sua vida. Depois que não quis mais ser o Batman, se tornou um ator de segunda categoria, poucas vezes lembrado. E tanto ele quanto o diretor e o roteiro brincam com isso o tempo todo. Birdman tem aquela voz rouca e grossa do Batman, ele fala que em 1992 fez o último Birdman, mesmo ano que Keaton interpretou o Cavalheiro das Trevas pela última vez. Coincidência? Só que não. Se Eddie Redmayne não tivesse feito um trabalho tão incrível e maravilhoso em A Teoria de Tudo (Comentei aqui), com certeza Keaton tinha levado o Oscar. Ele ficou com o Globo de Ouro, menos mal.

E não só Keaton está sensacional, tanto que o resto do elenco concorreu ao Oscar (Mas ninguém levou). Edward Northon, no papel de Mike, é um ator com uma carreira muito mais estável do que a de Riggs, o queridinho da crítica. Ele também basicamente interpreta a si mesmo e, convenhamos, está ótimo, maluco e despirocado. A cena em que ele de cueca briga aos tapas com Riggs é impagável. Emma Stone, aquela linda, também se destaca como Sam, a problemática filha em reabilitação do protagonista. Zach Galifianakis, de Se Beber Não Case, por incrível que pareça está num papel mais sério, quase não o reconheci.



Birdman choca com o seu estilo de filmagem. Ele foi montado como uma peça de teatro, sem cortes bruscos entre as cenas. A câmera acompanha os personagens o tempo todo, quase como alguém correndo atrás das pessoas. E a trilha sonora, pontuada principalmente por uma batida de jazz em bateria como numa orquestra de teatro, intensifica os momentos de tensão.

Considerado um filme de humor, Birdman está mais para humor negro. A obscuridade psicológica de Riggan é intensa, é pesada. Não é um filme de fazer rir, a não ser na ótima cena em que o protagonista fica preso fora do teatro só de cueca e com uma peruca na mão. O filme todo vale por essa sequência.


A dúvida que fica é: Com essa peça artisticamente densa, Riggan queria fazer algo por si próprio ou pela arte, como tanto pregava? Ele queria apenas acabar com o estereótipo de ator de filmes blockbusters ou realmente era um ator mais profundo?

Vale, sim, a pena assistir, mas tenha em mente que é mais superestimado do que realmente incrível.

Recomendo.

Teca Machado


12 comentários:

  1. Ótima resenha.
    Fiquei com vontade de assistir.
    Apesar que desses filmes de Oscar, quase nunca assisto um... rs
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é estranho, mas vale a pena assistir.
      :D

      Beijooos

      Excluir
  2. eu gostei bastante do filme, acho que esse ano nao houve um grande destaque e entre os filmes mornos que estavam concorrendo esse foi mesmo o melhorzinho

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei e não gostei.
      Não me decidi ainda, haha.

      Beijooos

      Excluir
  3. Eu achei a proposta do filme bem bacana, mas não chego a ter interesse de ver esse filme. Tem tantos outros melhores e legais que acabo esquecendo desse. Porém, espero ver um dia, quem sabe!
    Beijos,

    http://our-constellations.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, é mais uma proposta interessante do que realmente legal.
      Veja num dia que não tive mais o que fazer, hehe.

      Beijooos

      Excluir
  4. Oi querida,
    Tudo bom? Esta desculpada pois também não estive muito por aqui...kkk...já estou te seguindo sempre que puder dou uma passadinha por aqui. Adorei a postagem fiquei sabendo do filme mas não sabia do que se tratava até achei interessante mas não sei se para levar o oscar...bom assistirei para tirar minhas conclusões;...kkkk
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Raquel!
      :D

      É interessante, mas não tanto para Oscar.
      Esse é o tcham da coisa.

      Beijooos

      Excluir
  5. Oi! Nossa, estou super desatualizada. Ando estudando tanto que nem sabia desse filme. Muito bom você ter compartilhado hahaha
    O filme parece bem diferente mesmo mas achei interessante isso de a câmera acompanhar os atores, fiquei curiosa para conferir. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como se fosse um filme sem cortes, diretão.
      Como um teatro.

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi Teca!

    Eu assisti Birdman no cinema com minha mãe. Ela gostou bastante e eu gostei médio. O filme tem uma boa premissa, um estilo legal de filmagem como você mesma comentou no post, ótimos atores e as atuações estão muito boas também, isso não posso negar. Mas, como nem tudo são flores... Eu achei o filme cansativo psicolocamente falando... Do meio para o fim eu pensei em vários momentos: "ta, agora acaba é? por favor", tamanha agonia do personagem, e um pouco de enrolação. É um filme cult, e não vou dizer que é excelente a ponto de levar o melhor filme.. É bom sim, daria uma nota 7 levando tudo em consideração... Mas não sei se ganharia de outros concorrentes!
    De forma geral, recomendo que assistam em casa, por ser algo diferente, e façam algumas pausas p comer e tudo assim não fica cansativo hasuhauhsuha

    Gostei da resenha, transmitiu o que senti também, pelo filme

    Beijo!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caah, você descreveu tudo muito bem.
      É um filme bom, claro, e também daria uma nota tipo 7, mas não é o melhor, meu preferido, mais legal.
      Também achei denso, pesado. Quase me senti mal de verdade pelos personagens.

      Beijooos

      Excluir