sábado, 17 de outubro de 2015

Mikaela – A história da menina comum que podia ser eu e você


Eu já conhecia a Mikaela desde 2013, quando comecei a acompanhar o blog Sem Clichê, da querida Marcella Brafman. Naquela época a Marcella colocava crônicas, pequenos pedaços da história da personagem Mikaela e eu amava, ficava curiosa sobre o que ia acontecer mais para frente. Imaginem a minha felicidade, então, quando esses textos viraram um livro! Eis que na semana passada a Marcella me enviou um exemplar de Mikaela – O Desencontro: A Vida de Uma Garota Comum. Devorei em dois dias.


Um dos aspectos mais interessantes de Mikaela – O Desencontro é que, como o próprio subtítulo já diz, fala sobre as desventuras de uma garota normal, totalmente igual a mim e a você. Impossível não se identificar com a protagonista, com as suas inseguranças, medos, alegrias e tristezas. Marcella soube levar para as páginas toda a simplicidade, e ao mesmo tempo complexidade, de ser uma pessoa comum que vive problemas comuns e encontra em seu caminho pessoas comuns, mas que se destacam em nossas vidas pelo simples fatos de que as amamos.

A história de Mikaela começa com a garota, que é uma jornalista, largando toda a sua vida em Belo Horizonte para tentar a sorte em São Paulo. Ela tem uma entrevista numa revista feminina e aposta todas as suas fichinhas nisso. Logo que chega, ainda sem nenhuma perspectiva de se ajeitar na metrópole, se hospeda na casa de Felipe, um amigo. Se bem que amigo é uma palavra errada para definir o rapaz. Ele não é namorado, mas também não é só amigo. Dizer que é amizade colorida também não explica bem. Talvez o melhor modo de dizer isso é que eles se gostam, tem uma espécie de relacionamento, mas não é nada oficial ou com nome. Eles simplesmente são Felipe e Mikaela.

A relação deles já tem anos, com cada um em uma cidade. Mikaela tem esperança de que essa mudança para São Paulo seja finalmente a chance que eles têm de ficar juntos. Mas o destino não pensa assim. Aliás, Felipe não pensa assim. E, nesse momento de turbilhão de mudanças em sua vida, onde tudo é revirado de ponta cabeça, Mikaela precisa descobrir qual é o seu lugar na nova cidade, na nova casa, no novo emprego e no coração de Felipe.

Marcella e Mikaela :)
Confesso que peguei amor pela Mikaela. Ela não é uma garota frágil ou que precisa de cuidados. Sabe se virar bem sozinha, é independente e durona quando precisa. Mas várias vezes tive vontade de abraça-la e dizer “Estou contigo, amiga! Vem cá que vai dar tudo certo”. Já sobre o Felipe até agora não consegui resolver o que sinto por ele. Às vezes amor, às vezes paixão, às vezes raiva. Ele é um personagem que se tornou uma incógnita para mim. Levanta a mão aí quem já teve um Felipe na sua vida? Pois é, acho que quase todos nós, né?

Outros personagens também ganharam espaço no meu coração, principalmente o argentino Juan, o BFF Rick, as amigas Mari e Ana e a colega de apartamento Bela, aquela fofa. São todos altamente adoráveis!

A escrita de Marcella é muito leve, tranquila, de uma fluidez muito legal. Você vai lendo, lendo, lendo e, de repente, ops, acabou. As páginas voam e você nem percebe. Mergulha no mundo da Mikaela e realmente sente como se uma amiga estivesse te contando sua história, como se a autora estivesse sentada na sua frente batendo papo. E você conhece São Paulo pelos olhos da personagem, passeia com ela e se enxerga no Ibirapuera, no metrô, na Av. Paulista, por todos os lugares que ela anda. Como uma amante da cidade, adorei “dar umas voltas” por lá.

Mikaela – O Desencontro tem uma trilha sonora muito legal. No início de cada capítulo a escritora colocou uma música que tenha a ver com o que vai acontecer, fora que durante a narrativa a protagonista e Felipe conversam muito sobre bandas e idas a shows. E um charminho a mais é que a diagramação tem uns fones de ouvido super bonitinhos estampados.


O livro acaba com aquele gostinho de quero mais. Marcella, por favor, me diga que vai ter continuação! Quero mais de Mikaela, preciso saber o que mais acontece com a minha amiga (Sim, estou íntima, já considero um monte).

Recomento muitão.

Visite o blog da Marcella Brafman, o Sem Clichê, e compre Mikaela – O Desencontro.

Teca Machado

6 comentários :

  1. Essa história parece ser tão boa *-*, eu fiquei imaginando aqui pela descrição.É tão bom quando encontramos algum livro que nos prende do início ao fim...Nada pior do que ler algo maçante.

    E sim, todas nós já tiveram um Felipe (mas vamos deixar em off esse tema).

    Vou dar uma procurada no livro.Tenho uma listinha boa de autores nacionais atuais para ler.

    Beijos

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    Adorei a sua resenha, me deixou bem interessada no livro.
    Beijos
    www.estilogisele.com.br

    ResponderExcluir
  3. Juro por Deus que por esse horário e pela confusão mental e Mikaela e Marcella em curtos espaços de tempo me fizeram repetir a mesma linha cinco vezes, Teca.
    Imagino que deva ter uma pegada Boyhood? Onde alguma m*** ocorre, você até espera que depois venha algo bom, mas dai você lembra que é a vida real e que não vai acontecer nada de bom mesmo.
    Será que pode se dizer que são amigos com benefícios?
    Parece algo interessante mesmo...
    bjos LP
    quatroselos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Aquele momento que vc também se sente íntima da personagem sem nem ter lido o livro!
    Rs....
    Adorei!

    Fabi Carvalhais
    pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Aí que delícia de leitura, Teca!

    Confesso para você que esse #Mês do Halloween no blog está me deixando muito cansada. Todas as leituras são complexas ou tensas e meu coração está implorando por um romance fofo ou alguns contos divertidos! Hahahaha
    Será minha primeira atitude quando acabar o último livro agora. xD

    Mas adorei sua resenha da Mikaela e quero muito conhecê-la! Adoro ser comum, mas ao mesmo tempo especial. É o que todos nós somos. Gosto desse tipo de história. A partir de novembro darei uma olhada nisso!

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. O livro parece ser tão bom.. apesar dos desencontros parece um livro leve, exatamente como se fosse um bate-papo com uma amiga íntima. ^^
    Com certeza vou querer ler depois sim!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir