terça-feira, 30 de agosto de 2016

Águas Rasas – Praia paradisíaca e tubarão do mal


Esqueça o tubarão bonzinho de Procurando Nemo. O tubarão do filme Águas Rasas, do diretor Jaume Collet-Serra, tem uma sede assassina de sangue. Talvez não seja tão surtado quanto o espécime do clássico Tubarão, de Steven Spielberg e está longe dos tubarões mutantes e malucos de filmes como Sharkinado, mas bonzinho? Não, ele não é nada bonzinho.


Águas Rasas é um daqueles filmes de um ator só. No caso, atriz. A protagonista Nancy é Blake Lively (a eternamente querida Serena Van Der Woodsen e esposa do Ryan Reynolds). Ela passa praticamente a produção toda sozinha. Aliás, sozinha não. Temos sempre por perto uma gaivota toda fofa e o tal tubarão ensandecido. Há poucos outros atores, que fazem pontas e servem para dar profundidade à Nancy (sua família) ou para mostrar a fúria do tubarão (as outras vítimas).

Muitas vezes o ator escolhido para atuar sozinho não consegue segurar o filme ou criar empatia com o espectador. Mas Blake Lively faz isso muito bem. Ela não é nenhuma atriz de Oscar, mas seu crescimento e evolução nos últimos anos mostram que ela até pode chegar lá. É só vermos também A Incrível História de Adaline, em que ela também é protagonista. E em Águas Rasas ela soube dar o tom de tristeza, de melancolia, de estar perdida que a personagem precisava, além de mostrar que é uma lutadora, que não desiste mesmo quando as condições são as mais cruéis.



A produção não recebeu muito marketing no Brasil, mas ainda assim está fazendo certo barulho, principalmente nas redes sociais. Águas Rasas tem como foco Nancy, uma estudante de medicina que deixou o curso após a sua mãe perder uma batalha para o câncer. Precisando espairecer, ela saiu de casa e foi até o México procurar uma praia secreta na qual sua mãe descobriu que estava grávida dela. Ao chegar no local paradisíaco e muito deserto, Nancy, que é surfista, pega ondas maravilhosas.

Mas uma delas a leva perto de uma carcaça de baleia, onde um tubarão está se alimentando. Ao ver Nancy por perto, ela vira a nova presa. E ao ser atacada, sem possibilidade de voltar para a costa, a garota fica ilhada num rochedo com o tubarão a cercando. Então, ela precisa lutar contra todas as possibilidades para conseguir voltar a terra firme mesmo machucada, sangrando, sem água ou comida, no frio e com um tubarão maníaco doido para dar mais uma mordidinha nela.



O filme dá muita tensão. Me peguei sem ar e agoniada várias vezes. Algumas cenas são um tantinho exageradas, como quando o tubarão pula da água para comer um surfista, mas de um modo geral é mais real, como durante o primeiro ataque, em que ela sai batendo em corais e no fundo do mar. É realmente apavorante se imaginar na situação de Nancy, que parece piorar a cada minuto. 

A fotografia, como não poderia ser diferente, é maravilhosa. A locação de Águas Rasas é simplesmente divina. A praia é maravilhosa, com mar em vários tons de azul e verde. O começo do filme mostra várias cenas de Nancy curtindo a praia, surfando e tudo o que você pensa é “caramba, eu queria estar aí também!”. Parece muito um comercial da Mormaii. Não se sabe ao certo o local das filmagens, mas alguns sites dizem que parte do filme foi gravado em uma enorme piscina na Austrália e que a parte realmente de praia foi em Lord Howe Island, um local meio deserto nunca antes filmado.


O final podia ter sido um pouquinho mais crível, mas isso não tira a graça do filme, que é muito bom. Águas Rasas te faz ficar com receio de ir para o mar num futuro próximo e te faz pensar em como o oceano é realmente apavorante, mesmo que lindo.

Recomendo.

Teca Machado

4 comentários:

  1. Oi Teca!
    "uma gaivota toda fofa e o tal tubarão ensandecido" puxa...que companhias hahaha
    Olha...o filme não me atrai muito, mas deve valer a pena pelas locações, né? A fotografia parece ser mesmo linda.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogpsot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha
      Super companhias!
      O filme não tinha muito chamado a minha atenção, mas no fim das contas foi muito bom.
      Eu gostei demais!
      As locações são maravilhosas <3

      Beijooos

      Excluir
  2. Essa última foto do post ganhou meu coração, só pra constar... rs
    O filme parece bom, mas já fiquei tensa aqui só de ler o post e ver a foto dela machucada.. será que consigo ver o filme? haha
    Bom, foi pra listinha... vamos ver até onde consigo ir.. rs
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. É legal, mas como todo filme de tubarão, meio absurdo. Tem uma baleia morta, cheia e gordura, e tem apenas UM tubarão por perto (eles conseguem farejar a kilômetros de distância e não perderiam uma refeição fácil dessas)? E esse ÚNICO tubarão iria trocar uma refeição rica em gordura como a baleia, que o manteria por dias, pra perseguir uma humana com pouca gordura e sem muito valor? Mas fora isso, o filme é bacana.

    ResponderExcluir