terça-feira, 18 de outubro de 2016

O Caderninho de Desafios de Dash e Lily – Sobre natal, amizade, amores, desafios e palavras


E se na seção de seus autores preferidos da sua livraria preferida você encontrasse um livro que não deveria estar lá? Um caderninho Moleskine vermelho com alguns desafios. Você simplesmente iria deixar lá ou iria completar o desafio e deixar um novo para que o dono do caderno também entrasse na brincadeira? Esse é o começo de O Caderninho de Desafios de Dash e Lily, de David Levithan e Rachel Cohn, publicado pela editora Galera Record.


Dash e Lily são muito diferentes um do outro. A única coisa em comum é a idade e a cidade onde moram, Nova York. Dash é taciturno, quase hostil, com um senso de humor ácido e sarcástico, maduro para a sua idade e odeia Natal. Já Lily é feliz, otimista, criançona, pouco madura e ama desesperadamente o Natal. Ele está satisfeito porque conseguiu enganar os pais divorciados e vai passar o Natal sozinho, com liberdade para fazer, ou não fazer, o que quiser. Já Lily está arrasada porque os seus pais foram numa viagem de lua-de-mel de 25 anos de casados e o seu Natal será horrível, já que além disso o avô foi atrás da namorada na Flórida e o irmão está com um namorado novo e não quer saber dela.

Para tirar Lily do seu pé, o irmão inventa um caderninho de desafios para que ela consiga arrumar um namorado. Aquele que conseguir resolver os enigmas será o candidato ideal. Mas o que eles não sabiam era que Dash encontraria o Moleskine e ia contra-atacar com um desafio criado por ele. E assim começa uma troca e busca de desafios por toda Nova York com Dash e Lily completamente interessados nessa pessoa misteriosa com quem se correspondem.

O Caderninho de Desafios de Dash e Lily é um young adult fofo, mas ainda assim mais maduro do que o convencional do gênero. Isso acontece porque David Levithan é um dos autores e ele sempre foge do padrão, o que é excelente. É claramente possível ver que Dash é criação dele, com seu senso de humor meio azedo e diferente. Por falar nisso, Dash é de longe o melhor personagem do livro. Ainda que meio hostil à primeira vista, o rapaz é inteligente, leal e tem um coração gigante. Já a Lily é um pouco chata e às vezes tem atitudes de uma menina de no máximo dez anos. Tanto que seu apelido é Escandalily, algo que ela diz com orgulho. Mas ela vai melhorando e mesmo com isso não é uma personagem odiável.

David Levithan e Rachel Cohn
Apesar de parecer que a história será clichê, ela não é. Temos algumas reviravoltas no meio e as coisas não acontecem tanto quanto esperamos. E isso é muito bom. Temos o romance adolescente, mas ele não é meloso e nem estereotipado. É interessante que ele acontece aos poucos, não aquela paixão fulminante quase irreal.

Fora que há uma mistura entre leveza e profundidade. As reflexões, principalmente de Dash, nos fazem pensar. Ele é um garoto que ama as palavras, que sabe do que gosta e do que não gosta, que pensa bem antes de tomar decisões. E a leveza vem dos dois adolescentes descobrindo o amor e a própria cidade de Nova York. 

Narrado em primeira pessoa por ambos os personagens do título em capítulos alternados, apesar do livro ter sido escrito por duas pessoas, não é possível diferenciar quem escreveu o que. David Levithan e Rachel Cohn souberam dar coesão e unidade ao texto, algo difícil de fazer. Acho que isso aconteceu principalmente pelo fato de que essa já é a terceira parceria literária entre os escritores. A primeira foi Nick e Norah: Uma Noite de Amor e Música e a segunda foi Naomi & Ely e a Lista do Não Beijo.

O Caderninho de Desafios de Dash e Lily pode não ser a melhor leitura de todo o universo, mas é aconchegante, divertido, bonitinho e bem escrito. Para quem gosta do gênero é o ideal, já que proporciona ótimas horas de leitura (eu mesma li em dois dias).

Ainda sem data de publicação no Brasil, há a continuação do livro, chamada The Twelve Days of Dash and Lily. Estou curiosa!


Recomendo.

Teca Machado

12 comentários :

  1. eu amei a capa , só de olhar pra ela, já quero. srsr
    pela sua resenha que está ótima, parece ser um livro
    que vale a pena. beijos

    Taynara Mello | Indicar Livros
    www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é uma graça!
      Me ganhou pela capa também, hehe.

      Beijoooos

      Excluir
  2. Olá
    Fiquei curiosa em ler esse livro <3

    Seguindo seu blog ^^


    beijinhos, Debi
    http://www.deborabrazil.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem??
    Que fofo!! Já li resenhas sobre o livro e gostei muito da proposta. Gosto de dar uma pausa nas minhas leituras dramáticas e pegar um água com açúcar de vez em quando rsrs Bjs,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amo um água com açúcar para "limpar o paladar" de vez em quando.
      :D

      Beijooos

      Excluir
  4. Amei sua resenha, gostei muito de conhecer essa história e essa proposta. Vou ler!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. OI BISTEQUINHA

    a premissa de opostos, natal, amorzinho, listinhas e personagem gay já me tomou!
    Essa premissa já me deu o vislumbre de um livro super delicinha de ler. QUERO! Bistequinha leitora sempre trazendo coisa boa <3

    beeeeeeeeijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabia que você ia gostar!
      Hahahahaha
      É muito amorzinho, sei que você vai amar.

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi, Teca!!

    Estava super curiosa por esse livro. E fiquei feliz em saber que não será simplesmente um clichê comum - embora adore clichês da vida... Hahahahaha
    Mas gosto muito de romances assim. Tenho certeza que vou gostar desse também.
    Tentarei ler assim que possível!

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu também adoro.
      Mas de vez em quando é bom um que fuja, né?
      <3

      Beijooos

      Excluir