quinta-feira, 2 de julho de 2015

Um drama chamado: processo seletivo! - Projeto Drama Queen #37! ♥ ´- Por Carol Daixum




Procurar trabalho já é um drama, participar de um processo seletivo então... Nem se fala! 

Quem inventou essa história de entrevista de emprego e aquelas perguntas do tipo "qual é o seu animal preferido?", sabia bem o significado da palavra "tortura". E o inventor nunca tinha ficado desempregado na vida. E tudo deve ter sido bem fácil pra ele. Porque a pessoa não tem coração e nem piedade. É muita maldade, gente! Dá não! 

Não tem como não ficar nervosa, mesmo que você seja a pessoa mais calma do mundo e tome mil calmantes (brincadeirinha). Eu até tento ficar zen, mas o nervosismo toma conta assim que eu desligo o telefone com a funcionária da tal empresa que entrou em contato comigo. Funciona assim: primeiro fico mega feliz! Afinal, alguém viu meu currículo! Ai depois fico imaginando o meu dia a dia no trabalho, as roupas que eu preciso comprar e ligo para a minha mãe e irmã contando. Depois bate um nervosinho: e se eles mandarem eu escrever uma redação de 30 linhas sobre a questão política do país? Ok, eu sei falar sobre o assunto. Mas a situação muda completamente quando você está sendo observada a cada piscada. É diferente escrever quando o emprego já é seu, né? Ou seja, já penso: nem fui contratada e já vou ser demitida. Ai para finalizar, vem a sua irmã e fala: não vai perder a hora, coloca mil despertadores. Gente, nem consigo dormir, porque eu tenho pesadelo achando que vou perder a hora, que perdi a oportunidade da minha vida e nossa... É muita pressão! 

Segunda parte: a roupa e maquiagem! Como a pessoa marca com você às 8 da manhã e te espera linda e sem nenhuma olheira? Sério, dá não. Ainda mais que na parte da manhã parece que os seus produtinhos de beleza não funcionam e a roupa que ficou ótima no dia anterior, resolveu te deixar estranha e com cara de criança. Quando dá tudo certo, você conseguiu pegar o ônibus, chegar num horário bom, a recepcionista pede para você aguardar um pouquinho. Mas só te recebem duas horas depois. Claro, acontece. Ainda mais com esse trânsito caótico e a correria do dia a dia. Mas, desculpa a sinceridade, tem empresa que abusa, gente! Posso até não ser mais contratada, mas acho que o respeito tem que ser dos dois lados. Tanto do candidato quanto do recrutador. Mas a gente respira fundo e fica lendo livro na salinha de espera. Ou sendo fuzilada pelos seus concorrentes. Que te analisam mais do que a pessoa que vai te entrevistar. 

Aí finalmente te chamam e perguntam: você veio para a vaga de analista de sistema? OIII??? Não, eu sou jornalista e, apesar de respeitar muito esse profissional, não faço a mínima ideia quais são as funções dele. Daí, a pessoa te pergunta: não te informaram a vaga? Ai você responde: não, só falaram que era para parte de comunicação. Então, ela pede mil desculpas e fala que te informaram errado. Mas que se tiver vaga nessa área, seu currículo já está cadastrado na empresa. Ou seja, todo sofrimento a toa. Porém, quando você menos espera te ligam de outra empresa para uma área que você sempre sonhou: redação de uma revista feminina. ♥

O processo é o mesmo. Tudo dá certo, a entrevista ocorre bem, você se sente segura e confiante. Ai falam que vão entrar em contato, porém não te falam o dia exato. Então, a ansiedade toma conta mais ainda. Passou um mês e nada da resposta e nem de responderem seu e-mail que você pergunta sutilmente "e aí?". Nesse meio tempo, pintou outra vaga de emprego. Você passou. Não era bem o que você queria, mas do jeito que as coisas estão difíceis. Ai na sua primeira semana de trabalho, seu celular toca: é a chefe de redação da revista perguntando se você pode começar na segunda.... Ou seja??? Senta e chora!!! ;'D

*** 

Processo seletivo? Quando eu tiver a minha empresa, vou mudar esse esquema. hahaha ;-) Lembrando que sempre tem uma dose de exagero esses textos. Ok, pessoal do RH? Não me importo com atraso, de escrever uma redação (mesmo tensa hahaha) e por aí vai rsrsrs! ♥ As histórias sempre são baseadas na minha vidinha, porém a maioria dos detalhes é "fruto da minha imaginação". 

Vale lembrar que o Projeto Drama Queen é uma parceria entre o Pequena Jornalista e o blog Casos, Acasos e Livros. E se você quiser sugerir um tema dramático ou mandar o seu relato, fique à vontade. Só mandar um e-mail para: projetodramaqueen@gmail.com ;-)!! 

Beijo,

Carol Daixum

4 comentários:

  1. Oi, Teca, tudo bom?

    hahahaha adorei! É bem assim mesmo! Mas sabe a parte que eu menos curto e acho desnecessária? As dinâmicas de grupo! Séééério, aqueles joguinhos saíram de moda, gente! Tá na hora de inventarem outra coisa porque são sempre AS MESMAS dinâmicas! hahahaha
    A parte dos concorrentes também é tensa, quando a gente tem que se apresentar fica todo mundo olhando pra nossa cara meio que sorrindo, meio que pensando "engasga, filha da mãe"...muita pressão! hahahah

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  2. oie Teca tudo bem , adorei o relato é bem assim mesmo !
    beijinhos
    Sorria Princesinha

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog, seguindo como um dos favoritos...
    bjks
    http://gracirocha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Odeio, odeio, muito, com todas as minhas forças, essas entrevistas de emprego.
    Se pra você já é assim, imagina pra mim que tenho estilo alternativo. Na hora da entrevista até me visto como uma pessoa normal, mas o cabelo colorido, as tatuagens e os piercings não mentem... não tem como esconder... rs
    Eu fico super tensa e mal consigo falar alguma coisa. Vai ver é por isso nunca consegui um emprego... haha
    Se não fosse uma seletiva que fiz tipo concurso, só fazia prova e pronto, acho que estaria desempregada até hoje... u.u
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir