terça-feira, 18 de agosto de 2015

Ethan Hunt nunca é demais - Missão Impossível 5: Nação Secreta


Quando escuto aquela musiquinha de Missão Impossível, já começo a quicar na cadeira. Ele pode até ser um esquisitão na vida real, mas Tom Cruise tem o meu coração. Amo praticamente todos os filmes dele, principalmente os de ação. Talvez seja o fato de ele fazer as próprias cenas sem dublê, ou que ele sempre tem uma tirada genial para uma situação absurda, até mesmo pode ser por ele não envelhecer (Meu Deus! Ele tem 53 anos e a mesma cara de quando tinha 30), mas sei que não perco nenhum filme do ator, ainda mais da franquia Missão Impossível. A quinta produção da série, Nação Secreta, mostra que não, cinco filmes da franquia não é demais, pelo contrário, ainda é pouco. Protocolo Fantasma, a produção anterior, foi excelente, mas esse consegue ser ainda melhor.


O bom de Missão Impossível é que os filmes são continuação um do outro, mas o enredo é independente, então você não precisa ver os outros para entender um deles. Tudo o que você precisa saber é: Ethan Hunt (Cruise) é agente da IMF – Impossible Mission Force, uma agência americana de espionagem altamente secreta, e ele é o cara. Mas o cara mesmo, do tipo que consegue sair de todas as situações impossíveis em que se mete. E para completar as missões que recebe, vai para vários locais maravilhosos do mundo e conhece mulheres gatas.


Em Nação Secreta, a CIA acaba com a IMF, pois acredita que mais atrapalha do que ajuda, já que os seus métodos não são muito ortodoxos (Não raro tem um prédio explodido em alguma missão). Quando isso acontece, Hunt está no meio de uma perseguição de uma organização chamada Sindicato, formada por ex-agentes de várias agências que se debandaram por um objetivo próprio. A CIA não acredita na existência do Sindicato, acha que é invenção de Hunt, por isso ele foge e não poupa esforços para provar que estava certo. Enquanto investiga (e foge) dos terroristas, ele ainda precisa escapar da CIA, que o colocou como criminoso internacional. Ou seja, trabalho em dobro para o agente quase super-humano.



Missão Impossível não é como Batman ou 007 em que se pode trocar o ator principal. Missão Impossível é o Tom Cruise. Ele é protagonista, produtor, seu próprio dublê, ajuda no roteiro e escolhe o diretor, que no caso do quinto filme é o excelente Christopher McQuarrie, que já havia trabalhado com ele em Jack Reacher. A nossa sorte é que Tom Cruise afirma categoricamente que só irá se aposentar de filmes de ação quando morrer, então não pretende parar tão cedo. Fora que Nação Secreta já está sendo uma das maiores bilheterias da carreira do ator, então, por que parar, certo?

Nação Secreta talvez seja o filme mais elegante da franquia, prova disso é a sequência que passa na Ópera de Viena. Além de disparar a adrenalina do espectador com a ação e a tensão, as cenas enchem os ouvidos com a peça Turandot tocando ao fundo e os olhos com a beleza do lugar e com a classe de Rebecca Ferguson, atriz sueca que maravilhosamente interpreta Ilsa Faust, uma misteriosa agente dupla do Sindicato que engana o espectador todo tempo.



Além de Cruise e Ferguson, o filme conta com um elenco afiado. Simon Pegg é mais uma vez Benji Dunn, o companheiro nerd de IMF que não quer ajudar só atrás da tela do computador, que estar em campo, quer se arriscar. Algumas das melhores cenas do filme são com ele. E ainda há Jeremy Renner como William Brandt, chefe do IMF, que apesar de não aparecer tanto é de extrema importância para o enredo. Sean Harris, como Solomon Lane, o vilão, surpreende pela quase falta de humanidade. O mais bobinho é Alec Baldwin, diretor da CIA, que tem um papel sem graça e uma interpretação tão sem sal quanto.



Apesar de Tom Cruise fazer todas as suas cenas de ação (Na sequência inicial de Nação Secreta ele está pendurado na lataria de um avião militar a metros e metros de altura e lá pelo meio invade uma unidade subaquática perigosíssima apenas com o nariz tampado e depois faz uma alucinada perseguição moto ciclística) e de quase não usar efeitos especiais, Missão Impossível continua sendo muito, mas muito, mentiroso. E qual o problema nisso? A gente gosta!

Com paisagens lindíssimas, da requintada Ópera de Viena a uma minúscula cidade no meio do Marrocos, Missão Impossível 5: Nação Secreta mostra que Tom Cruise pode e deve fazer continuações da franquia. Há uns dias ele já anunciou o 6º. Podia vir ao Brasil, né?

Recomendo muito.

Teca Machado

14 comentários:

  1. Confesso que não estava nem um pouco interessada em assistir esse filme, quando vi em cartaz só pensei: "Mais um? Sério?" haushau' Mas seu post muda completamente minha visão sobre ele e sobre os outros filmes. Não assisti todos, acredito e não sou tão fã do Tom Cruise, mesmo ele sendo muito bom. Mas seu post me instigou em assistir esse ultimo e prestar atenção nos detalhes que você descreve. Gostei bastante do que li sobre o filme. Quem sabe eu ainda o assista no cinema?! ;}

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeniffer!
      Que bom que fiz você ficar com vontade de assistir.
      Gosto muito dessa série e esse é sem dúvida um dos melhores de todos.
      :)

      Beijooos

      Excluir
    2. Concordo totalmente!

      Abraço,
      Rodrigo

      Excluir
  2. Oi, Teca! Tudo bem? Eu já ia dizer que não gosto quando uma franquia de filmes se estende muito, mas depois de todos os seus argumentos eu me calei! haha Se você diz que "Missão Impossível" continua muito bom, eu acredito em você! Espero conferir esse longa em breve! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha.
      Que bom, Tony!
      Na verdade, MI foi uma série que melhorou com o tempo.
      Tipo vinho.
      :P

      Beijooos

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Eu nunca vi esse filme, mas sempre tenho curiosidade em vê-lo, não sou muito fã desse gênero, mas seu post me fez mudar um pouquinho de ideia!
    Abraços
    olivroemquehabito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aah, eu gosto bastante de ação assim, de filmes mentirosos, hehe.
      :)
      Espero que assista e goste.

      Beijooos

      Excluir
  4. Ouvi falar muito bem desse filme, e detalhe é ele mesmo que faz as cenas perigosas ele não usa dublês :)
    Já o seguindo viu...bjs
    http://cheirodapreta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso de ele fazer as cenas é um dos pontos mais legais do filme.
      :)

      Beijoooos

      Excluir
  5. Com relação a filmes de ação eu sou fã máxima da série Duro de Matar. Cara, os diálogos só melhoram a cada longa e o Bruce Willis é demais. Assisti todos os filmes.

    Nada contra o Tom Cruise, mas eu prefiro o Bruce Willis. Hahaha

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aah, mas Bruce Willis tem como não amar?
      Hahahaha.
      Duro de Matar eu adoro também, assisti todos!

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi, Teca!

    Ah, concordo plenamente com você. Em tudo. Sou apaixonada pelo Tom e por Missão Impossível, mesmo com todas as cenas impossíveis e mentirosas, haha.
    É incrível o fato de ele não utilizar dublê, a maioria dos autores utilizam, mas ele é incrível mesmo.
    Estou ansiosa para assistir e pretendo ir logo ao cinema!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafa!
      Que bom que você também gosta. Toca aqui!
      Se você é fã, vai adorar esse quinto filme, tenho certeza.
      :)

      Beijoooos

      Excluir
  7. Fiquei até com vontade de ver depois da sua resenha.
    Acho que dessa franquia eu não assisti nenhum ainda. Depois vou pegar todos pra ver. ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir