terça-feira, 29 de setembro de 2015

Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor – Leitura emocional


Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor, de Sarah Butler, que recebi em parceria com a Editora Novo Conceito, me pegou desprevenida. Quando vi o título tinha certeza absoluta que era sobre amor de um casal. Quando o livro chegou de surpresa na minha casa (Obrigada, NC!) e li a sinopse atrás, vi que era sobre o amor entre pai e filha. Mas ao começar a leitura percebi que tudo o que eu pensava sobre o livro, tudo o que eu achei que estava escrito nele, não era bem assim. E digo com toda certeza: foi uma grata surpresa.

Livro cedido pela Editora Novo Conceito

Alice nunca sentiu que era parte de verdade da sua família. Sua mãe morreu quando era pequena, sofreu um acidente de carro quando ia busca-la no balé, por isso a garota acaba sentindo que o falecimento de algum modo foi culpa sua. Seu pai a trata diferente das irmãs. Não sem amor, mas diferente. Uma das irmãs sempre a provocou dizendo que eram todos mais felizes antes de Alice nascer. Por essa falta de sentido de lar, a mulher de 30 anos nunca parou em casa, sempre foi de um lugar ao outro do mundo sem criar raízes. Mas agora seu pai está com câncer terminal e ela precisa voltar para casa em Londres para se despedir e para encontrar fantasmas do seu passado.

Daniel é um senhor de quase sessenta anos que vaga sem rumo pelas ruas da capital da Inglaterra por anos e anos a fio. Ele não tem dinheiro, não tem emprego, não tem casa, não tem nada, só o amor pelas cores, pelas listas e uma busca: a filha que nunca conheceu, mas que espera encontrar em cada esquina pela qual passa. Ao longo da vida perdeu tudo e todos que passaram pelo seu caminho, mas tem fé de que se encontrar a filha será diferente.

A leitura de Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor demora a te prender. Começa devagar, sem grandes explicações de quem é Alice, quem é Daniel, por que os dois narram o livro se aparentemente não têm nenhuma ligação. É tudo muito introspectivo, reflexivo e nostálgico. Os personagens são apresentados até que logo em seguida o leitor junta as informações e diz: “Aaaaah, então é isso...” e tudo o que aconteceu na vida de Alice, e mesmo os infortúnios de Daniel, passa a fazer sentido. 

Sarah Butler
E aí, meu amigo, a leitura se torna bem mais interessante, mesmo que continue com um ritmo devagar. Não é um livro cheio de ação, correria ou mistérios, não tem nada disso, mas a autora te prende, te faz amar esses dois seres humanos cheios de defeitos que passaram por muita coisa ruim na vida, te faz torcer muito por um final feliz, por pelo menos um alívio para seus corações pesados e magoados. Além disso, te faz enxergar Londres de forma mais viva, mesmo que quem não conhece a cidade fiquei meio tonto com tantos nomes de ruas e locais sendo despejados sobre o leitor.

A leitura dessa obra é tão doce, sabe? Tão poética, principalmente quando estamos em capítulos narrados por Daniel, que enxerga o mundo em cores. Para ele cada palavra, cada letra tem um tom e com isso o cinza que é sua vida se torna mais colorido.

Em primeira pessoa com capítulos alternados entre os dois protagonistas, Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor inicia cada capítulo com uma lista de dez pontos sobre algum tema no qual os personagens estejam pensando ou refletindo. E isso deu todo um charme a mais para a leitura e para a diagramação do livro.

Vi algumas pessoas desistindo da leitura ou reclamando do ritmo do livro, então já aviso: Vá de coração aberto para uma obra diferente e mais sentimental. E mesmo com o final um tanto em aberto, achei que foi condizente com tudo o mais que lemos antes, por isso não me decepcionou. Claro que eu preferiria um ponto final ou algo mais concreto, mas a maneira que Sarah Butler encontrou de fechar a história foi leal a tudo o que ela escreveu antes.

Recomendo.

Teca Machado


19 comentários:

  1. A Joi do Estante Diagonal vai me mandar esse livro e estou com as expectativas altas em relação a ele. Logo menos você verá uma resenha! haha
    Por enquanto estou achando ele bem fofo. Todo mundo está gostando e eu acho que deve mesmo ser um livro tocante.

    Beijão Teca! :D
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raissa!
      Estou curiosa para ler a sua resenha.
      Espero que você goste, é um livro bem tocante e bonito.

      Beijooos

      Excluir
  2. Nossa amei o post, o livro parece ser ótimo até me deu vontade de ler com essa sua resenha que ficou maravilhosa mas eu não curto muuito livros de romance

    É a primeira vez que entro no seu blog e gostei muito achei bem único.

    www.descrevendonuvens.com
    www.facebook.com/descrevendonuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jessica! Bem vinda! :D Obrigada.
      Então, ele não é um romance, é mais um livro sobre a vida, sabe?
      Que bom que ficou com vontade de ler.
      É uma obra bem diferente e emocional.

      Beijoooos

      Excluir
  3. Parece mesmo ser um livro bem emocional. Aquele tipo de leitura tranquila e leve, apesar dos acontecidos.. ^^
    Fiquei querendo ler também.
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mone!
      Emocional é a palavra certa nesse caso.
      Tem que ir de coração aberto, é lindo!

      Beijooos

      Excluir
  4. Oi Teca,
    Esse livro estava sendo bastante comentando lá fora quando comprei meu Kobo. E tinha achado a estória interessante, mas acabei nao comprando o ebook pq estava meio salgado.
    Desde aquela imaginei que Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor fosse o tipo de livro com uma pegada mais nostalgica.
    E que capa horrorosa é essa minha gente? Podiam ter deixado a original que teria ficado melhor, ne?
    Abraço
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alê!
      Que pena que não comprou, mas quando puder dê uma oportunidade.
      Exatamente, ele é nostálgico, mas pensando no futuro dos personagens.
      Bom, não achei a capa feia, mas com certeza a original é mais bonita, hehe.

      Beijooos

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Teca-de-Deus!

    Que resenha é essa? Ameeei!
    Eu tinha "meio que me interessado" pelo livro, mas fiquei com o pé atrás pois achei a capa um pouco sem graça.
    Porém, sua resenha me cativou e eu irei comprar este livro, sim! Preciso dele! :D

    Beijos!
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniel!
      Opa! Fico tãããão feliz de ler isso.
      Quando gosto muito da obra e tento passar para a resenha, me sinto realizada quando alguém me fala "gostei e vou ler". :D
      Espero que você goste tanto quanto eu e sinta-se tocado.

      Beijoooos

      Excluir
  7. Oi Querida,
    Então esse livro esta aqui em casa com a mamy para ela ler e resenhar, espero que ela goste tanto quanto você, mas pelo que li da sua resenha acho que ela vai curtir sim.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raquel!
      Espero que ela goste, então.
      E se puder leia também.
      Vocês vão gostar.
      :D

      Beijoooos

      Excluir
  8. Pela sua resenha o livro parece ser muito bom viu, até me interessei em ler.
    bjinhos

    http://cheirodapreta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, que bom que se interessou!
      É o tipo de livro que todo mundo deveria ler.
      *.*

      Beijoooos

      Excluir
  9. Oláá, tudo bem??
    Então, estou lendo vários posts sobre o livro uma mais lindo que o outro e com o seu fiquei com mais vontade ainda de ler, parece ser um livro mega interessante e fascinante!
    Parabééns pelo post. ^^
    Bjoos

    Jovem Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eloísa!
      Siiiiiiiiim, é fascinante, emocionante, interessante.
      Leia quando puder. É uma experiência essa leitura.

      Beijoooos

      Excluir
  10. Oi, Teca!

    Sua resenha foi ótima e sempre leio elogios à esse livro, mas não me chamou muito a atenção porque estou cheia de leituras que precisam de mais paciência por serem mais devagar e necessito de um livro com muita ação no futuro próximo! Hahahahaha

    Mas a obra parece ser linda. Acredito que nosso relacionamento familiar é a base do que nós nos tornaremos como indivíduos e esse é o ponto que mais me chama a atenção nesse livro. :)

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Hahahaha.
      Tem momentos que precisamos de ação, tem momentos que precisamos de romance, tem momentos que precisamos de uma leitura mais devagar.
      É a vida, né?
      Mas quando voltar para o momento ideal para esse livro, não deixe de ler.
      É tããããão diferente e incrível!

      Beijoooos

      Excluir