terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Red Carpet, Oscar 2013 – 85ª edição


Ok, eu sei, o Oscar já passou tem dois dias. Não tive tempo de escrever sobre o Oscar para a segunda-feira de manhã porque estava viajando no final de semana, com pós-graduação, e cheguei em casa no finalzinho da premiação, 1 hora da manhã, tonta de sono, me preparando para trabalhar no outro dia cedo e já tinha outro post pronto e diagramado. Enfim, não deu, mas eu não podia deixar de não falar sobre isso, mesmo que um tantinho atrasada.


Eu amo Oscar. A festa, o red carpet, o glamour, ver os vestidos lindos e os horríveis, ver os atores gatíssimos, as apresentações e o prêmio em si. Ah, tem os filmes também... Hahaha.

Então, em alguns anos fico revoltada com a premiação, mas digo que em 2013, na 85ª edição, fiquei muito satisfeita. Quem queria que ganhasse ganhou e achei tudo bem merecido.


Não vi todos os concorrentes a Melhor Filme (Argo, Django Livre, As Aventuras de Pi, Lincoln, A Hora Mais Escura, Os Miseráveis, O Lado Bom da Vida, Indomável Sonhadora, Amor), mas gostei da escolha da Academia ser Argo, um filme que eu adorei. Tinha certeza que seria Lincoln o premiado (Apesar de não ser o que eu mais gostei), por causa de toda aquela coisa de patriotismo americano. Argo fugiu disso e foi bom saber que os jurados não se deixaram levar só pelo nome Spielberg e história dos EUA. Foi bonito ver como Ben Affleck estava emocionado. Parabéns para ele.

Equipe de Argo no palco

Na categoria Melhor Ator só tinha nomes de peso. Eu estava torcendo por Daniel Day-Lewis, que deu um show de interpretação em Lincoln, e por Hugh Jackman, que também mostrou outro lado seu totalmente versátil em Os Miseráveis. Daniel Day-Lewis levou e foi muito justo. Gostei muito também da atuação do Bradley Cooper em O Lado Bom da Vida, mas não achei que ele fosse ganhar, pois os outros já têm mais peso no cinema. Essa indicação colocou ele no “mercado”, vamos assim dizer. Acredito que se continuar assim, logo leva uma estatueta.

Daniel Day-Lewis, o coroa gato

Jeniffer Lawrence ganhou o Oscar como Melhor Atriz. Acho que ninguém esperava, nem ela mesma. É possível ver a cara de incredulidade dela ao chamarem o seu nome (Fora o tombo que ela levou nas escadas ao subir no palco). Dessa categoria não posso falar muito porque, na verdade, das atrizes que concorriam (Jessica Chastain - A Hora Mais Escura, Naomi Watts - O Impossível, Jennifer Lawrence - O Lado Bom da Vida, Emmanuellle Riva – Amor, Quvenzhané Wallis - Indomável Sonhadora) só vi o filme da Jeniffer Lawrence. Mas eu torcia para ela porque gosto da sua atuação, que em O Lado Bom da Vida está ótima, e do jeito dela meio rebelde, meio inconformista e sem papas na língua. Fora que é linda (Detalhe, assista essa entrevista pós premiação com ela. Foi sensacional).

Jeniffer Lawrence, linda

O que dizer sobre Melhor Ator Coadjuvante? Sou Christoph Waltz, Django Livre, desde sempre. É um senhor ator, excelente, muito profissional e meu coração morre de amores por ele. É só ler o meu texto sobre o filme que você vê que eu sou partidária de Waltz (Nesse momento eu e a Marcinha Lopes estamos pulando com cartazes “Eu amo Christoph Waltz”).

Christoph Waltz. Merecidíssimo.

Não foi nenhuma surpresa Anne Hathaway ganhar de Melhor Atriz Coadjuvante por Os Miseráveis. É como eu disse quando comentei sobre Amor e Outras Drogas. Quem diria que aquela moça novinha, desconhecida, meio descabelada e com um bocão ia se tornar o que ela é hoje? Sim, foi muito merecido. Ela está em sua melhor forma nesse filme. Acho que nesse momento a atriz não está nem um pouco arrependida de ter cortado o cabelo.

Anne Hathaway, de cabelo curtinho e sorrisão no rosto.

Melhor Direção foi para Ang Lee, de As Aventuras de Pi. Acho que foi meio inesperado. Acredito que as pessoas achavam que Steven Spielberg já tinha levado essa. Se um dos dois tivesse ganhado, eu já estava feliz, porque ambos trabalhos foram excelentes.

Ang Lee, de As Aventuras de Pi

Falei sobre as principais categorias, mas não posso deixar passar Adele ter ganhado como Melhor Canção Original com Skyfall, por 007 – Operação Skyfall. Gente, ela é diva, né? E a música é simplesmente maravilhosa. Também torcia por ela.

Adele, o ícone (Não sei se ela é mais sortuda por ter ganhado o Oscar ou por ter ganhado um beijo do Richard Gere quando subiu no palco)

Olha aqui a lista dos vencedores:

Melhor filme

Melhor ator

Melhor atriz

Melhor ator coadjuvante

Melhor atriz coadjuvante

Melhor diretor

Melhor roteiro original

Melhor roteiro adaptado

Melhor filme em língua estrangeira
Amor (Áustria)

Melhor longa animado

Melhor trilha sonora original

Melhor canção original

Melhores efeitos visuais

Melhor maquiagem

Melhor fotografia

Melhor figurino
Anna Karenina

Melhor direção de arte

Melhor documentário
Searching for Sugar Man

Melhor documentário em curta-metragem
Inocente

Melhor montagem

Melhor curta
Curfew

Melhor curta animado
Paperman

Melhor edição de som
A Hora Mais Escura

Melhor mixagem de som

Todos merecidíssimos

Teca Machado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário