terça-feira, 13 de outubro de 2015

Budapeste: a linda capital da Hungria - por Lala Rebelo


Oi gente! :) Aqui é a LALA REBELO, do blog de viagens LALAREBELO.COM. Quem acompanha meu blog ou meu instagram (@lalarebelo_travelblog) já sabe que eu estava de FÉRIAS!! \o/ E um dos lugares que conheci na minha última viagem foi uma cidade absurdamente linda chamada BUDAPESTE, sobre a qual resolvi escrever hoje aqui pra vocês.


É unanimidade: quem vai a Budapeste, volta apaixonado. Uma cidade belíssima, imponente, com uma atmosfera leve e descomplicada (à parte do idioma húngaro, que é complicadíssimo! rsrs). Ao mesmo tempo, contrastando com essa beleza que chega a hipnotizar, há uma história devastadora, dessas de arrepiar, que nos mostra o poder absurdo que alguns povos têm para se reerguer do caos.

Pra quem não sabe, a Hungria foi ocupada pelos Nazistas e pelos Soviéticos há, relativamente, pouco tempo. Sem falar das invasões turcas, austríacas, entre outras no passado. O país perdeu 2/3 de seu território e foi derrotado em TODAS as guerras em que participou (parecia que tinha o “azar” de escolher constantemente o lado errado, além de estar geograficamente quase sempre no meio do caminho de potências em conflito, que fizeram de seu território praticamente um “ringue de luta”.).

Bom, águas passadas (ou melhor, guerras passadas). As lembranças desse período sombrio estão por todas as partes sim, mas definitivamente os húngaros nos dão uma lição de superação. São pessoas gentis e sorridentes, e têm um país que deixa muitos com aquela vontade de ir  de mala e cuia! rsrs (eu sou uma dessas!).

Quem vai a Budapeste tem o bônus de conhecer DUAS cidades na mesma viagem, que estão separadas pelo Rio Danúbio: de um lado, BUDA, situada nas colinas, até parece um cenário de filme de época. Super nostálgica, com seu imponente castelo, lindas igrejas góticas e outras construções medievais. É do Século 10 e tem um ambiente mais tranquilo, mais residencial.

Do outro lado, está PESTE, que é uma planície, e muito mais agitada. É onde ficam os restaurantes bacanas, bares, hotéis badalados, universidades… Peste é do Século 11, mas parece bem mais nova do que a vizinha porque ficou praticamente abandonada, já que, no passado, as pessoas queriam morar em Buda, que era uma cidade fortificada.

Em poucas frases, Budapeste é:
  • Um parlamento que é o rei dos superlativos;
  • Um castelo majestoso que praticamente te transporta para Viena (Buda Castle);
  • Uma culinária deliciosa marcada pela forte presença da páprica;
  • Um sistema de transporte público extremamente eficiente, que inclui a primeira linha de metrô elétrico do mundo (linha amarela);
  • A maior sinagoga da Europa e a segunda maior do mundo;
  • Uma história duríssima e impossível de ser esquecida;
  • Um idioma dificílimo de falar e de ser entendido (o magyar, ou simplesmente, o húngaro);
  • Um famoso e charmoso rio que corta a cidade no meio, o Danúbio;
  • Muitas luzes durante a noite, que dão um toque todo especial;
  • Água natural quentinha espalhada pelos termas da cidade;
  • Um povo culto e muito gentil.
Espero que vocês a amem assim como eu! :)


[UM POUQUINHO DE GEOGRAFIA]

A Hungria é um país da Europa Central, rodeado por outros 7 países (Eslováquia, Áustria, Eslovênia, Croácia, Sérvia, Romênia e Ucrânia). Tem aproximadamente 10 milhões de habitantes e sua capital, Budapeste, tem um pouco menos que 2 milhões. Faz parte da União Européia desde 2004, porém não adotou o Euro como moeda. A moeda do país é o Forint (HUF). Para facilitar na conta, 1 euro equivale a aproximadamente 300 forints. Veja conversão exata aqui.


[UM POUQUINHO DE HISTÓRIA]

A Hungria tem uma história marcada por invasões e ocupações. Mongóis, turcos, austríacos, alemães, russos…

Os turcos estiveram na Hungria por 145 anos!! Até que os Habsburgo (Áustria) “liberaram” o país da Turquia, mas ali decidiram ficar, em 1526.

A relação entre húngaros e austríacos era de amor e ódio e a cada 50 anos, aproximadamente, se levantavam exigindo independência. Só em 1867 firmaram um acordo de paz e, assim, o Império passou a se chamar Império Áustro-Húngaro, com duas capitais, Viena e Budapeste. A coroa da Hungria só saiu das mãos da Casa de Habsburgo ao final da 1ª Guerra Mundial, em 1918, na qual foram derrotados.

Mais tarde, a Hungria pagou um alto preço por se aliar a Alemanha Nazista na Segunda Guerra Mundial (para você ter uma ideia de como era a Hungria durante o Nazismo, 437 mil judeus húngaros foram enviados a campos de concentração em apenas 6 semanas). Na Conferência de Yalta, na qual o governo dos Estados Unidos, da União Soviética e do Reino Unido se reuniram para repartir as zonas de influência entre o Oeste e o Leste, a Hungria ficou sob o controle dos Soviéticos. E Stalin não foi nada piedoso… O comunismo no país durou 40 anos, e foi um período marcado pelo TERROR.

Hoje o país é uma República Parlamentarista e já conseguiu reconstruir boa parte de tudo o que foi detonado nas invasões.

Chain Bridge destruída após um bombardeio em 1944
[LIVROS, FILMES E DOCUMENTÁRIOS]

Para quem gosta de “estudar” e ir a fundo na história antes de viajar para um novo lugar, ou ao menos adora ir imaginando como é a cidade/país, recomendo:

[ONDE FICAR]

O ideal é se hospedar em PESTE, onde fica concentrada a vida noturna. Desse lado também é mais fácil ir “pra lá e pra cá”, pois é tudo plano.

Sugestões de hotéis:
[ONDE COMER]

A comida húngara foi uma surpresa boa. Não esperava encontrar pratos tão gostosos e também não imaginava que iria gostar tanto de PÁPRICA, a especiaria feita de pimentão, presente em praticamente todas as especialidades do país.

A Hungria é o maior produtor e consumidor de páprica do mundo, e dizem que a páprica húngara é a melhor que há, com sabores variados que vão do doce ao picante. Quer levar um souvenirbem típico pra casa? Compre pacotinhos de páprica no Mercado Central.

Sugestões de locais para comer e beber muito bem em Budapeste:

[O QUE NÃO DEIXAR DE CONHECER]
  • Avenida Andrássy 
Uma espécie de Champs Elysées húngara, ampla, arborizada, cheia de edifícios com belas fachadas, boutiques caras e restaurantes com mesinhas na calçada. 
  • Praça dos Heróis (Hosök tere)
No final da Andrássy está a Praça dos Heróis, uma das mais importantes da cidade. Ali está construído o Monumento do Milênio, que é composto por estátuas dos reis, líderes e outras figuras políticas importantes na história da Hungria.

Os banhos termais fazem parte da cultura húngara. É como se Budapeste estivesse sobre um grande lago de água quente, e por isso há dezenas e dezenas de “furdös” na cidade, onde as pessoas vão para relaxar e socializar. Dizem que a água tem propriedades curativas. O maior, mais conhecido e mais antigo dos termas (desde 1881), é o Széchenyi, que fica no coração do City Park, formado por 21 piscinas internas e externas, em diferentes temperaturas. É gigante! Há lockers para você guardar suas coisas enquanto está na piscina. Recomendo levar tudo: toalhas, roupa para trocar, shampoos, escova etc. para se arrumar e sair de lá pronto.

Achei uma experiência um pouco engraçada, mas daquelas que TEM que ir para ver. Repare nos velhinhos jogando xadrez dentro da piscina e nas senhorinhas nadando com touca de banho. Os valores estão no site. Confira também os horários de funcionamento. Achei legal ter chegado ainda com sol, e ter indo embora já no anoitecer.


A visita pelo interior do Parlamento é super interessante. O prédio demorou 19 anos para ficar pronto (1885 – 1904) e na sua construção foram usados 40 milhões de ladrilhos, 40kg de ouro, entre outros materiais. Tem 196 m de altura e TUDO em sua arquitetura tem algum sentido e faz homenagem a algo. Nada foi colocado por acaso. Na sala principal está a Santa Coroa da Hungria, também chamada de Santa Coroa de Santo Estêvão, que tem a cruz torta. Não se sabe ao certo o que aconteceu para a cruz ficar assim, inclinada. Alguns dizem ter sido proposital. Os reis da Hungria foram corados com essa mesma coroa desde o século XII.

Agora você deve estar se perguntando: mas se a Hungria é um país tão pequeno, por que um Parlamento tão grande? Bom… Quando o edifício foi construído, eram os anos de glória do país. Budapeste era uma das capitais do Império Austro-Húngaro. Não imaginavam que perderiam mais de 60% de seu território! Hoje só metade do Parlamento é usada para fins políticos, enquanto a outra metade é usada para visitas turísticas.



  • Sapatos na Margem do Danúbio
Bem pertinho do Parlamento, nas margens do Rio Danúbio, você encontrará 60 pares de sapatos de ferro, no estilo dos anos 40. Este memorial foi construído em 2005 em homenagem aos judeus húngaros que foram vítimas do partido da Cruz Flechada (que defendia as mesmas ideias do Nazismo alemão). As pessoas eram assinadas ali a tiros, e caíam diretamente no rio (1944-1945). Mas antes do momento final, era pedido que os sapatos fossem retirados, pois se tratavam de um artigo de luxo na época.

  • Chain Bridge
A Ponte das Correntes (português) ou Chain Bridge (inglês) ou Széchenyi lánchíd (húngaro) é uma ponte suspensa que liga Buda a Peste. Inaugurada 1849, foi a primeira ponte fixa sobre o Rio Danúbio na Hungria. No fim da 2ª Guerra Mundial, a ponte original foi completamente destruída (que dó!!). O que vemos hoje é uma reconstrução de 1949.


Repare no telhado de mosaico da Igreja. Simplesmente lindo! A Mátyás Church foi construída entre os séculos 13 e 15, mas foi quase completamente destruída durante a Invasão Turca, quando transformaram a igreja em uma mesquista, em 1541.

Pertinho da Mátyás Church, o Fisherman’s Bastion é uma estrutura construída com o objetivo de simplesmente ser um observatório, um terraço. Apesar de parecer mais ou menos um “forte” ou torres de observação, nunca foi usado na defesa de Buda. E é daí que se tem vistas lindíssimas do Parlamento, em Peste.


O Buda Castle (Budavári Palota) foi casa de todos os reis da Hungria, desde 1265, quando ficou pronto. Foi construído pelo Rei Béla IV. Como vocês devem imaginar, essa cara super austríaca do castelo não é datada dos 1200 rsrs. Ele foi reconstruído várias vezes ao longo dos séculos.
Dentro do Castelo funcionam a Galeria Nacional, o Museu Histórico e a Biblioteca. Os jardins estão abertos 24/7. Há alguns tours pelo castelo (veja aqui), mas decidimos não fazer. Achei que por fora era muito mais atrativo. Mas o maior atrativo MESMO são as fotos que você consegue tirar da cidade a partir desse lugar. A foto de capa do post foi tirada daí!

Respira… Prepara o estômago… Esse museu é FORTE! Mas é imperdível. The House of Terror conta a história do nazismo e do comunismo no país e faz uma homenagem às vítimas. Durante a 2ª Guerra Mundial, a aliança da Hungria com a Alemanha Nazi custou a vida de muita gente e deixou o país destruído. Se já não bastasse, depois da Guerra, a Hungria passou para o domínio soviético, e assim ficou por 40 anos, resultando em mais mortes, repressões e muito sofrimento.
O mais chocante de tudo é saber que hoje o local que é o MUSEU, o edifício na Av. Andrássy nº 60, foi sede do Partido da Cruz Flechada (a “versão húngara” do Partido Nazista Alemão). E mais tarde, entre 1945 e 1956, o mesmo local foi casa do serviço de segurança secreta do partido comunista no país (uma verdadeira organização terrorista, que realizava todo tipo inimaginável de tortura em seus porões – os quais você pode conhecer).


Igreja construída em 1851, com capacidade para 8 mil pessoas. São Estevão foi quem cristianizou os pagãos que chegaram para popular a Hungria, e acabou se tornando o primeiro Rei do país(lembra da Santa Coroa de São Estevão que está no Parlamento?!). Dentro da igreja está a mão do santo e também o famoso jogador de futebol húngaro Ferenc Puskás, que foi enterrado no local.


Gostou de Budapeste? Muitos dizem que é uma mistura de Paris com Berlim. O que você acha? O que EU acho mesmo é que é uma cidade SENSACIONAL, hipnotizante, que merece ser incluída no roteiro de toda e qualquer pessoa que for a Europa!


Mais dicas sobre o destino, você encontrará no lalarebelo.com/budapeste.

Obrigada pela visita.
Beijos, Lala

Contato




Lala Rebelo é autora do blog de viagens LALAREBELO.COM. Publicitária, brasileira de Cuiabá, já morou em São Paulo, na França, nos Estados Unidos, na Espanha, na Inglaterra e vive hoje no Panamá (quando não está viajando). Com 26 anos, já esteve em mais de 50 países (e espera que este número não pare de aumentar...). Seu objetivo é te contagiar com essa loucura chamada VIAGEM e te inspirar a pegar um avião ou a estrada para qualquer lugar.

13 comentários :

  1. Budapeste parece ser um lugar incrível. Pretendo conhecer um dia.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro. Serão seis livros para três vencedores.

    ResponderExcluir
  2. UAU, eu que amo viajar adoro esse tipo de post! com certeza a hungria é um lugar que eu gostaria mt de ir!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lívia, que bom que gostou do post!! Realmente, Budapeste/Hungria não pode ficar de fora da lista!
      Beijos,
      LALA REBELO | www.lalarebelo.com

      Excluir
  3. Oláá Lívia!
    Nossa eu ainda não conhecia o blog da Lala e nunca tive curiosidade em visitar Budapeste, mas com esse post se eu tivesse dinheiro agora j´estaria arrumando as malas e sabendo o que visitar hahah
    Amei o post e a dica. <3
    Bjooos

    Jovem Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eloísa, que bom que gostou do post!!! Obrigada. Budapeste é demais!!! :)
      Beijos, Lala Rebelo
      www.lalarebelo.com

      Excluir
  4. Eu sonho há anos em conhecer essa cidade! Li um livro em que a história se passa lá e desde então tenho uma grande paixão por essa cidade, mesmo não tendo ido para lá ainda. :) Adorei o post, as imagens são perfeitas.

    http://penseeadistance.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isabela, por acaso o livro foi o BUDAPESTE do Chico Buarque?? A cidade é mesmo linda. Que bom que gostou do post, obrigada.

      Beijos, Lala Rebelo
      www.lalarebelo.com

      Excluir
  5. Oi Lala!
    Obrigada por me colocar em sua mala e me deixar conhecer esse lugar incrível!
    Que lugar lindo!
    Suas fotos ficaram fantásticas!
    Beijos!

    Fabi Carvalhais
    pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabi, com muito prazer!! Obrigada!! Que bom que gostou do post.

      Beijos, Lala Rebelo
      www.lalarebelo.com

      Excluir
  6. Oi, Lala!

    Que post lindo. Se dependesse de mim, partiria hoje mesmo para Budapeste e conheceria cada canto desse lugar encantador e com tanta história para contar. Eu conhecia alguns fatos históricos sobre o país, mas sobre a cidade em si, bem pouco... Por isso, adorei suas informações sobre os pontos turísticos e tudo o mais.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Gente, que lugar lindo! *-*
    Muito legal mesmo!
    Espero um dia poder conhecer.
    O problema vai ser só esse idioma difícil deles.. ninguém por lá fala um inglêsinho básico não?? rs
    Adorei o post!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Toda vez que vejo os posts da Lala uma vontade de largar meu emprego e ir para a Europa (ou qualquer outro continente que seja) me domina! Hahahahaha
    Budapeste é um dos lugares que já estava na minha lista de futuras viagens e agora tenho mais vontade ainda.

    Hoje também vi uma matéria de um vilarejo na Holanda que as ruas são rios e tem um ar tão bonito quanto Veneza. Obviamente ainda necessito conhecer os lugares para comparar... Quem sabe daqui alguns anos, né?! *-*

    Bjão!!

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir