quarta-feira, 22 de julho de 2015

Ironias do Amor – Filme doce e bonitinho


O amor... Ah, o amor... Ô bichinho engraçado e que nos faz meter os pés pelas mãos. E se tem uma coisa que ele sabe ser é irônico. E o filme Ironias do Amor mostra isso muito bem (Apesar de no inglês o título ser My Sassy Girl – Minha Garota Atrevida), um remake de uma produção sul coreana.


Na Coréia do Sul o filme foi um sucesso estrondoso, mas a produção americana de 2010 do diretor Yann Samuell não teve sorte, tanto que nem passou nos cinemas, foi direto para DVD. Ironias do Amor é um romance fofo, com uma pegada mais para o triste, que faz a gente refletir um pouco sobre a vida e sobre os acontecimentos que nos levam para caminhos que não eram os planejados, mas ainda assim são bons.

Charlie (Jesse Bradford) é um cara legal e bonzinho. Totalmente pé no chão e racional, ele é o tipo de pessoa que nunca faz uma loucura ou é impulsivo. Já Jordan (Elisha Cutberth) é uma pirada. De espírito livre, pouco se importando com as convenções sociais, ela é divertida e completamente o oposto do doce Charlie. Por mais que quando se conhecem a ocasião é meio inusitada, é amor à primeira vista. O relacionamento parece totalmente sem sentido, já que eles são completamente diferentes, mas aparentemente dá certo. Bom, por um tempo.



Jordan, em toda a sua maluquice, tem cicatrizes muito profundas e dores do passado que ainda não conseguiu superar, por isso usa a impulsividade como válvula de escape. Charlie, bem menos complexo ou machucado do que a namorada, é um ser introspectivo, mas ainda assim com suas mágoas. Então eles percebem que por mais clichê que pareça, às vezes é preciso dar tempo ao tempo.

Ironias do Amor não é corrido ou explosivo nem uma grande produção Hollywoodiana, mas explora muito bem esse relacionamento problemático. Os diálogos são inteligentes e ágeis, principalmente por causa de Jordan e suas tiradas. Há cenas lindas, que nos fazem suspirar e em muitos momentos dão nó na garganta e vontade de chorar um pouquinho. Acho Elisha Cutberth um pouco má atriz, mas dá para o gasto. Não tenho nada contra ela, mas não me convenceu como Jordan.

Algo muito bem explorado no filme é a fotografia. Nova York está lá toda linda no inverno e constantemente os personagens passeiam por esse cenário que eu tanto amo.




Mas o melhor de Ironias do Amor é a trilha sonora. Sem músicas muito conhecidas ou cantores famosos, a trilha é delicada, doce e combina perfeitamente com a produção. Dá vontade de comprar e escutar, escutar e escutar até enjoar. Pena que não achei para comprar.

Ironias do Amor não é o melhor filme que já vi na vida, mas é uma graça e provavelmente vai tocar o seu coração.

Recomendo.

Teca Machado

5 comentários:

  1. O enredo desse filme é bem clichê né.. me parece com algo que eu já tenha visto algumas vezes. Mas mesmo assim parece fofo e divertido. Adoro filmes assim. Depois vou procurar pra ver! ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mone, ele parece clichê, mas a reviravolta do filme é meio diferente.
      É legalzinho.
      Não é o melhor filme do mundo, mas é legal.

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi Teca,
    Adorei a dica, gosto de filmes cute assim, anotado.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/2015/07/musica-do-coracao-de-kate-ashley.html#comment-form

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raqueeeeeel
      Que bom que gostou da dica.
      Se assistir, me fala se gostou.
      :)

      Beijoooos

      Excluir