sábado, 2 de fevereiro de 2013

Ele prometeu a Lua e cumpriu a promessa: Sexo na Lua


Sexo na Lua. O nome é sugestivo, é verdade, mas nada nesse livro tem a ver com a leva de obras entre o pornô e o erótico que têm sido avassaladoras no mercado literário. Esqueça Cinquenta Tons de Cinza, Toda Sua e outros escritos desse tipo. Sexo na Lua, na realidade, fala de um dos roubos mais audaciosos de todos os tempos.


Thad Roberts tinha tudo para ser um fracassado na vida. De uma cidadezinha minúscula do interior do interior dos Estados Unidos, tímido, pertencente de uma humilde família mórmon extremamente rígida, foi expulso de casa ainda adolescente por ter se envolvido com uma garota. Mas como era extremamente inteligente e tinha uma memória quase fotográfica, resolveu mudar de vida e tentar uma vaga de estagiário na NASA, um dos cargos mais desejados por jovens do mundo todo. E conseguiu.

Com o sonho de ser um astronauta e de ser o primeiro homem em Marte, o rapaz se reinventou quando entrou para a instituição e criou uma personalidade alternativa. Foco da ação social, proativo e extrovertido, Thad Roberts nem parecia o garoto que uma vez foi. Conseguiu conquistar todos no campus, dos outros estagiários ao mais alto escalão da NASA. Virou uma personalidade com um grande futuro nas mãos. 

Ben Mezrich, o autor

Até que entrou em cena Rebeca, outra estagiária tão brilhante quanto ele. A paixão avassaladora fez com que Thad Roberts fizesse a ela uma promessa que muitos outros homens já fizeram: Ele prometeu lhe dar a Lua. A diferença dos outros homens do mundo é que ele realmente levou isso ao pé da letra e o fez.

Com um plano mais do que mirabolante, ele queria roubar amostras lunares dos laboratórios da NASA. Elas foram coletadas pelas missões Apollo e são a substância mais cara da face da Terra. Para se ter uma noção, um grama custa no mercado negro (Porque é terminantemente proibida a sua comercialização) U$5 milhões.

O Thad da vida real

O problema era que as amostras estavam mais seguras e trancadas do que os cofres da Suíça. Mas nada que um gênio como Thad Roberts não pudesse dar um jeito.

O mais interessante disso tudo é que a história de Sexo na Lua, por mais maluca e absurda que pareça, é real e aconteceu em 2002. O autor é Ben Mezrich, que gosta de pegar acontecimentos inusitados e transformar em livros. Suas obras mais conhecidas já até viraram filmes: Bilionários Por Acaso e Quebrando a Banca.

Thad Roberts hoje em dia

Mesmo sendo fatos reais, a maneira como Ben Mezrich escreve é típica de narrativas de ficção. Leve, fácil de entender e de linguagem envolvente, Sexo na Lua é contado como um livro de historinhas. Início, meio e fim, entremeado com pensamentos, ações e sonhos dos personagens. Mas, para fazer isso, foram anos de pesquisas, entrevistas e trabalho árduo de coleta de informações e pontos de vistas.

Sexo na Lua é uma leitura gostosa que tem elementos diversos no seu conteúdo. Fala sobre fósseis de dinossauros e pedaços da Lua roubados, amor, sonhos, investigação internacional por meio de e-mails, FBI, astronautas, astronomia e um plano criminoso quase perfeito.

Recomendo.

Teca Machado

Um comentário:

  1. Parece interessante. Não conhecia e agora fiquei com vontade de ler.

    Carissa
    http://artearoundtheworld.blogspot.com

    ResponderExcluir