segunda-feira, 21 de abril de 2014

Normal, pra quê? – Por Kenderson Araújo


Vocês se lembram do Kenderson, do Ambígua Existência (Comentei aqui)? Ele atacou novamente (Como sempre!) com um ótimo texto que eu tinha que compartilhar com vocês, porque eu realmente acredito que a normalidade é monótona e chata. Quero ser tudo, menos normal.

NORMAL, PRA QUÊ? – Por Kenderson Araújo


“A vocês meus amigos, desejo dias anormais. Desejo beijos anormais, abraços anormais, experiências anormais.

A vocês todos, desejo dias de deliciosa e inconcebível estranheza no amor, na carícia e na inspiração. Desejo que o monótono se despeça e de lugar ao estranho. Ao diferente. Aí anormal.

Desejo que a saudade seja anormal ao ponto de substituir a falta da presença pelo desejo e pela procura do outro.

Anseio pela anormalidade do ato, da luta e daquilo que é bom.

Enfim, caros colegas, desejo a todos vocês a benção da anormalidade que faz da vida essa montanha russa de experiências, ora insossa, ora saborosa mas que deus nenhum permita: normal.

Citando Oscar Wilde: ‘A normalidade é uma ilusão imbecil e estéril’.”

Uma vida anormal para vocês!

Teca Machado


2 comentários:

  1. Oi Teca!
    Muito legal o texto! Desejo um feriado ANORMAL pra você!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A todos nós, uma vida anormal!

      Beijo, Sora :D

      Excluir