terça-feira, 7 de junho de 2016

X-Men: Apocalipse – Ação, entretenimento e mutantes


Vamos deixar de lado toda a polêmica do cartaz de X-Men: Apocalipse, do diretor Bryan Singer, sobre ser ou não violência contra a mulher e comentar sobre a produção em si. Suspeita para falar do assunto, já que eu sou bem fã da saga e de filmes de super heróis, posso dizer que mesmo não sendo melhor que Dias de Um Futuro Esquecido, o meu preferido entre os seis já feitos, Apocalipse é ótimo, principalmente no quesito entretenimento de uma sexta-feira à noite.


Com um início muito bem produzido, o mais diferente de todos os filmes da franquia, começamos entendendo quem é Apocalipse (Oscar Isaac), tido como um dos vilões mais fortes de X-Men. Numa sequência de tirar o fôlego passada no Egito antigo 3.600 anos antes de Cristo, conhecemos a força do mutante tido como um deus e o que aconteceu para que ele ficasse adormecido durante tanto tempo. Em seguida passamos para 1983. O mundo sabe da existência dos mutantes e até mesmo os aceitam mais ou menos, principalmente depois de tudo o que aconteceu no filme anterior em que Magneto (Michael Fassbender) tocou o terror em Washington e Mística (Jennifer Lawrence) se tornou uma espécie de heroína cheia de girl power.

O professor Xavier (James McAvoy) acredita que sua escola para mutantes pode se transformar numa faculdade mista de mutantes e humanos, que não precisa ensinar técnicas de luta e guerra. A paz é o caminho. Enquanto isso Mística resgata mutantes em situações de perigo e Magneto vive escondido na Polônia com sua família. Só que o ressurgimento de Apocalipse muda os planos de todos os mutantes, principalmente os antigos X-Men e os alunos de Xavier. Decisões precisam ser tomadas, principalmente sobre aceitar ou não Apocalipse como seu deus, como o líder de todo o planeta. 

Apocalipse

Kurt Wagner, o Noturno, com Mística

A discussão sobre religiosidade que gira em torno de Apocalipse podia ser melhor aproveitada, mas não foi o foco do diretor. O vilão passa de acreditar ser um deus superior a simplesmente querer tomar a Terra para si próprio só porque quer. Mas tendo em mente que mesmo sem isso o filme já dura quase 2h30, a reflexão poderia deixar ainda mais extenso.

Bryan Singer acertou em passar os filmes dessa segunda parte da franquia de X-Men nos anos 1970 e 80, o que dá um ar muito mais de HQ do que se fosse na atualidade. O figurino é excelente, assim como a produção de maquiagem, deixando Jennifer Lawrence e Nicholas Hoult quase irreconhecíveis em seus figurinos de Mística e Fera, mesmo que passem pouco tempo em tela na cor azul. Oscar Isaac, na pele de Apocalipse, está sim irreconhecível. Eu via aqueles olhos e pensava “conheço de algum lugar” e estava certa. Ele é o Poe, de Star Wars: O Despertar da Força. Mesmo com quilos de maquiagem, o ator consegue ser expressivo.

Jean Grey, Noturno e Ciclope

Magneto <3

Impossível questionar o bom trabalho dos atores que estão na franquia desde X-Men: Primeira Classe, como James McAvoy, Michael Fassbender, Jeniffer Lawrence e Nicholas Holt. Eles são a alma do filme, principalmente os dois primeiros (Magneto rules!). Mas os novos nomes são um excelente acréscimo nesse terceiro volume, como Sophie Turner (a Sansa de GoT) como Jean Grey, Tye Sheridan, como Scott, o Ciclope, Kodi Smit-McPhee, na pele de Kurt Wagner, o Noturno, Alexandra Shipp, como Tempestade e, é claro, Evan Peters, que já apareceu na produção anterior como Peter, o Mercúrio, que sempre traz algumas das melhores sequências em câmera lenta do cinema. Hugh Jackman, como sempre, faz uma pontinha como Wolverine, em um papel pequeno, mas fundamental para certo momento.

Com cenas de lutas rápidas e muito bem orquestradas e dirigidas e com efeitos especiais excelentes, X-Men: Apocalipse só peca um pouco na batalha final, que ficou sem muito esplendor. A sua resolução foi relativamente fácil e curta, assim como a maioria dos conflitos apresentados no filme.

Moira, Mística e Fera

Mercúrio

Agora é esperar o próximo filme, que será do Wolverine, e, acredita-se, trará como vilão o Senhor Sinistro, principalmente devido a cena pós-créditos desse volume. Mas ainda podemos esperar outras produções de X-Men como um todo. Esse universo ainda tem muito o que ser explorado, mesmo que às vezes fique confuso por causa da cronologia e viagens no tempo.

Recomendo.

Teca Machado

7 comentários :

  1. Olá Teca, tudo bem?

    Já li algumas resenhas sobre o filme, mas a sua, até agora, foi a mais completa! Parabéns!

    Não assisti essa obra ainda, por falta de tempo, e não sei se vou conseguir ver no cinema. Mas estou ansiosíssimo, acho que tem tudo para ser outro bom filme da franquia. E como você citou, o quarteto de atores que dão a alma ao filme são fantásticos. Os últimos filmes com cada um deles são muito bons, e os quatro juntos, aí é pra fechar com chave de ouro!

    Abraço!
    Marcelo Brinker
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse quarteto é sensacional!
      :D
      Você vai gostar!

      Beijooos

      Excluir
  2. Oi, Teca!!

    Ainda não vi esse filme, mas recebi comentários negativos de muitos conhecidos. Hahahaha
    Acho que a história foi meio fraca e não se aprofundou em temas mais interessantes, né?
    Bom, pelo menos é um bom filme para se divertir por algumas horas!

    Bjs!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério?
      Eu adorei. Apesar de que o anterior é melhor.

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi Teca,
    Sou fã dessas histórias inclusive assistia os desenhos quando era criança e estou ansiosa para ver o Apocalipse nas telonas, porém aqui na cidade eles conseguiram deixar apenas o horário das 22hs da noite acredita? E ainda Dublado...rsrs. Não obrigado, vai me restar esperar um pouco para conhecer esse filme. Ah tenho muito medo da Sansa como Jean Grey espero que ela não decepcione muito.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério?
      Poxa, que pena!
      E dublado ninguém merece, hahaha.
      Ela não decepcionou. Eu gostei!

      Beijooos

      Excluir
  4. Ainda não vi esse, mas parece ser bom. Esses filmes de super heróis normalmente tem uns efeitos especiais bem fodas e eu adoro isso! rs
    Foi pra listinha ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir