segunda-feira, 1 de abril de 2019

Megarrromântico – Crítica


Não sei vocês, mas vários dos meus filmes preferidos são comédias românticas. Algumas altamente clichês, outras que fogem dos padrões, mas só sei que essas produções em que tudo é mais colorido, musical e geralmente com promessa de final feliz deixam meu coração quentinho. E é rindo e criticando o gênero que Megarrromântico (assim com três R mesmo), da Netflix e do diretor Todd Strauss-Schulson, faz de si mesma uma comédia romântica.


Imagine bater a cabeça e quando acordar estar dentro de uma comédia romântica? Bom, definitivamente esse é o meu sonho. Mas não é o de Natalie (Rebel Wilson). Quando criança, era apaixonada por esse tipo de filme, até que sua mãe lhe deu um banho de realidade dizendo que garotas como elas nunca viveriam algo nem remotamente próximo disso. Então, Natalie cresceu cínica com o gênero cinematográfico e com o amor em geral. Adulta, vive no subúrbio nova yorkino, com roupas normais, num trabalho normal, com amigos normais e um apartamento ok. Mas quando acorda do seu desmaio tudo mudou: A cidade está linda, florida e cheia de lojas de cupcakes, as cores são mais brilhantes, a luz com um tom dourado, suas roupas incríveis e seu apartamento luxuoso. Até mesmo um galã (Liam Hemsworth) quase a atropela e se apaixona instantaneamente. Mas Natalie não quer nada daquilo, ela quer voltar ao à sua vida, mas para isso precisa viver a jornada dos protagonistas em comédias românticas para então acordar.

Megarrromântico pega todos os clichês do gênero e os insere de forma satírica. Temos a mocinha desajeitada (mas dessa vez fora dos padrões de beleza), o amigo gay que ninguém sabe o que faz, mas está sempre presente, a colega de trabalho que é inimiga, a narração onipresente, as músicas pop que começam a tocar de repente, o acordar maquiado e de cabelo perfeito, o relacionamento que começa depois que um dos dois engasga e o outro o salva e, é lógico, a sempre presente cena para impedir um casamento. Várias comédias românticas são citadas, assim como mostradas ao longo do filme. Até mesmo o figurino de Rebel duas vezes é uma réplica de peças usadas por Julia Roberts em Uma Linda Mulher (o vestido, o chapéu e a luva de quando sai do hospital e o vestido vermelho do jantar no iate).




Dá para rir e sorrir com a produção, afinal, é da maravilhosa Rebel Wilson que estamos falando. Ela por si só já é engraçada e o enredo ajuda ainda mais nesse quesito. E o elenco também é todo muito bom e se joga na proposta do filme. Adam Devine, que já foi seu par romântico em três outros filmes, é Josh, o melhor amigo que é secretamente apaixonado por Natalie, Liam Hemsworth (Thor Júnior), é o bonitão milionário clichê de comédias românticas e Priyanka Chopra é a modelo-embaixadora-de-yoga-linda-super-rica. 

Acostumados com uma Rebel Wilson mais louca e um Adam Devine mais surtado (é só lembrar deles nos filmes de A Escolha Perfeita), é estranho vê-los quase contidos em Megarrrômântico. Na verdade, quem mais parece se divertir é Liam Hemsworth, que está ótimo como o galã impulsivo e meio bobo.



A fotografia do filme parece saída diretamente do Pinterest. Com certeza a vontade de temos é  a de viver naquele ambiente para todo o sempre. Quem dera morar naquela versão de NY em que até mesmo o trânsito não é impedimento para nada.

Apesar de criticar o gênero (em alguns momentos mais do que em outros e que poderia ter sido melhor explorado pelo roteiro), fundamentalmente Megarrromântico é uma comédia romântica e sabe que é, ainda que passe uma mensagem mais de autoestima para o público. De acordo com o próprio diretor, ninguém precisa de outra pessoa para se sentir completo. Você em si mesmo basta e pode ser feliz.


Recomendo.

Teca Machado

4 comentários:

  1. Oi Teca
    Eu assisti o filme e gostei do tipo de enredo, mas eu achei umas partes bem chatinhas. Não sei se foi proposital por causa da crítica as comédias, mas parei o filme duas vezes e só consegui terminar na terceira hahaha
    beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Teca!
    Ainda não consegui assistir, mas quero! Comédia romântica já é divertida, ironizando os filmes do gênero então: hilário! hahahah
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Teca. Eu não conhecia o filme. Confesso não ter muita paciência pra filmes assim, mas parece ser sim divertido.
    Talvez eu veja.
    Beijos! Dear Masen

    ResponderExcluir
  4. Só li coisas positivas sobre esse filme até agora, quero muito assistir!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir