segunda-feira, 7 de abril de 2014

Country americano e briga de divas: Nashville


Hey, já está participando do sorteio de 100 mil acessos do blog? Então clique aqui.

Sertanejo não é bem a minha praia. Só quando estou numa festa tipo de formatura ou casamento, eu danço e pronto. Você não vai ouvir tocando no som do meu carro esse estilo. Mas confesso que o country americano já é mais do meu gosto. Não é o meu preferido, mas até gosto. Fazia tempo que ouvia falar sobre a série Nashville, que tem como universo a capital do Estado do Tenesse, terra do country, mas nunca tinha assistido. Há uns dias vi o piloto pelo Netflix. Estou adorando!


Em Nashville vemos a guerra do velho com o novo, do decadente com o ascendente. De um lado temos Rayna James (Connie Britton), uma cantora com talento e algumas décadas de estrada. Ainda amada e adorada, principalmente pela velha guarda, Rayna consegue um bom público em seus shows. Não lota e esgota ingressos, mas ainda assim. Do outro temos a estrela explosiva novinha chatinha meio mau caráter Juliette Barnes (Hayden Panettiere), que canta para adolescentes e só consegue ser afinada com muita ajuda de edição de estúdio. Ela é a nova sensação musical americana (Fica totalmente entendido que falamos de uma espécie de Taylor Swift...).

Elenco de Nashville

A gravadora de Rayna não vê um potencial de futuro para a diva, então acredita que ela deve desistir da sua turnê para abrir shows para a rival 20 anos mais nova, o que é uma afronta. Abrir shows é para bandas e cantores iniciantes, não para alguém com a bagagem de Rayna.

Rayna e o marido Teddy

Ao mesmo tempo que tem que lidar com o inconveniente que é Juliette, Rayna ainda vive um drama familiar. Seu pai, um milionário sem muitos escrúpulos, convence Teddy (Erci Close), seu marido, a participar das eleições para prefeito, algo que ela não quer. E Juliette tenta convencer e seduzir a qualquer custo Deacon (Charles Esten), ex namorado e líder da banda de Rayna, a se juntar à sua turnê.

Ou seja: As coisas não andam boas para Rayna.

Juliette e suas músicas adolescentes

Ainda estou na primeira temporada de Nashville, que atualmente está passando na TV a segunda, mas meu coração já tem um espaço reservado para ela. É uma série musical, mas calma, nada parecido com Glee ou shows da Broadway onde as pessoas veem um passarinho e começam a cantar sobre como ele é lindo. Na série só há canções nos shows, ensaios e acústicos. E músicas bem boas.

Connie Britton e Hayden Panettiere são ótimas antagonistas. Elas trabalham muito bem e o ódio entre elas é palpável. Duas atrizes que encaixaram perfeitamente nos papeis.

Muito ódio nesses corações

A fotografia de Nashville é muito bonita, principalmente nas cenas que mostram a cidade de cima. Nunca tive vontade de conhecer o local, mas agora não ia me importar de dar uma passadinha lá... :)

A Mari Garcia, do Blog da Mari, também é fã de Nashville e me disse que mesmo nos próximos episódios e na temporada nova, a série continua muito boa, na verdade, cada vez melhor. Mas ela já me mandou preparar o coração, porque de vez em quando ele vai ficar partido com tudo o que acontece.

Juliette com a ajuda do estúdio

Um dos pontos que eu acho mais legais de Nashville é que apesar de ser uma história fictícia, ela pode ser perfeitamente real. Com certeza muitos artistas já passaram pelo mesmo que Rayna James.

Recomendo.

Teca Machado


2 comentários:

  1. Oi Teca!
    Eu também não gosto de sertanejo, mas gosto de música country! Já vi a primeira temporada de Nashville e amei!!! A série é muito legal, os atores são ótimos e as músicas são muito boas.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sora!
      É tão diferente country de sertanejo, né?
      As letras realmente dizem alguma coisa, não só tchetchererê, hahaha.
      Ainda estou na metade da primeira, mas já amo!
      Beijos

      Excluir