segunda-feira, 20 de junho de 2016

“Para... para... paradise” – Conhecendo San Blas, no Caribe


Na quinta-feira fui para o Panamá, visitar minha amiga Lala Rebelo, do lalarebelo.com, que é parceira do blog e aparece com posts incríveis e maravilhosos sobre viagens.

Várias e várias vezes ela fala e posta fotos de San Blas, um arquipélago indígena também chamado de Kuna Yala, do lado do Oceano Atlântico perto da Cidade do Panamá. Segundo ela, lá é um dos seus lugares preferidos do mundo (e olha que ela conhece MUITO do mundo). No sábado finalmente fui até esse lugar que pouca gente já ouviu falar e posso dizer: O NEGÓCIO É BONITO PARA CARAMBA!



Da Cidade do Panamá para San Blas atravessamos o país (sorte que ele é pequenininho). Em duas horas saímos da casa da Lala, do lado do Oceano Pacífico, e chegamos ao porto de saída para as ilhas. Não vou mentir. A estrada não é fácil. Quem enjoa no carro, tipo eu, vai sofrer um pouquinho. Para chegar lá é preciso atravessar as montanhas por 40 quilômetros, que são um finalzinho da Cordilheira dos Andes. A pista não chega a ter nem 100 metros sem uma curva acentuada. Não passei mal, mas foi quase.

Só que a recompensa vale muito!

Chegamos a um pequeno porto e pegamos um barquinho a motor. Por meia hora atravessamos um oceano sem ondas em direção ao paraíso. São 360 ilhas que formam o arquipélago, todas de posse indígena e com pouquíssima estrutura, o que é o charme do lugar. Tem ilhas minúsculas e outras enormes, mas o que podemos dizer de todas elas é que são lindas, lindíssimas.

Quase todas ilhas são assim: pequenininhas, rodeadas de mar azul e umas cabaninhas.


Como o governo panamenho não tem jurisdição no arquipélago, já que é uma comarca indígena, os índios é que controlam o local. Você até precisa do passaporte para atravessar a fronteia. Os índios administram de forma muito inteligente e empreendedora, sem deixar que o local vire comercial. Por exemplo, as ilhas não podem ser vendidas para ninguém. Elas são da tribo apenas, por isso não tem muita estrutura, apesar de alguns dos índios montar restaurantes e pequenas pousadas em suas ilhas.

Nós fomos até duas ilhas, Isla Perro Chico e Isla Perro Grande.

Isla Perro Chico

Apesar de não muito grande, é uma das mais cheias de turistas. Tem restaurante e alguns alojamentos, mas o foco é a faixa de areia branca rodeada de mar azul turquesa e o barco afundado perto da margem que é possível explorar com snorkel. Foi uma experiência muito linda ver peixes de perto, coral e aquela água cristalina e de temperatura morna e gostosa. Fora que o mar é tranquilo e raso, ótimo para crianças.




Isla Perro Grande

Ai, meu Deus! Que lugar é esse? Eu que já tinha amado a Perro Chico, fiquei loucamente apaixonada pela Perro Grande. Ela, ainda que maior que a outra, tem apenas uma cabaninha com índias vendendo artesanato e uma extensão enorme de areia branquíssima seguida por um gigante banco de areia coberto por água azul quase resplandecente. É o lugar perfeito para relaxar, tomar sol e se divertir. Ela dá aquela sensação de praia quase deserta, de ilha em que nos filmes as pessoas naufragadas ficam a espera de um resgate. Mas será que eu iria querer ser resgatada dali?





O dia ficou meio fechado nas ilhas perto do continente, já que lá essa época é estação de chuvas, mas onde estávamos ficou aberto e o céu azulzinho. Eu que passei protetor solar algumas vezes por dia fiquei nesse estado:


Agora eu entendo a Lala Rebelo: Realmente San Blas é um dos lugares mais lindos do mundo! Não deixe de visitar. Você pode ir e voltar no mesmo dia, acordando bem cedo, como nós, ou passar a noite numa das pequenas e rústicas pousadas ou num veleiro.

Saiba tudo, TUDO MESMO, sobre San Blas aqui no blog da Lala Rebelo. E aproveite para pegar dicas completíssimas sobre vários lugares do mundo aqui também.


Lala, obrigada pelo passeio, pela recepção e por esses dias inesquecíveis!

Recomendo San Blas de todo o meu coração.

Teca Machado

9 comentários :

  1. Gente, que lugar maravilhoso *-*, a água é tão clarinha! Gostei muito das fotos.Deu muita vontade de ir.Quem sabe um dia, né? Morro de vontade de visitar essas ilhas da América Central, elas parecem ser bem relaxantes <3

    Beijos!

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilhoso é pouco!
      Vai siiiiiiiim, lá é lindo!

      Beijooos

      Excluir
  2. Que legal Teca!! Até fiquei com vontade de conhecer esse lugar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai, Karlaaaa!
      Mesmo que o Adriano não goste de praia, hahaha.

      Beijooos

      Excluir
  3. Aí que inveja!!! Adorei o lugar e as fotos!! Espero que tenha aproveitado, Teca!! As praias e o mar são tão lindos que estou aqui sonhando em conhecer!!! Hahahaha

    Espero que eu fique rica logo para poder viajar para lá! Hahahahahaha

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveitei muito, menos com esse bronzeado BONITO, hahaha.

      Quando ficar, vai lá!

      Beijooos

      Excluir
  4. Oi, Teca!

    Que lugar maravilhoso e mágico. Só de olhar estas águas transparentes, me sinto em paz. Nunca pensei em conhecer o Panamá e os arredores, mas agora é uma meta, haha.
    Deve ter sido uma viagem incrível!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, paz é uma palavra para descrever, Rafa.
      Eu também não queria antes, mas com a Lala sempre falando, fiquei com vontade e amei.

      Beijooos

      Excluir
  5. Ê lugar maravilhoso... meu coração de sereia quase tem um treco com essas fotos... rs
    Espero um dia poder conhecer! ^^
    Adorei!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir