sexta-feira, 4 de agosto de 2017

O Martelo de Thor – Livro 2 da série Magnus Chase e os Deuses de Asgard


Rick Riordan é um dos meus autores preferidos da vida. Porque além de escrever histórias fantásticas, criativas, de certa forma ensinando mitologia – grega, romana, egípcia e nórdica – e cheias de bom humor e ação, ele se importa com algo muito importante: representatividade. Apesar das suas séries terem como protagonistas homens – Percy Jackson, Magnus Chase e o deus Apolo – os coadjuvantes são tão importantes quanto, às vezes até mais. E eu não estou falando só de mulheres badass – e são várias, acredite, como Annabeth e Samirah -, mas de gays, de membros de outras culturas, de pessoas de todas as raças, tudo totalmente sem preconceitos. E em O Martelo de Thor, segundo livro da trilogia Magnus Chase e os Deuses de Asgard, ele no apresenta um personagem de gênero fluido.

Em O Martelo de Thor, publicado pela Editora Intrínseca, Magnus, o ex-morador de ruas de Boston, primo de Annabeth, que é a cara do Kurt Cobain e que se descobriu semideus, filho de Frey, da mitologia nórdica, precisa recuperar a arma de Thor. O deus vive perdendo seu martelo, mas dessa vez é mais sério, pois os gigantes sabem que ele está sem seu equipamento mais poderoso e podem iniciar uma guerra que vai dar início ao Ragnarok, o fim do mundo. Mas Loki, o deus da trapaça, faz um acordo com gigantes: se a sua filha Samirah se casar com o rei deles, o martelo será devolvido. Mas Magnus sabe que não é simples assim. Com Loki nunca é. Ele tem planos debaixo das mangas, com certeza. Além disso, ele não quer que sua melhor amiga, que é prometida a um garoto muçulmano que a ama, case-se com aquele gigante nojento!

Rick Riordan
Esse segundo volume é tão bom – se não melhor! – que o primeiro, A Espada do Verão. Rick Riordan continua com o seu humor leve, por vezes ácido, que mescla com momentos de emoção, ternura e amizade. Os amigos são importantíssimos em todos os livros do autor. Magnus é rodeado por pessoas que o amam e que refletem bem a representatividade que eu disse lá em cima. Sua melhor amiga é uma valquíria muçulmana, seus protetores são um anão super fashion, um elfo mudo com um péssimo histórico familiar, uma espada falante (juro!) que adora cantar músicas pop e agora entrou na turma Alex, também filha(o) de Loki e de gênero fluido – às vezes homem, às vezes mulher. Tanto que em nenhum momento o autor deixa claro qual é o sexo de Alex biologicamente falando porque isso, no fim das contas, nem importa. E ele trata o assunto de forma muito natural, ainda que delicada e sensível.

A história de O Martelo de Thor te envolve, te insere naquele universo mítico em que os deuses são altamente centrados em si próprios, não ajudam em nada, muito pelo contrário, só dão trabalho para os heróis, mas que são divertidíssimos quando aparecem em cena. Thor é um bonachão que só pensa em TV, Sif é incrivelmente vaidosa, Heimdall é o rei da selfie e Loki é o único que deve ser levado a sério.

Magnus é um personagem maravilhoso (assim como todos os outros do livro), porque como eu disse na resenha de A Espada do Verão (aqui), a série já começa com ele um pouco mais velho – para vocês terem ideia, a saga do Percy Jackson tem início com ele aos 12 anos e com o passar de 10 livros ele vai crescendo. Então, a obra é menos infantil e mais interessante para um público mais velho (eu mesma tenho 29 e amooo, haha), além de ser de um tema que não temos tanto acesso na escola. Não sei vocês, mas eu estudei mitologia grega, romana e egípcia no colégio, mas não sabia nada da nórdica.



Rick Riordan sabe criar cliffhangers incríveis (eu ainda não perdoei ele pelo final de A Marca de Atena) e em O Martelo de Thor não é diferente. Ele finge que está tudo bem para de repente dizer “ei, galera, talvez o Ragnarok esteja acontecendo mesmo, se virem” e nos dá um crossover muitíssimo esperado.

A série Os Deuses de Asgard talvez seja um dos melhores trabalhos de Rick Riordan e eu leio com todo o prazer do mundo. Você deveria ler também. Além da história cheia de ação, ótimos personagens, bom humor e fantasia, o autor enche seus livros com referências do mundo real que te fazem rir.


Recomendo muito.

Teca Machado


7 comentários:

  1. Olá Teca! A capa desse livro é linda, os livros dele são maravilhosos. Eu já li alguns e adorei, esses ainda não li. Excelente a resenha, abração!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Teca!
    Eu amei esse livro e já quero esse crossover pra ontem!
    Menina, eu acho que essa é a série mais representativa do Riordan. Só aumenta o amor por esse cara.
    Realmente não deixou claro o sexo biólogo de Alex, agora que você comentou. Mas eu sempre tive a impressão que, biologicamente, ela é menina.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado

    ResponderExcluir
  3. Oiiii Teca

    Também gosto muito do Rick Riordan, um gênio escrevendo fantasias. Amo os livros deles e os personagens carismáticos que ele constrói. Ainda não surgiu o tempo e a oportunidade de conferir essa série do Magnus, mas espero futuramente ler pelo menos o primeiro livro.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Teca!
    Rick Riordan é o cara! Mas me sinto envergonhada por não ter concluído a série Percy Jackon hauhauhauhuahau.. É uma das minhas metas esse ano e espero conseguir cumpri-la. Amei a proposta dessa série *_*

    ResponderExcluir
  5. Ainda não conhecia a série e nunca li nada do Rick, mas adoro o Thor (e o Loki principalmente haha) e só de saber que tem bastante representatividade no livro eu já fiquei bem animada, com certeza quero ler!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  6. Ah, Teca, cê tinha perguntado se tem a série SKAM na Netflix e infelizmente não tem :( mas vale super a pena assistir, viu? E dá até pra aprender um pouquinho de norueguês hahaha

    ResponderExcluir
  7. Oi, Teca!!!

    Eu comprei esse livro há séculos e ainda não consegui ler!!! Hahahaha
    Ele deve estar me olhando feio até nesse exato momento. xD
    Está na minha lista, obviamente. Porque, assim como você, adoro o tio Rick. Os livros dele são muito bons - independente da idade que leia, na minha opinião pelo menos.

    Mas estou esvaziando meu monte de leituras obrigatórias e verei se consigo encaixar esse título! <3
    Quero saber tudo desse crossover e dos cliffhangers. Hahahahaha

    Bjs!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir