segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Fome de Poder – A história por trás do McDonald’s


Já viu o vídeo da semana? Já se inscreveu no canal do blog? Falei sobre o incrível, maravilhoso, tudo de bom e lindo 365 Dias Extraordinários aqui.

A semana acabou de começar e eu já estou aqui cheia de ódio no coração!

Calma, não é nada muito dramático, mas é que na sexta-feira eu assisti Fome de Poder, do diretor John Lee Hancock, que conta a história da criação do McDonald’s e o que o levou a ser a potência que é hoje. E todo ódio que eu estou sentindo é do “fundador” Ray Kroc (Michael Keaton), um babaca de marca maior (tanto que a cada cinco minutos de filme eu soltava um audível “babaca”, de tanta revolta que fiquei).


Você já parou para pensar o que está por trás dos onipresentes arcos dourados da empresa que vemos em todo o mundo? A história é muito mais tensa do que podemos imaginar.

Nos anos 1950, Ray Kroc é um vendedor que já está na meia idade e ainda não conseguiu sua grande chance. Tem uma vida confortável, mas é só isso. Não é rico, não brilhou, não se destacou. Até que consegue vender um dos seus produtos para os irmãos Mac e Dick McDonald (John Carroll Lynch e Nick Offerman), que possuem um restaurante no interior da Califórnia chamado McDonald’s e inventaram um sistema de produção rápida de hambúrguer a um custo pequeno. Ray percebe que isso é revolucionário e talvez seja a sua grande chance. Se torna sócio dos irmãos e transforma o pequeno empreendimento em algo que atingiu o país inteiro – e posteriormente o mundo.



O grande problema é que Ray é um babaca, como disse lá em cima. É a raposa que entrou no galinheiro, é o cara sem escrúpulos que faz tudo pelo poder, até mesmo tomar para si o que era de outras pessoas. Não podemos negar que ele era um empreendedor que enxergou além do seu tempo – ainda que sempre tenha contado com a ajuda de outras pessoas, mas a que custo? Tanto nos negócios quanto na vida pessoal ele foi um homem dúbio.

E além do problema com o personagem em si, eu tenho problema com o Michael Keaton. Tá, eu sei, ele é um ótimo ator, mas não consigo gostar muito dele. Aquela cara sarcástica, aquele sorriso que passa de gentil a malvado num piscar de olhos. Eu sei que é implicância pura e simples, mas não posso fazer nada, não gosto dele.



Fome de Poder tem uma história muito interessante e um enredo que te prende. O McDonald’s é algo que todo mundo conhece, todo mundo já frequentou, mas pouca gente sabia da história por trás dele. O roteiro tem alguns pequenos furos e não se aprofunda em alguns aspectos da vida de Ray, como em seu casamento, mas é muito bom. E o ritmo do filme é certeiro. É uma biografia (do McDonald’s ou de Kroc?), mas tudo acontece com a velocidade certa, nem rápido demais e nem lento demais.

O título do filme em inglês, The Founder (O Fundador), tem muito mais sentido, ainda que o brasileiro tenha ficado bom. Já vimos traduções piores, não é mesmo?


Apesar de eu estar cheia de ódio no coração (não é pelo filme, é pelo protagonista), Fome de Poder vale bastante a pena ser assistido. Agora eu fico me perguntando: Qual será a história por trás do Burger King?

Recomendo.

Teca Machado

10 comentários:

  1. MENINA! Eu também vi esse filme esse dias e fiquei morrendo de pena dos irmão McDonalds. Coitados! E concordo totalmente com você, acho que o título original faz mais sentido. Mas acho que Fome do Poder chama mais atenção do que O Fundador em português. Fiquei muito feliz se ver o filme aqui, talvez eu faça um post para o PN também. Eu acho super legal esses filmes que contam a história por traz das grandes organizações - seja para mostrar as coisas boas ou ruins.

    Adorei o post!

    beijos

    Psicose da Nina | Instagram
    Colunista no Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ninaaaaa!
      Que bom que gostou do post e do filme também, além do ódio compartilhado, haha.

      Beijoooos

      Excluir
  2. Amo filmes que retratam histórias verdadeiras, ainda não conheço a história e fiquei bem curiosa para assistir! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma história sinistra!
      A gente não imagina que tem tudo isso por trás do famoso Mc!

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi, Teca. Engraçado que minha tia comentou sobre esse filme hoje. Ela disse que dá uma dó enorme dos irmãos que inventaram a empresa e depois que dá uma dó do cara que roubou, ao menos foi isso que entendi. Eu acho maravilhoso a ideia de conhecer melhor essa marca, porque tem tantas teorias que eu acho tudo muito "escondido", tipo aquelas teorias da conspiração. Com toda a certeza vou assistir a obra.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mika!
      Dó eu tenho dos fundadores, do cara que roubou não, hahahahah.
      Neeeeeeeeeem um pouco!
      É realmente uma história sinistra numa marca super conhecida.

      Beijooos

      Excluir
  4. Oi, Teca!
    Realmente já vimos traduções bem piores.
    Miga, bate que eu não suporto o Michael Keaton. Piorou tudo depois que assisti Birdman iludida por ter ganho o Oscar de Melhor Filme e olha... decepção.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Finalmente mais alguém que não gosta dele!
      Hahahahaha.

      Beijooos

      Excluir
  5. Ainda não vi esse filme!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir