sexta-feira, 7 de agosto de 2015

“Forever Young” – A Incrível História de Adaline


Imortalidade e juventude. Estão aí coisas que o ser humano sempre buscou. Lá nos anos 1980, Freddie Mercury já perguntava em sua música “Who wants to live forever?” (Quem quer viver para sempre?). Esse é um tema muito explorado, em filmes principalmente. Mas talvez a vida seja interessante por ser curta, e é isso que várias histórias nos mostram, uma delas é a produção A Incrível História de Adaline, do diretor Lee Toland Krieger.


O filme, que passou no cinema há alguns meses, é de uma delicadeza que só. Adaline (Serena Van Der Woodsen Blake Lively) nasceu na virada do século XX, no início dos anos 1900. Aos 29 anos, já com uma filha pequena e viúva, Adaline sofreu um acidente automobilístico e morreu. As condições climáticas do lago congelado onde ela capotou o carro e mais um raio que caiu em cima dela fizeram com que seu corpo voltasse a vida, mas parasse de envelhecer.

As décadas passam e o rosto de Adaline continua o mesmo dos anos 1930. Quando as pessoas começam a perceber que não há mudanças físicas, ela passa a viver uma vida nômade e com nomes falsos, a cada década mudando de identidade, sendo que a única pessoa que sabe o que acontece é a sua filha.


A Incrível História de Adaline começa nos dias atuais e toda a vida da personagem é contada por meio de flashbacks. Na virada de 2014 para 2015, ela conhece Ellis (Michiel Huisman), que se apaixona perdidamente por Adaline (Não é difícil isso, né? A Blake Lively é lindíssima). A mulher tenta de todas as formas manter Ellis afastado, porque se tem uma coisa que ela aprendeu nos últimos 100 anos é que romances não dão certo com uma pessoa que não envelhece. Mas o sentimento fala mais alto e ela se permite pela primeira vez em décadas se relacionar com alguém.

Ellis e Adaline
Filha de Adaline nos dias de hoje

O enredo, a história, tudo é muito bonito e bem trabalhado, mas o que mais chama a atenção em A Incrível História de Adaline é a fotografia e o figurino. Os penteados e as roupas que a personagem usa através das décadas são lindas, correspondem à época de uma forma nada exagerada ou caricaturada. Mesmo nos anos 2000, Adaline veste roupas modernas, mas com um quê vintage, com calças de alfaiataria, vestidos de tecido, saias plissadas e outras peças elegantes.  Nada de jeans, tênis ou decotes. Isso mostra que apesar de passar o tempo, ela continua a mesma pessoa, fiel às suas origens mais antigas. E os cenários são lindos, meio outonais e invernais.

Anos 1940
Anos 1950
Anos 1960
Ano 2014/2015

Blake Lively convence como Adaline, uma mulher antes feliz, agora distante, alheia ao mundo e fria em relação às outras pessoas. Apesar disso, o espectador entende as suas motivações e em momento nenhum deixa de gostar da personagem. Ela tem um olhar sofrido. Michiel Huisman é um ótimo milionário apaixonado, um homem que faz de tudo para conquistar a garota dos seus sonhos. É um fofo! E temos ainda Harrison Ford (Já falei para vocês que amo perdidamente o ator? *.*), o pai de Ellis, que teve um papel fundamental na vida de Adaline.



Mesmo que o roteiro seja cheio de previsibilidade e um narrador que explica cientificamente a condição de vida de Adaline, a história é interessante e o espectador mergulha junto com a personagem nos longos anos que ela viveu. São duas horas de filme que passam muito rápido.

Além do romance, o principal de A Incrível História de Adaline é a lição que fica: Envelhecer pode até não ser legal (Quem quer ficar com rugas ou cheio de problemas de saúde?), mas é necessário para se alcançar a vida plena. Quando se vive para sempre, muitas das situações e sentimentos que temos param de fazer sentido, então qual é a graça da vida?

Recomendo.

Teca Machado

17 comentários:

  1. Oi Teca!!!

    Nunca tinha ouvido falar dessa história, mas já estou encantada, (e essa menina é linda, né? caramba!)
    Eu gosto de histórias assim!
    Como o do benjamin button tb... elas fazem a gnt pensar, né!? rsrs

    Bjinhos
    JuJu
    As Besteiras Que Me Contam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jujuuuu, você não conhecia?
      Como assim? :)
      É linda, você vai adorar!

      Beijooos

      Excluir
  2. nossa amei o filme *------*

    www.nataliloure.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Aah eu queria muito assistir esse filme, já tinha até esquecido dele kkk adoreei a resenha, me deixou mais curiosa ainda pra assistir, parece ser bem aquele tipo de filme que nos faz refletir e valorizar mais o que temos

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br
    Tem resenha nova de "Caixa de Pássaros" no blog, vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Exatamente isso, faz refletir.
      :)
      Que bom que gostou da resenha e que te lembrou de assistir, hehe.

      Beijoooos

      Excluir
  4. Nossa eu tô doidaaaaaa pra ver esse filme, faz teeempo! Tem cara de ser muito bom!!

    www.missblackdiamond.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anita, é beeeeeeeeeem bom!
      Eu adorei.
      :)

      Beijoooos

      Excluir
  5. Oi, Teca! Tudo bem?
    Eu vi esse filme quando lançou e fique super perdido. Não entendia nada (eu nem li sinose antes, escolhi na hora de entrar pro cinema). Entretanto, eu adorei a ambientação e a fotografia do filme. Foi isso que me fez querer assistir novamente! E essa Blake Lively é muito linda !!!

    Beijos
    mundoemcartas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda é pouco, né?
      Tadinho, então você demorou a se situar, hahaha.
      Pode ser meio confuso mesmo.

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi, Teca!

    Durante o mês de maio, vi cartazes deste filme em todo lugar e só o pôster bastou para me encantar. Infelizmente, não consegui ir ao cinema, mas ainda estou louca para assistir! Não sabia exatamente como era a história e fiquei muito curiosa para saber mais, especialmente como é a relação dela com a filha.
    Amei a dica!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafa!
      A relação dela com a filha é uma das coisas mais legais do filme.
      É diferente, sabe?
      Espero que assista e goste.

      Beijooos

      Excluir
  7. Gostei da sua resenha, Teca! Fiquei com vontade de assistir esse filme.
    Meu problema atual é falta de tempo. Pelo menos os livros eu devoro nos bus e metrôs da vida... Hahaha

    Mas com certeza entra para minha lista de futuros filmes a ver.

    Bjs

    Caraca, menina! Fiquei doida só com o trailer, nem imagino como deve ser o livro!
    Fiquei com muita vontade de ler também.

    Essa mulher tem uma mente incrível de verdade. E nos deixa com essa sensação de não pode parar de ler porque tem que saber a verdade, né? Hahahaha

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livro pelo menos se você tem 15 minutos livre, dá para ler, né?
      :)
      Se puder, assista.

      Beijooos

      Excluir
  8. Parece um filme bonito. Lembro de que quando tava no cinema ainda fiquei com vontade de ver. Depois com certeza vou procurar pra ver! ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mone, é bem bonito mesmo.
      Diferente, sabe?
      :)

      Beijooos

      Excluir
  9. Este filme é tão elegante ea banda sonora é perfeita. Juventude, (não tão) divino tesouro, você não acha? The Age of Adaline é um filme com um bom acabamento técnico e com grande atenção sendo uma fita elegante. O filme convence o espectador desde o início. Irradia um certo magnetismo para essa aparência muito refinada, a narração (voice-over) que vamos introdução na história e vamos desvendar esses dados científicos necessários. Tudo isso forma um produto para consumo fácil, sem pretensões, mas é divertido e saboroso para ver. Teremos que prestar atenção para ver se a atriz Blake Lively tem mais chance de mostrar algo mais do que um sorriso.

    ResponderExcluir