sexta-feira, 23 de maio de 2014

Meu amigo tigre: Toda a beleza do #TigerTemple - Por Iara Vilela


Olá pessoal do CA&L, tudo bem? Nosso post de hoje é sobre o Templo dos Tigres, um local lindo em que você pode chegar (muito) perto dos animais.

O Tiger Temple fica na região de Kanchanaburi, no oeste da Tailândia e atrai milhares de turistas todos os anos. Isso porque é possível tirar fotos com os tigres,#TipoSelfie, literalmente! Eu confesso que fiquei confusa com tamanha proximidade que se tem e é exatamente isso que causa polêmica no mundo todo. Será que os bichanos são dopados? o.O

Funciona assim: Você paga para entrar na reserva do Templo e paga um pouco mais para tirar foto com o Tigre deitadinho no seu colo. Segundo a instituição, toda renda é revertida para o cuidado com os animais e para a manutenção geral do templo.

O templo se isenta de qualquer acidente! 
Esse templo é famoso há décadas, quando filhotes de tigres que tiveram suas mães caçadas e mortas foram deixados no local. A matança desse tipo de animal era comum para extrair dentes e as peles para revenda. Ao longo do tempo, o Templo foi ficando conhecido entre os moradores e vários outros filhotes foram sendo abandonados lá para serem cuidados pelos monges. Hoje cada monge “adota” seu tigre e cuida dele até que um dos dois morra e os tigrinhos que nasceram no Templo também continuam lá. #Lindo

<3
Ao entrar no espaço do Templo, você recebe um pequeno treinamento de como se comportar ao lado dos tigres. Nada de roupa colorida ou que chame muito a atenção. E claro, nada de ser engraçadinho e pular, saltitar (felícias de plantão, se comportem) ou puxar o rabo do gatinho. Coisas óbvias, mas que precisam ser lembradas no caso dos turistas mais malas.

Segundo um dos monges do Templo, os tigres ficam presos duas horas por dia e é nesse tempo que você pode vê-los de perto. É preciso enfrentar uma fila e quando for sua vez, dois monitores te acompanham pelo tour. Cada um segura em uma das suas mãos e te deixa em frente ao tigre e te posiciona, um terceiro fica com sua câmera para fazer a foto e assim você vai chegando perto de cada um dos animais.

Tipo gato! Fiquei fazendo carinho no queixo do tigre e ele se esparramou no meu colo!
Mas, caso você queira uma foto mais próxima com os tigres, é preciso pagar a mais (cerca de mil bahts). Neste segundo tour, novamente você é guiado pelos monitores e eles colocam os tigres literalmente no seu colo. É muuuuuuito emocionante. Eu fiquei completamente hipnotizada e me senti muito segura. Eu fiz carinho em todos e um deles reclamava (do tipo, grunhia bem alto) quando eu parava de fazer cafuné. Até o monge responsável se encantou (ou se preocupou – não sei) e foi lá perto ver.

A minha cara de pânico com o ronronar do tigre e a expressão de "Hi, essa virou bife" do monge! 
#Dica 1: fique esperto com o monitor que ficar com sua máquina fotográfica. No meu caso, o monitor não soube manusear direito a câmera e não conseguiu tirar foto com alguns do tigres e nem falou nada. Fui ver depois, mas, sabia que você tem o direito de entrar nessa primeira fila mais de uma vez!

Filhotes
Conforme os tigres foram se reproduzindo, as crias continuaram no local e por isso também é possível acompanhar a rotina dos filhotes. Mas, para isso é preciso chegar cedo ( do tipo, de manhã) no Templo. Como eu peguei o pior combo de passeio do mundo, perdi de ver as maravilhas peludas. Se você é do tipo que faz questão de brincar com o tigrinhos, vá primeiro ao Templo e depois faça o restante da programação.

O nome desse tigre é Universo! Lindo, não?!! 
E aí, os Tigres são dopados ou não???
A minha resposta para essa pergunta é um sonoro e sincero: Não sei! Para deixar claro, eu não vi nenhum animal sendo maltratado. Todos aparentavam estar dentro do peso e nenhum sob situação de stress (Vamos combinar que é fácil perceber se um tigre tá estressado o.O) . Mas o fato é que acredito que o Ibama jamais permitiria esse tipo de local aqui no Brasil por conta da proximidade com os visitantes.

A voluntária e seu bichinho! 
No Templo há muitos voluntários – jovens, principalmente. Conversei longamente com um dos monges e com uma voluntária e eu acredito que se tantos jovens são voluntários todos os anos, é porque a instituição é séria. Não acredito que gente assim trabalhe por uma causa que prejudique os animais. A garota com quem falei estava treinando um filhote e ela me explicou que todos os animais possuem horários para comer, brincar, dormir e tudo com supervisão. Como o espaço já estava bem vazio, eu pude tocar (por segundos) no filhote.

Ainda assim, confesso ser meio estranho que os Tigres deitem no seu colo assim, nem problema. Mas alerto que quase todos eles estavam BEM acordados durante a visita.

#Wanderlust

Iara Vilela é jornalista e como boa wanderluster, ama viajar e já conhece mais de 50 cidades em 11 países. Ela também gosta de chocolate, esmaltes, cervejas especiais, tulipas, moda e é dona de um São Bernardo e de um Golden Retriever. Pseudo-nerd que é, adora toda a obra de J.R.R. Tolkien e Isaac Asimov, além de ter paixão por festivais de música! Entre uma viagem e outra, ela escreve para este lindo blog e também para o"Com Erros Aprendi", que conta furadas e erros de navegação em muitas de suas viagens pelo mundo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário