quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Três Anúncios Para Um Crime – Crítica (Maratona Para o Oscar 2018)


Podemos dizer que Três Anúncios Para Um Crime é um filme sobre raiva. Raiva, dor, vingança, culpa e medidas desesperadas, tudo isso pontuado por um humor negro que aparece em momentos estratégicos. Não espere leveza, sensibilidade e muito menos redenção. O foco aqui é o pós-tragédia, é como a pessoa fica depois de um crime tão bárbaro e cruel que ficou sem solução. O diretor Martin McDonagh não poupa o público, assim como seus atores entregam todo sentimento presente nos personagens.


Mildred Hayes (Frances McDormand) é uma mãe de luto e com muito ódio. Sete meses se passaram desde que sua filha foi estuprada, morta e queimada. As autoridades locais não encontraram nem mesmo um suspeito e parece que deixaram o caso de lado. Mildred, então, coloca anúncios em três outdoors para cobrar justiça do xerife Bill Willoughby (Woody Harrelson). O pequena cidade de Ebbing repudia a ideia, porque o xerife é amado e está com câncer terminal, mas Mildred não mete as consequências para aliviar a dor do luto e da culpa.

Frances McDormand se entrega. A sua Mildred é completamente crível. É cheia de dor, raiva, exala culpa, não tem medo de ninguém, é rude e tem um humor negro e uma força que não se vê todos os dias. Seu papel é complexo, cheio de nuances e questionamentos e muitas vezes diz muito com o silêncio. Ela não é uma personagem para o público gostar, mas faz com que a gente sinta muito pela sua dor, pela vida desgraçada que tem levado. É capaz que leve para casa o Oscar de Melhor Atriz, já que ganhou o Globo de Ouro, o Bafta e outros prêmios.



Apesar de ser o foco de Três Anúncios Para Um Crime, nem só de McDormand se faz o filme. Woody Harrelson está ótimo, com muita gente dizendo que está no melhor papel da sua carreira. Apesar de ser o foco dos outdoors de Mildred, ele é quem mais compreende os atos da mãe de luto, inclusive pede para que ela continue, e sente culpa por não conseguir levar o caso em frente. Em meio a tudo isso, luta contra seu câncer terminal e sofre por saber que em breve irá deixar a esposa e as filhas que tanto ama. E há ainda a ótima atuação de Sam Rockwell, como o policial Dixon. É cheio de ódio, raiva e desequilíbrio. É fácil desgostar do personagem logo de cara, apesar de ser uma espécie de alívio cômico em certos momentos. Mas quando conhecemos o ambiente em que vive e foi criado, compreendemos – apesar de não perdoar – seus atos. 

Um ponto negativo foi o pouco uso de Pete Dinklage (O Tyrion, de Game of Thrones). Tive a impressão de que o seu papel era maior, mas na edição acabaram cortando suas cenas. Ele basicamente foi apenas o “anão da cidade”, um cara que foi álibi de Mildred em certo momento e pronto. Um ator tão bom num papel tão sem propósito.



Três Anúncios Para Um Crime não é uma história policial, onde o roteiro busca solucionar o caso. Ele quase é um pano de fundo para o tema principal: raiva. Não sobre o perdão, mas sobre se apegar a raiva e deixar com que ela te amadureça, te faça buscar autoconhecimento, para, quem sabe, seguir em frente.

Esse é um filme interessante, diferente do que estamos acostumados a ver e que vai te fazer questionar muito ao final. Ele não chega a ser baseado numa história real, mas tem um fundo de verdade. Um pai nos anos 1990 perdeu a filha no Texas e começou a colocar cartazes cobrando justiça, pois tudo levava a crer que o marido havia matado, mas ninguém havia sido preso.



A produção está concorrendo ao Oscar nas categorias: Melhor Filme, Melhor Atriz – Frances McDormand, duplamente em Melhor Ator Coadjuvante - Woody Harrelson e Sam Rockwell, Melhor Roteiro Original, Melhor Montagem e Melhor Trilha Sonora Original. Ele já ganhou três Globos de Ouro (Melhor Atriz para McDormand, Melhor Ator Coadjuvante para Sam Rockwell, Melhor Filme Dramático), cinco Baftas (Melhor filme, Melhor Filme Britânico, Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Roteiro Original) e outros.

Recomendo.

*** 

Maratona do Oscar 2018 – Concorrentes a Melhor Filme

Me Chame Pelo Seu Nome
O Destino De Uma Nação – Assistido! (Crítica aqui)
Dunkirk – Assistido  (Crítica aqui)
Lady Bird: É hora de voar
Trama Fantasma
The Post: A Guerra Secreta – Assistido! (Crítica aqui)
A Forma da Água
Três Anúncios Para Um Crime – Assistido!
Corra!

Teca Machado

8 comentários:

  1. Oi! Deve ser difícil para a mãe perde a filha dessa maneira e não obter justiça quanto ao caso. É um filme bem forte. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filme forte e muito bom!
      Gostei bastante.

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi, Teca!
    Eita... que tenso!
    Sou bem por fora do assunto filmes, mas, um que quero muitoooo assistir é "Trama Fantasma". ♥

    Gostei da sua crítica com relação a este filme, eu não o conhecia até o presente momento, acho que meu pai iria gostar!

    Beijos,
    Keth ♥

    Blog: www.parbataibooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trama Fantasma eu não assisti, mas quero ver.

      Beijoos

      Excluir
  3. eu assisti esse
    filme e gostei bastante, a atriz está realmente sensacional hein! pra mim é ela que vai levar!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela está muito sensacional!
      Não é a toa que levou o Oscar.

      Beijooos

      Excluir
  4. Oii Teca, tudo bem? parece ser um filme forte e tenso né, mas fiquei bem curiosa para assistir e saber aonde vai dar isso tudo.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim!
      Não é aquele filme leve, para relaxar, é para pensar mesmo, para se chocar.

      Beijooos

      Excluir