terça-feira, 6 de setembro de 2016

Essa Luz Tão Brilhante – Uma luz no fim do túnel


Você acha que tem problemas? É porque você ainda não conheceu Lucille Bennet, a protagonista de Essa Luz Tão Brilhante, de Estelle Laure. Essa obra young adult, que recebi em parceria com a Editora Arqueiro, fala sim sobre os dramas adolescentes, afinal, a personagem tem apenas 17 anos. Só que tudo fica muito mais profundo por causa da situação familiar caótica em que se encontra. Muito mais do que um livro de uma jovem que se vê apaixonada pelo amigo de uma vida toda, essa obra fala sobre crescer, confiar, ter responsabilidades e lidar com as consequências dos atos de outras pessoas.

Livro recebido em parceria com a Editora Arqueiro

Com apenas 17 anos, Lucille se viu sozinha. Aliás, sozinha não, com a irmãzinha de 9 anos, Wren. Seu pai há alguns meses teve um surto psicótico e foi internado numa clínica psiquiátrica. Como se isso já não fosse ruim o bastante, todo mundo da cidade soube e ele não quis nem contar para a família para aonde foi. Um tempo depois, a mãe não aguentou o tranco e foi embora. Ela deixou a filha adolescente cuidando da filha criança. Não dá notícias, não manda dinheiro e nem parece se importar ou em voltar. Cabe, então, a Lucille dar um jeito de que Wren e ela possam sobreviver esse tempo sozinhas.

Lucille tenta aparentar para os vizinhos que a mãe está em casa, porque corre o risco de perder a guarda da irmã. Pelo menos ela conta com a ajuda de Eden, sua melhor amiga, e Digby, o irmão gêmeo dela por quem Lucille tem uma paixão com a intensidade de um trem desgovernado, mas que é comprometido desde sempre com a mesma menina.


Essa Luz Tão Brilhante mostra que mesmo quando você atinge o fundo do poço, há uma luz tão brilhante que pode te tirar de lá. Coisas maravilhosas podem acontecer nos piores momentos e você entende que, mesmo que a sua família de sangue não esteja por perto, há muitas pessoas que o querem bem e que dão o máximo delas para que você fique feliz. Lucille precisa aprender essa lição, por mais que doa.

Estelle Laure escreve de forma leve e divertida, mesmo que o tema do livro seja um tanto sofrido, o de abandono. Apesar do tanto de desgraças que acontecem com a protagonista, o tom do livro é de superação, não mimimi, mesmo que Lucille tenha os seus momentos de autopiedade, o que é mais do que normal (eu mesma faria um zilhão de mimimis a mais).

Estelle Laure
A construção dos personagens foi bem bacana, principalmente Lucille, que narra o livro em primeira pessoa. Wren, Eden e Digby são sempre vistos pelos seus olhos, mas mesmo assim conseguimos compreender quem são e qual a essência deles. Algo que achei interessante é que os pais das garotas não são demonizados pela autora. Estelle Laure poderia trucida-los, mas não. Lucille e Wren tem todos os motivos do mundo para odiá-los, mas, de certo modo, tudo o que querem é que eles voltem e a família seja consertada, que os dias tristes sejam deixados para trás. As meninas parecem entender que, de certo modo, os dois estavam doentes, os dois tiveram um surto, cada um a sua maneira.

Essa Luz Tão Brilhante é doce, é delicado, é frágil e é muito focado em amizade. Eden é o porto seguro de Lucille, quem está sempre lá por ela. E Digby, mesmo que paixão avassaladora da protagonista, também é um amigo do tipo mais fiel. Mesmo com o romance, o foco do livro é essa amizade que move montanhas. A autora aborda também perdão, sacrifício, amor incondicional e relações familiares quebradas e as extremamente fortes.

A leitura foi muito rápida, de um dia para o outro, e há três motivos para isso: o enredo que te prende, a escrita fluida da autora e a pouca quantidade de páginas, apenas 200. Esse livro é uma boa opção para ser lido em feriados, no fim de semana e mesmo em viagens.


O final foi um tanto aberto, sem resolução de vários problemas, mas a autora já avisou que em breve a continuação será lançada. Ainda sem título em português e sem maiores informações do enredo, o nome é But Then I Came Back.

Recomendo.

Teca Machado

11 comentários:

  1. Oiii Tecaaa!

    Pô gostei bastante bastante da temática do livro. Sou fã de YA e não resisto quando o autor trabalha uma problemática desse gênero.
    Gostei muito da capa também.
    Se um dia eu resolver ler já tenho até o marcador! haha

    Beeijoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também sou fã, Raíssa!
      Talvez seja um dos meus gêneros preferidos.
      <3
      Que bom que gostou do livro.

      Beijooos

      Excluir
  2. Amei essa leitura.
    Comprei porque gostei da capa, nem sabia sobre o que era e, no fim das contas foi tão lindo!
    Mil coraçõezinhos para ele.

    Beijos, Meg's Army Book Club.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meg's, fico feliz que tenha gostado!
      Eu também adorei.
      Essa capa é muito amorzinha mesmo.

      Beijoos

      Excluir
  3. Parece muito interessante! Fiquei com vontade de ler! ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafa, então não perca tempo!
      Leia logo! É lindo!

      Beijooos

      Excluir
  4. Friend, também li rapidinho esse livro! <3 A Lu (íntima hahaha) dá um tapa na cara da gente, né? Que força!! Não sei se teria essa atitude toda. E realmente, a autora poderia fazer de tudo para acabar com os pais e não. Todo mundo tem a fase ruim, né? Por mais triste que seja... Acho que o segundo livro vai trazer muitas coisas (boas, espero).

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu também sou íntima e chamo de Lu, hahaha.
      Estamos curiosas pelo segundo, né?
      :D

      Beijooos

      Excluir
  5. Não sou de ler romance, você sabe, mas fico feliz que você tenha gostado. Acho que vou comprar para a minha irmã de aniversário.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então eu acho que a sua irmã vai gostar muito!
      :D

      Beijooos

      Excluir
  6. O livro parece bem legal Teca!
    Adoro livros de leitura rápida, me dão a sensação de produtividade... rs
    Ótima resenha!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir