terça-feira, 10 de outubro de 2017

Fuller House – 3ª temporada


Com um sorriso no rosto. 

Foi assim que eu fiquei durante quase todo o tempo dos 9 episódios da primeira parte da terceira temporada de Fuller House, série derivada de Full House, sucesso dos anos 1980 e 1990 e que ganhou novas temporadas na Netflix.


Veja aqui a resenha sobre a primeira temporada e aqui sobre a segunda.

Esses 9 episódios foram muito divertidos de acompanhar, já começando nos primeiros minutos, quando o Max (Elias Harger) começa o verão com uma animada música chamada Best Summer Ever em que todo elenco participa. Mas, não se preocupe, não é um musical, é apenas um sonho do garoto, e talvez o melhor verão da vida não seja tão bom assim, principalmente para Jackson (Michael Campion), seu irmão mais velho, que ficou de recuperação.

Best Summer Ever

O trio principal – The Wolf Pack – que conta com DJ (Candance Cameron Bure), Stephanie (Jodie Sweetin) e Kimmy (Andrea Barber) está mais alinhado do que nunca e com várias tiradas maravilhosas. As três mulheres tem personalidades muito opostas, mas que se completam numa relação de irmandade pouco vista por aí, e isso é muito visível em cena.

Todo elenco de Fuller House é ótimo, do trio de mulheres a todos os filhos e namorados, mas Juan Pablo de Pace, no papel de Fernando, marido e ao mesmo tempo ex-marido de Kimmy, sempre que aparece rouba a cena. Ele foi responsável por me fazer rir várias vezes e eu sou apaixonada pelo seu sotaque tão terrível.




Nessa terceira temporada o roteiro está olhando para o presente e para o futuro. Nas temporadas passadas, principalmente na primeira, foi preciso explicar para o público o que aconteceu nos últimos quase 30 anos que se passaram e como os personagens foram moldados pelas situações vividas. Agora eles podem seguir em frente. DJ está construindo uma relação muito divertida e doce com Matt (John Brotherton) – e eu sou Team Matt até o fim, Kimmy está num processo de restauração do casamento com Fernando, Stephanie precisa decidir se tentará um filho, mesmo tendo descoberto que é estéril, Jackson e Ramona (Soni Bringas) estão crescendo, descobrindo como ser adolescente e como ter o coração partido, Max, com seu maravilhoso senso de estilo, enxerga que a vida não é só um mar de flores e o bebê Tommy (Dashiell e Tommy Messitt) é cada dia mais fofo <3.

Apesar das aparições esporádicas, principalmente nos últimos episódios, os atores de Full House sempre brilham quando aparecem. Quem não ama o tio Jesse (John Stamos) ou não se emocionou com o recente divórcio de Danny Tanner (Bob Saget)? Por falar no Bob Saget, sempre que ele aparece eu só consigo pensar na voz dele narrando How I Met Your Mother durante nove temporadas!




O humor de Fuller House é nostálgico, por isso talvez não seja para todo mundo. Como disse quando resenhei a primeira e a segunda temporada, a série é um sitcom americana, no melhor estilo clichê e muito baseado na versão antiga (mas você não precisa assistir Full House para assistir essa, apesar de que é bacana pelo menos saber do que se tratava a outra). Eu sempre rio bastante e não tem um episódio que eu não goste.

A temporada foi dividida em duas partes, com nove episódios cada. A primeira foi lançada dia 22 de setembro, data que marcou os 30 anos de estreia de Full House. E a segunda deve ser liberada ainda esse ano – graças a Deus, porque terminou com um cliffhanger de matar a gente do coração!




Fuller House continua divertido, fofo, cheio de amor e recheado de abraços, sorrisos e família. Talvez seja a temporada que eu mais gostei até agora. É para assistir e deixar o coração quentinho de amor.

Recomendo muito.

Teca Machado

2 comentários:

  1. eu amava o full house original , vou dar uma chance de assistir esse e ver oq eu acho ;)

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oi, Teca.
    Uau, ameiii!
    Irei assistir esse fim de semana e espero amar!
    Beijos,
    Keth.
    Blog: www.parbataibooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir