segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Citações de personagens – Parte 1


Sorteio! Sorteio! Sorteio! Já está sabendo? Vem aqui ver como você pode ganhar um livro suuuuuuper legal!

Amo frases bacanas e quero pendurar vários quadros com elas na parede de casa. Já até comecei a minha coleção!

Quando vi no Awebic um post com 50 citações inspiradoras de personagens que fazem parte da nossa vida, fiquei morrendo de vontade de compartilhar com vocês.

Mas como 50 é muito vou dividir o post em dois, com as primeiras 25 hoje e as outras 25 na segunda-feira que vem.

Segundo o Awebic, a empresa de parquinhos para crianças AAA State of Play fez esses infográficos fantásticos, onde cada personagem traz uma frase marcante sobre a vida.


























Fonte: Awebic

Qual foi sua preferida? Gostei da frase da Branca de Neve e de Alice no País das Maravilhas.

Teca Machado

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Do For Love Project + Sorteio


Toda última quarta-feira do mês acontece em Brasília um evento chamado Cotidiano Criativo, onde palestrantes falam sobre diversos assuntos, como empreendedorismo, criatividade, crescimento pessoal, projetos sociais e muito mais. No dia 26 tive oportunidade de ver a Letícia Mello, do Do For Love Project (Projeto Faça Por Amor), falar sobre suas experiências e foi muito bacana.


O Do For Love Project é onde a Letícia nos conta como aprendeu a se amar, se conhecer e assim conseguir compartilhar com outras pessoas o que a move, o que a inspira. No caso dela, que sempre foi inquieta e gostava de viajar, foi a união de viagens mais trabalho voluntário.

Na palestra ela contou quem é ela e o que a move, além de nos apresentar um relato super interessante dos seus meses na Tailândia, no Camboja e no Vietnã dando aulas de inglês em comunidades carentes. Ela foi sozinha, com baixo orçamento, entrando em contato direto com projetos locais. Viajar por viajar, fazer turismo, tirar selfies em pontos turísticos já não a satisfaziam. O que Letícia queria mesmo era impactar as pessoas enquanto buscava os seus sonhos e ter uma experiência real de como era morar em tais lugares.

Há alguns meses a Letícia lançou um livro – Do For Love é o título - contando tudo o que rolou nas viagens. Ela criou um projeto num site de financiamento coletivo, alcançou a meta e o lançamento foi um sucesso! Depois ela e mais um cinegrafista refizeram os passos da sua viagem original e filmaram um documentário, que está em fase de produção.

Se você ficou interessado no Do For Love Project, conheça mais detalhes aqui no site.

Letícia e eu no evento do Cotidiano Criativo

Conheci o Do For Love por uma amiga que acompanha o projeto (Obrigada, Tici <3). Gostei tanto que entrei em contato com a Letícia. Coincidentemente ela veio para Brasília e assim combinamos de nos encontrar hoje para um entrevista, além de eu ir na palestra. 

Eu ia comprar o livro da Letícia para mim, mas minha amiga Tici me fez uma surpresa e me envio um (Obrigada de novo, Tici), por isso resolvi colocar em prática a “lei do viajante”, algo que Letícia aprendeu durante as suas andanças. 

“Somos todos viajantes e precisamos ajudar uns aos outros. Hoje eu ajudei você e, ao invés de me pagar de volta, use esse dinheiro para ajudar outro viajante no seu caminho”, diz um trecho do seu livro.

Se eu ganhei um livro, vou dar outro em retribuição (e com dedicatória da Letícia). E os escolhidos para isso foram vocês!

Estou falando de sorteio? Estou, sim, senhor!

Regras:

• O período do sorteio será de hoje, 26/10, a 04/11. O resultado será divulgado no dia seguinte.
• Para participar é preciso preencher as entradas obrigatórias do Rafflecopter.
• Para ter mais chances de ganhar, preenche as entradas não obrigatórias.
• É preciso morar em território nacional.
• O livro será enviado pelo Casos, Acasos e Livros num prazo de 15 dias após o resultado do sorteio.


Boa sorte a todos! E não se esqueçam: não importa o que façam, façam por amor.

Teca Machado

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

A garota que está sempre com fome – Projeto Drama Queen #99


Não sei vocês, mas eu estou sempre com fome.

Ainda mais porque tenho hipoglicemia, então se fico sem comer mais do que quatro horas, fico com dor de cabeça, tonta, com sono e depois desmaio. Aí essa é a minha desculpa para sempre comer.


Graças a Deus eu não engordo com facilidade, porque se fosse engordar o tanto que eu como, ia ser uma bolinha. E também faço exercício físico pelo menos três vezes por semana, o que ajuda.

Não como mal, evito vários tipos de comida, mas também não como toda certinha. Eu fico naquele meio do caminho de quem não é totalmente saudável e nem é totalmente porcaria.

De manhã? Fome.
No fim da manhã? Fome.
No almoço? Fome.
Meio da tarde? Fome.
Fim de tarde? Fome.
Noite? Fome.
Antes de dormir? Fome.

É um drama, principalmente porque muitas vezes eu nem sei o que quero comer, só que quero!

E a preguiça de ter que fazer comida? Por isso tirando as refeições maiores tipo almoço e jantar, que aí como de “verdade”, durante o dia como coisas fáceis, tipo frutas, bolo, iogurte, tudo que é já basicamente pronto e não tão calórico (Confesso que de vez em quando a vontade é uma bolacha recheada ou Doritos, mas me contento com um morango ou algo assim).


Não é incomum sair para comer com meu marido e meu prato ser maior do que o dele ou comer bem mais do que as minhas amigas, principalmente quando o assunto é doce, minha completa e total perdição <3. 

Pior ainda é quando você está numa festa e o prato de todo mundo é pequeno e educado, mas não o seu, fora que você ainda repete.

A minha sorte é que eu tenho bem uma cara de pau e não me importo muito com isso, com os olhares por vezes de reprovação, por vezes de inveja.

Que culpa eu tenho se além de fome, sou uma pessoa que tem prazer em comer?

Uma comida gostosa é um momento sublime. Sou do tipo que quase faz uma reverência quando come algo bom. Tem gente que come porque tem que comer, eu como porque amo fazer isso (além de sentir fome absurda, claro).

Esse post surgiu num momento de fome, mas que ainda não era hora de comer, haha.

*** 

O Projeto Drama Queen, que acabou de completar 2 anos, é uma parceria entre os blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista. Toda quinta-feira tem um texto sobre todo tipo de drama da vida, às vezes com exagero, às vezes sem, mas sempre com bom humor.

Teca Machado

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Uma noite com o Conde Drácula – literalmente: Concurso cultural Airbnb


Quer passar um Halloween diferente, assustador de verdade e ainda com tema de literatura?

O Drácula de Bran Stoker pode fazer isso por você, junto com a Airbnb.

Por meio de um concurso cultural (que termina hoje, então CORRE!), você pode se hospedar no dia 31 de outubro no lendário Castelo de Bran, na Romênia, o local que inspirou a criação do Conde Drácula.


Segundo o site TecMundo, o castelo foi listado pelo Airbnb e vai ser oferecido como ponto de hospedagem para dois hóspedes que tiverem a melhor resposta para a pergunta: O que você diria para o Conde Drácula se ficasse frente a frente com ele em seu castelo?

E o prêmio não é só passar a noite no castelo do vampiro mais famoso da literatura (Desculpa, Edward Cullen, não é você). Os hóspedes serão recebidos por Dacre Stoker, sobrinho-bisneto do escritor Bram Stoker. Além disso, estão inclusas no pacote passagens para a Romênia e uma jornada de carruagem pela Transilvânia até suas acomodações. 

Tem muito o que se fazer no castelo! Como passear por todos os 57 aposentos, indo do alto das torres de vigia até as profundezas das catacumbas escuras e apreciar uma vista incomparável das montanhas Cárpatos no terraço à medida que o sol se esconde atrás do horizonte. Segundo a descrição do concurso, “uma vez instalada a noite, é a sua vez de se esconder dentro do castelo. Reza a lenda que hóspedes inesperados costumam fazer visitas no meio da noite”.

Castelo de Bran, Romênia

Através de uma passagem secreta, os vencedores do concurso vão chegar a uma sala com um jantar íntimo à luz de velas preparado como no livro. Seguindo o romance de Bram Stoker, a refeição será constituída de um suculento bife mal passado e frango com páprica. E para completar a experiência, os visitantes dormirão em caixões forrados de veludo localizados na cripta e passarão a noite completamente sozinhos.

Assustador, não?


Stoker vai explicar fatos verdadeiros sobre Vlad, o Empalador, que ficou conhecido como Drácula e porque esse homem cruel virou uma lenda que perdura até hoje, assim como contar segredos obscuros das histórias de vampiros. Segundo ele, Bram Stoker incluiu muitas referências a pessoas e a histórias reais em seu livro e questionou se os vampiros são realmente um mito.

O melhor de tudo é que o site da inscrição é todo engraçadinho. Deem uma olhada nas regras do castelo: 

- Alho ou coisas cheirando a alho não são permitidos 
- Pedimos gentilmente que não traga suas jóias de prata 
- Não cruze os talheres. Na verdade, evite fazer cruzes com o que quer que seja 
- Cuidado com os morcegos na torre do castelo 
- Feche todas as cortinas antes do sol nascer 
- O Conde não é muito fã de selfies em espelhos

Os ganhadores do concurso devem ter mais de 18 anos e as inscrições devem conter entre 50 e 500 caracteres escritos em inglês, francês, alemão, português, espanhol ou italiano e entre 50 e 300 caracteres em chinês, japonês ou coreano.


Se você é corajoso e quer participar, o link para inscrição é esse aqui. Mas não se esqueça, as inscrições vão só até hoje.

Fonte: TecMundo e Airbnb

Eu vou deixar para a próxima. Acho que dormir num caixão sozinha num castelo é demais para mim... #medrosa

Teca Machado

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Michael Bublé no cinema: Tour Stop 148


Você gosta do Michael Bublé?

EU AMO DE TODO O MEU CORAÇÃOZINHO!

Então prepare-se para um post sem nenhuma imparcialidade.

Se você gosta (e mesmo se você não gosta, vai por mim) aproveita que hoje, terça, dia 25, tem uma sessão nos cinemas UCI e alguns Cinemarks do show/documentário Michael Bublé Tour Stop 148.


A exibição do Tour Stop 148 aconteceu no dia 20, quinta-feira, e acontece hoje. Eu fui na de semana passada e saí do cinema com uma conclusão: Que eu vou em todo e qualquer show dele que tiver a oportunidade.

Michael Bublé é conhecido no mundo inteiro, mesmo que no Brasil muita gente ache que não sabe quem ele é. Muitas músicas do cantor estiveram em novelas ao longo dos anos e também em filmes. Então é muito provável que você já tenha escutado pelo menos umas 3 dele, fora que ele regrava grandes sucessos de ícones do passado, como Frank Sinatra.

O Tour Stop 148 é mais do que uma simples gravação de show. O próprio cantor explica numa entrevista antes de começar que ele queria algo diferente, com alma, por isso o foco do documentário não é ele ou seu trabalho, mas o de toda a sua equipe que monta e desmonta palcos, que ajusta iluminação, que dirige o show, que fica longe da família grande parte do ano para poder fazer parte da turnê. Há trechos de um show da turnê To Be Loved (eu fui!) entremeados de falas do pessoal.


Os depoimentos dos membros da equipe falam do sofrimento que é perder aniversários e formaturas, de relacionamentos quebrados por causa da distância, da dificuldade de passar noites acordados, dos ensaios intermináveis, de como é complicado trabalhar incansavelmente mesmo em dias que você não está bem. Só que é visível como todos amam o que fazem, amam o Michael Bublé e não largariam esse emprego por nada desse mundo. Até eu fiquei com vontade de trabalhar com eles!

Eu já sabia disso, mas o Bublé é o cara, ele é incrível, ele é um showman que é apaixonado por aquilo que faz. E eu falo isso não só por causa do Tour Stop 148, mas por causa do que eu vi ao vivo em dois de seus shows no Brasil.


Se Michael Bublé Tour Stop 148 vai passar num cinema da sua cidade, não deixe de assistir!

Recomendo muito.

Teca Machado


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Friends em miniatura


Você conhece esse apartamento da foto, né?


Todo fã de Friends (e talvez até aquele que não seja) reconhece a casa de Monica Geller.

Mas, se você olhar bem nessa foto, vai perceber que parece um pouco diferente, talvez?

Não diferente de disposição de móveis, mas que está tudo um pouco pequeno.


Isso acontece porque a foto é de uma miniatura do apartamento.

Quem fez essa lindeza foi Jaqueline Mello, do interior de São Paulo, e posta todos os detalhes no seu perfil do instagram: @friendsminiature.

Ela trabalhou muito nos detalhes, nos quadros, nas fotos, nos enfeites e até mesmo nos cartões de crédito com a tesoura do episódio em que a Rachel cortou todos eles para acabar com a dependência financeira que tinha com seu pai. Tanto trabalho demorou seis meses para ser feito.




 


Lindo, né?

E ela faz peças por encomendas também. Uma das coisas mais legais é esse quadrinho em miniatura da porta do apartamento para você pendurar em casa.


Eu quero!

Veja mais fotos em @friendsminiature

Teca Machado

sábado, 22 de outubro de 2016

O Feiticeiro de Terramar – Fantasia a frente do seu tempo


Podemos dizer que Ursula K. Le Guin é uma mulher a frente do seu tempo. Em 1968 ela publicou O Feiticeiro de Terramar. Hoje ele é um livro “normal”, uma fantasia com magos, dragões, uma terra inventada, seres mágicos e um protagonista cheinho de defeitos, um tanto rebelde. Mas a autora lançou tendência com todos esses elementos numa época em que as histórias não eram assim. Por isso e muito mais foi uma delícia viajar na leitura de uma nova edição da obra, que recebi em parceria com a Editora Arqueiro.

Livro recebido em parceria com a Editora Arqueiro

Esse é o primeiro livro de uma série de cinco volumes, chamada Ciclo Terramar. Ele nos apresenta a história de Gavião, o maior feiticeiro de todos os tempos. Mas, quando ele era jovem, ainda conhecido como Ged, o grande poder que sempre possuiu era o seu maior dom e também castigo. Órfão de mãe, pobre e sem grandes perspectivas de vida, quando a oportunidade de estudar magia e canalizar suas habilidades surgiu, toda vaidade, orgulho e impaciência que tinha fez com que liberasse no mundo um grande mal vindo das trevas.

Esse ser sem nome, sem corpo, mas maligno, pode colocar toda a terra em perigo. Ged é o único que pode detê-lo, mesmo que isso signifique ir contra si mesmo e seus maiores medos. Essa busca em que ele é ao mesmo tempo caça e caçador faz que com que o jovem mago percorra mares, ilhas e todo o arquipélago de Terramar e mais.

Ursula K. Le Guin
O Feiticeiro de Terramar é narrado em terceira pessoa pelos olhos de Ged. Podemos vislumbrar toda sua trajetória e entender que os percalços da vida irão realmente transformá-lo num homem sábio e extremamente poderoso, mas o caminho para chegar lá não é nada fácil. Gavião passa por situações complicadas que vão moldando o seu caráter. Nesse primeiro livro não chegamos a ver a sua versão adulta de o feiticeiro mais incrível de Terramar, mas já podemos ter uma ideia de como ele será espetacular, que foi aprendendo com os seus próprios (enormes) erros.

São apenas 176 páginas e a leitura é relativamente rápida. Apesar de ter gostado muito, o meu ritmo não foi muito veloz porque o espaçamento entre as linhas é pequeno e é um livro com poucos diálogos. Ursula conduz a história mais com voz de narradora do que com conversas entre os personagens. E diálogos são uma preferência minha como leitora. Mesmo assim, esse estilo de narrativa não prejudicou o quanto eu gostei da história.

É interessante ver como a autora fez a construção de Gavião, de menino cheio de si a um homem com um passado compenetrado em uma missão. Esse toque rebelde de gostar de fugir das regras é claramente visto em muitos personagens que vieram depois dele (eu escutei Harry Potter?). E isso era um tanto inédito na época em que Ursula lançou a primeira edição dessa história.

E o que dizer dessa capa linda? É uma das minhas preferidas da Editora Arqueiro. Ela representou muito bem o que é o livro. E achei muito bacana que junto com a obra a Arqueiro mandou para os parceiros um pôster enorme com o mapa de Terramar. 

Olha o tamanho do mapa de Terramar

O Feiticeiro de Terramar é um livro recomendado para qualquer idade, seja criança, adolescente ou adulto. É aquele tipo de leitura que faz bem para todo mundo.

Dá de entender porque muitos autores como Neil Gaiman criaram seus conceitos de fantasia por causa dos livros de Ursula K. Le Guin, uma vanguardista incrivelmente criativa quando o assunto é magia.

Se eu quero ler os próximos volumes? Com certeza!

Recomendo.

Teca Machado