segunda-feira, 24 de abril de 2017

A Garota do Calendário - Junho


A série A Garota do Calendário, de Audrey Carlan, tem sido o meu desafio anual. Com 12 livros, eu me propus a ler um por mês e terminar a saga em um ano, assim como a protagonista Mia. Só que começou legalzinho, foi decaindo e o volume referente a Maio (comentei aqui) foi um suplício. Estava lá toda desanimada para ler os próximos e pensando “por que eu estou fazendo isso mesmo?” e peguei o de Junho. Realmente, como disse a Carol Garcia, do blog Livros Ontem, Hoje e Sempre, deu uma melhorada. Mas ainda assim está longe de ser super legal. Só que como eu nunca desisto, aqui estou eu e vou até o fim (porque além de não desistir, eu sou bem curiosa também). Hoje vou falar sobre Junho.


Quer ler a resenha dos outros volumes? Clique no mês: Janeiro, Fevereiro, Março, Abril e Maio.

Em A Garota do Calendário, Mia Saunders é uma mulher de Las Vegas, aspirante a atriz, que após o pai ser espancado por causa de dívidas de jogo, se vê com um débito de U$ 1 milhão. O pai entrou em coma e cabe a Mia saldar a quantia para salvar sua família. A única solução que encontra é a de trabalhar como acompanhante de luxo durante um ano. Ela não é prostituta, mas se desejar dormir com o cliente, pode e ganha um bônus por isso. 

Cada volume é referente a um mês de trabalho. E em junho ela vai trabalhar em Washington para Warren Shipley, um senhor riquíssimo que precisa de Mia para que a garota seja sua namorada troféu em festas para se aproximar de outros homens que têm mulheres com um terço da sua idade a tiracolo. Ele quer colocar em prática um projeto filantropo, mas os seus colegas só irão o respeitar quando ele tiver uma mulher do lado. Então esse papel é de Mia.

Warren é um fofo. A relação dele com Mia não tem absolutamente nada de sexual (ainda mais porque ele tem um caso com a sua governanta, que tem a mesma idade). Mas não podemos dizer o mesmo de Aaron, o filho dele. Um dos senadores mais jovens e bonitos dos EUA irá conviver de perto com Mia esse mês.

Junho é o volume mais diferente de A Garota do Calendário até o momento. É o menos sexual de todos (até que enfim, né?) e tem um final surpreendente (apesar de que eu imaginei na metade do enredo o que poderia acontecer). Mia vai levar uns baques da vida e algumas lições serão aprendidas.

A leitura de Junho foi muito mais agradável do que de Maio, que me cansou terrivelmente. A história finalmente começou a andar em outra direção que não fosse: Cliente gostoso e gente boa – Mia ficando com o desejo nas alturas – Mia pegando o cliente gostoso – Mia pegando o cliente gostoso, mas ainda pensando em Wes, o seu amor. Se fossem os doze volumes nesse mesmo ritmo eu ia surtar.

Mais uma vez li A Garota do Calendário de um dia para o outro. Poucas páginas, letra grande, uma história que você não precisa pensar muito e uma linguagem simples. 

Recomendo.

Teca Machado


3 comentários :

  1. Olá, tudo bem? Vejo opiniões bem divididas quanto a essa série, hehe. Pelo menos deu uma melhorada, já é um avanço... Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. essa serie nao é o meu tipo preferido de leitura, mas que bom saber que deu um up hehe

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Oi, Teca!!

    Agora a história vai começar a mudar mesmo e quero só ver depois que você ler setembro/outubro. É meio que inacreditável o que vai acontecer... Hahahahaha

    Como você disse não é a melhor história do mundo, mas eu gosto da Mia. Ela não me irrita como faz com você... Hahahahahaha

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir