segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Filme descoberto por acaso: A Tentação


De vez em quando, enquanto passamos os canais da televisão sem nenhuma pretensão, encontramos filmes bons dos quais nunca ouvimos falar. Isso aconteceu esses dias comigo. Minha mãe achou por acaso um filme chamado A Tentação e começou a assistir. Eu estava na sala fazendo outra coisa, mas a trama e a tensão da história me chamaram a atenção e eu passei a ver também. Do meio para a frente, até o meu pai se juntou a nós (Perguntando o tempo todo “Quem é esse mesmo? Por que isso aconteceu?”).


A Tentação é um filme independente de 2011. O diretor e roteirista é Matthew Chapman, que estava há 13 anos afastado da direção de produções. O elenco, que é excelente, conta com Liv Tyler (O Senhor dos Aneis), Charlie Hunnam (Círculo de Fogo), Terrence Howard (Os Suspeitos – Comentei aqui) e Patrick Wilson (Invocação do Mal).

A esposa, o religioso extremo e o vizinho gay

No início de A Tentação somos apresentados a Gavin Nichols (Hunnam), que se prepara para pular do topo de um edifício, apesar de mostrar hesitação. O Detetive Hollis Lucetti (Howard) é chamado para cuidar do caso, para convencer o homem a mudar de ideia. Em pouco tempo, enquanto os dois conversam, descobre-se que Gavin não é suicida: Está sendo obrigado a isso para salvar a vida de alguém que ama e tem até o meio-dia para saltar.

Gavin se preparando para saltar e o detetive

Por meio de flashbacks muito bem feitos e colocados nos momentos certos, Gavin vai contando a sua história, que mostra um enredo de amor e entrega diferente, com Shana Harris (Tyler) como objeto de adoração, e Joe Harris (Wilson) como um cristão extremista e um tanto psicopata. Ao mesmo tempo, a vida do Detetive Hollis vai sendo destrinchada na conversa entre os dois.

Detetive Hollis e sua esposa

A Tentação mostra que nada é simples ou o que parece ser. O que cada personagem é e tudo pelo que eles passa é resultado dos seus atos do passado e erros. É bem a expressão “Você colhe o que planta”. Fala-se muito de religião também e se os fins justificam os meios nada ortodoxos.

A tensão do filme se dá porque o momento do pulo está cada vez mais próximo e o Detetive Hollis tem que descobrir o que está acontecendo. Fora que a história de Gavin é em muitos momentos cheia de suspense e drama.

Entrega total: Shana e Gavin

Os quatro atores principais do elenco trabalham muito bem, principalmente Patrick Wilson, que dá um show de loucura e desequilíbrio. A mais fraquinha do grupo é Liv Tyler, que, como sempre, tem aquele olhar triste de cachorro com fome e voz sussurrante. Nem parece ser filha de quem é (Steven Tyler, eu te amo! Você é divo!).

Patrick Wilson dando um show

A Tentação não é um filme comum de Hollywood, com correria, explosões e muitos efeitos especiais. Como eu disse lá em cima, ele é independente. Tirando as cenas no alto do edifício, a iluminação é sempre meio escura e com tons frios. Os diálogos são longos (Um pouco demais para o meu gosto) e a história não tem aquele ritmo alucinado de blockbusters. Mas não tem problema, esse é o charme do filme, juntamente com um enredo bem amarrado e que prende a atenção do espectador.

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário