sexta-feira, 20 de julho de 2018

Mais Que Amigos - Resenha


Há algumas histórias que você sabe que são clichês, que você sabe que são fofas e que você sabe que vão ter um final feliz, e mesmo assim entra de bom grado nelas. É o caso de Mais Que Amigos, de Lauren Layne, que recebi de cortesia da Editora Paralela, do grupo Companhia das Letras. E foi uma experiência muito gostosa e leve.

Foto: @casosacasoselivros

Algumas pessoas torcem o nariz para os new adults ou chick-lits, acham que sempre é mais do mesmo. Mas quando o autor sabe explorar bem uma história que é clichê, tudo muda. E esse foi o caso. Mais Que Amigos fala sobre a amizade entre homem e mulher que vira algo mais, mas é tão natural, tão orgânico, tão maduro, que você se sente ali com os personagens, torcendo para que eles se acertem e a gente possa ficar feliz junto.

Em Mais Que Amigos, Ben e Parker são melhores amigos. Mas, só isso, sem nenhum dos lados viver uma relação platônica apaixonada. Há seis anos se conhecem, tem uma relação quase de irmãos, e moram juntos. Por mais que ninguém acredite que seja só amizade, eles não ligam. O que eles têm juntos é muito mais importante do que qualquer opinião. Mas Parker, que namorava há cinco anos e achava que iria casar, do nada leva um fora. Mesmo chateada, ela decide seguir em frente, quer viver um pouco mais livre como Ben, que a cada noite conquista uma mulher diferente. E para isso ela pede ajuda do melhor amigo. Até que eles chegam a conclusão de que se como amigos já são incríveis, como algo mais podem ser melhores ainda.

Lauren Layne
Lauren Layne foi muito feliz na construção dos seus personagens. Parker e Ben são ótimos em todos os sentidos, tanto individualmente, quanto juntos como amigos e como amigos que dormem juntos. Parker é madura e segura de si. Ela não precisa de um homem para validá-la, ela apenas quer se divertir um pouco. E é interessante que ela deixa isso muito claro, não se julga e não se retrai por culpa. Ela tem todo um cuidado com a sua amizade com Ben, nunca deixando que ela se abale por nada. E Ben, minha, gente, que homem! É mulherengo, é pegador, mas é uma pessoa incrível, que cuida daqueles de quem gosta, principalmente de Parker. Ele a respeita, sempre joga limpo com ela, afinal, mais do que sua peguete, ela é sua melhor amiga – e isso está acima de qualquer coisa. Me apaixonei por eles desde as primeiras páginas e torci muito por sua felicidade (juntos de preferência).

A maioria dos new/young adults que lemos são recheados de dramas sérios e pesados (alô, Colleen Hoover e Brittainy C. Chery, suas destruidoras), mas aqui é uma história leve. Tem seus momentos de dramas entre os protagonistas, mas nada muito esmagador. Os conflitos emocionais que aparecem são esperados (“como assim eu me apaixonei pela minha melhor amiga?”). Durante a leitura em momento nenhum fiquei deprimida, pelo contrário, dava sorrisos com frequência, principalmente durante as interações e diálogos entre Ben e Parker. E isso é bom, afinal, é um livro que se propõe a ser fofo, divertido e para espairecer. E o mais legal é que tudo acontece de forma muito natural, nem um pouco forçada, e vemos o amor aparecer aos poucos, no apaixonando ao mesmo tempo.

Mais Que Amigos é gostoso, fácil de ler e muito rápido. São apenas 224 páginas de muito amor, mas, principalmente amizade, afinal, tem coisa melhor do que a pessoa da sua vida ser o seu melhor amigo? Lauren Layne está de parabéns e pode escrever bastante que eu vou sempre ler seus livros.

Capa original do livro. Prefiro a nossa mil vezes!

A obra é o primeiro de uma série chamada Love Unexpectedly, que só tem publicado no Brasil o volume um (Por favor, Editora Paralela, traga os outros!). São eles: Blurred Lines, Good Girl, Love Story, Walk of Shame e An Ex for Christmas. O título de Mais Que Amigos em inglês eu gosto mais, entrega menos da história. Blurred Lines é algo como “Linhas Borradas”, uma expressão que lá fora faz mais sentido do que para a gente.

Recomendo muito.

Teca Machado


12 comentários:

  1. Oi, Tequinha

    Eu adorei esse livro, adorei a maneira que a autora usou para conduzir a transformação da amizade para o amor. Na verdade o amor sempre existiu, né? Ele só precisava de um empurrãozinho mesmo. Foi uma leitura super gostosinha, morri de rir com a parte das bonecas! Hahahahah

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi fofo, né, Tami?
      Foi uma transformação linda, super natural.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  2. Oiii Teca

    Todo mundo elogia muito esse livro, além disos ele é rápido de ler pelo que notei. Eu não me importo com clichês, se estão bem construídos até curto. O romance aqui parece ser bem gostoso de acompanhar e a capa é maravilhosa.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivy!
      Ele é bem isso mesmo, rápido de ler com clichês bem construídos.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  3. gostei mt de conhecer o primeiro livro, esse tema de amizade entre homem e mulher sempre da uma boa historia romantica

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Hey Teca! Como disse uma autora do Wattpad que estou seguindo recentemente, "um dia, você beijará o chão que um clichê passou" e é verdade. Acredito que os clichês tornam nossas vidas mais amenas, confortáveis. Afinal, há momentos da nossa vida que simplesmente não dá para ler algo que demande uma longa linha de raciocínio.
    Ultimamente tenho visto muita gente comentando desse livro e estou morta de curiosidade para ler, principalmente depois de descobrir que não possui aquele drama louca característico de new adults.

    beijos,
    www.nerdabsoluta.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sarah!
      Amei essa frase.
      Sim, beijaremos e adoraremos beijar esse chão, hahaha.
      Esse livro é gracinha!

      Beijooos

      Excluir
  5. Oi
    estou bem curiosa com esse livro, gosto de histórias assim, bom saber que ele não é daqueles cheio de dramas, tenho certeza que irei gostar da leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise!
      Pouco drama, muito amor e muita cumplicidade.
      Tá ótimo, né?

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi Teca,
    Já adianto que escrevi o comentário e ele apagou do nada, então se tiver 2, por favor, desconsidere. HAHAHAHA
    Estou bem empolgada para ler esse livro, adoro a capa! E ouço muitos elogios a obra.
    Acho que as vezes, precisamos de histórias mais leves para intercalar com as obras pesadas e sérias.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale!
      Com certeza. De vez em quando a gente precisa de uma leitura leve para relaxar a mente.
      E é esse caso!

      Beijooos

      Excluir