segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Zac & Mia – E depois da cura, o que sobra?


Por mais que o livro Zac & Mia, de A. J. Betts, da Editora Novo Conceito, parceira do blog, possa parecer à primeira vista mais uma produção sobre adolescentes com câncer que se apaixonam, essa obra vai tão mais além. Na verdade, a temida palavra com “c”, como eles dizem, nem é tão citada assim. E apesar do tema sobre doença, que pode encaixar o livro no gênero sick-lit, Zac & Mia não é do tipo tristeza sem fim “Vamos todos nos afogar em lágrimas”, mas nem por um momento deixa de ser emocionante ou de tocar o seu coração.

Livro cedido pela Editora Novo Conceito

Foi o tipo de leitura vapt-vupt, li em duas sentadas. E olha que o livro nem é fininho, tem quase 300 páginas. Mas é tão apaixonante e tem diálogos tão ágeis e inteligentes, fora aquela sensação urgente de você precisar saber o que vai acontecer aos personagens, que as páginas voam em sua mão e quando você termina sorri para o livro e pensa em como a experiência foi uma lindeza.

Zac & Mia, mais do que falar sobre o tratamento do câncer, se atenta ao depois, algo muitas vezes renegado. As pessoas focam tanto na cura que quando ela chega não sabem o que fazer com o que sobrou de si próprios depois de uma luta física, emocional e espiritual tão intensa. Tanto o paciente quanto a família estão mudados, passaram por experiências que alteraram tanto sua rotina quanto a sua maneira de encarar a vida. Então, como continuar depois que se junta os cacos que quebraram?

Zac é um rapaz de 17 anos que está de quarentena após receber uma nova medula devido ao tratamento contra a leucemia. Ele precisa passar semanas no quarto do hospital, sem contato com os germes do mundo exterior e tem apenas a companhia da sua mãe e dos médicos. Quando uma nova vizinha de quarto chega já quase colocando o hospital abaixo, Zac sabe que a garota, Mia, não tem nada em comum com ele, ainda mais quando ela coloca uma terrível música da Lady Gaga para tocar no som extremamente alto em modo repeat. Quem pensa que é para acabar com a paz do santuário da ala oncológica? A única forma de se comunicar com ela é batendo na fina parede de gesso que os separam e assim, de modo estranho, começa uma amizade entre eles, que passa de toc tocs, para Facebook, telefone e vida real.

A. J. Betts
Depois que ambos saem do hospital, de uma forma ou de outra estão mutilados e não sabem bem como continuar a viver, mesmo com a cura. Zac ainda tenta, volta para a escola, está com a família, finge não se amedrontar com a chance de 50% de recaída, mas Mia, que já era um furacão, se transforma num terremoto de ódio e raiva, principalmente por Zac, que lhe dizia que tudo ia ficar bem, mas não ficou, pelo menos na sua visão distorcida de realidade. Mas, no fim das contas, um precisa do outro e o outro precisa do um, então ambos necessitam encontrar um jeito de seguir em frente, mesmo que as circunstâncias não sejam as melhores.

Romance até tem, mas ele definitivamente é plano de fundo para uma história muito mais profunda. Fora que o amor aqui acontece como na vida real: Devagar e vai se infiltrando de forma discreta, até que quando você percebe não há mais como ficar sem a pessoa.

Zac é um anjo que caiu na Terra para aguentar o mau humor e o mimimi eterno da Mia. Minha nossa, que garota rebelde terrível! Nas primeiras duas partes do livro tudo o que o leitor quer é dar uns tabefes na personagem. Sim, o que aconteceu com você é terrível, mas seja grata com as novas oportunidades que surgiram. Felizmente ela consegue se redimir aos nossos olhos mais para frente. Zac é divertido, ingênuo, mas ácido, um garoto bonzinho, um nota dez (Não sete ou seis e meio, como ele gosta de afirmar). Desde o começo faz o leitor cair de amorzinhos por ele e desesperadamente desejar um final feliz. Quem também ganha nosso coração é Wendy e Bec, mãe e irmã do rapaz. Elas não são protagonistas, mas são de grande importância para a história.

Zac & Mia é narrado em primeira pessoa pelos dois personagens principais. O livro foi dividido em três partes. Na primeira apenas ele é o narrador dos fatos, na do meio ambos dividem em capítulos alternados e na terceira a garota é quem conta a história. A escrita de A. J. Betts é maravilhosa, doce e mordaz, inteligente, rápida, reflexiva e muito poética.

O livro passa na Austrália, numa fazenda que tem alpacas. Então aqui estão uns exemplos dessa fofurice

Você pode até deixar um lencinho do lado do livro para o caso de choro, mas acredito que não vai precisar dele.

Recomendo demais.

Teca Machado

16 comentários:

  1. Olá!

    Já tinha ouvido falar nele, mas não sabia que era tão maravilhoso! Vou deixar anotado aqui e, quando eu ler, com certeza precisarei de lenços, a história promete lágrimas e alguns risos também, acredito.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kamilla, é bem maravilhoso, sim.
      Se eu pudesse, dava 6 estrelas.
      *.*
      Bom, eu não chorei. Mas vai que você chora?
      Dá uns risos, sim, te garanto.

      Beijoooos

      Excluir
  2. Oi querida,
    Li a culpa das estrelas e tipo achei mega fofo esse parecia ser do mesmo genero, mas pelo que li na sua resenha parece ter um diferencial. Realmente acho que a pior coisa que existe no mundo são as doenças, que nos fazem ver a vida de uma forma totalmente diferente. Gostei muito da resenha e espero conseguir ler.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel, esqueça A Culpa é das Estrelas ao ler Zac & Mia.
      É completamente diferente, mas igualmente lindo.
      Tenho certeza que quando você ler, vai adorar.
      :)

      Beijoooos

      Excluir
  3. Oiiii!

    Teca, você é incrivel!
    Essa foi até agora a melhor resenha sobre esse livro que eu já li! Sério. Não tenho nem como descrever como aumentou em 2500% a minha vontade de ler. Já tinha lido diversas resenhas que conta como os dois se completam e precisam um do outro, mas acho que nenhuma foi assim tão tocante. Ok mundo, vou ler!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooi, Ana!
      Hahahahaha. Fico feliz demais que a minha resenha fez você ter mais vontade de ler.
      É que eu gostei tanto que o mundo PRECISA ter essa mesma experiência.
      :)
      Depois me fala o que você achou, tá?

      Beijoooos

      Excluir
  4. Achei perfeito a resenha, e me deixou de fato, curiosa !
    vai acontecer a Bienal aqui em Recife, e já vou anotar p ver se encontro nas livrarias por lá !
    Beijos U&B
    Adriana e Cláudia
    www.unhasebocas.blogspot.com.br
    Instagram @blogunhasebocas
    https://www.facebook.com/pages/Unhasbocas/477832645611169?fref=ts

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, meninas!
      Aaah, procurem mesmo na Bienal de lá.
      Ele é tão lindo!
      *.*

      Beijooos

      Excluir
  5. Já queria ler esse livro, então vem essa sua resenha lindíssima e me deixa simplesmente louca por essa história! Realmente parece ser uma leitura viciante! Já quero para ontem!

    Beijos
    Dani Cruz
    blog-emcomum.blogspot.com.br
    Twitter - @blogemcomum / Insta - @blogemcomum / Fanpage Em Comum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani!
      Obrigada!
      Que bom que gostou da resenha e te deu mais vontade ainda de ler essa lindeza.
      Corre! Você não vai se arrepender.
      :)

      Beijoooos

      Excluir
  6. Vou te bater menina!!! Estou louca para ler esse livro (ele inclusive está na minha lista de próximas leituras) , mas você me deixou mais louca ainda. Quero muito conhecer a história desses dois. Seii que vou me emocionar, devorar esse livro... isso não vai prestar! Adoroo... ansiosa para ler. Ótima resenha.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paloma!
      Hahahaha. Bate nããããããão! :P
      Fura a fila e coloca ele como seu próximo livro.
      Você não vai se arrepender, prometo!
      :D

      Beijoooos

      Excluir
  7. Não tinha ouvido falar nesse livro ainda.
    Parece ser muito bom e bem emocionante mesmo... ^^
    Já quero ler, como sempre! rs
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mone, é muito emocionante mesmo!
      Uma história para aquecer o coração.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  8. Oi, Teca!

    Vou te confessar que vi esse livro e achei que seria apenas mais um caso de adolescentes doentes que se apaixonavam e um deles (ou ambos) morria(m) no fim.
    Mas fico muito feliz de saber que tem uma história pós-cura. Porque muitas pessoas se curam, apesar de nunca mais serem o que eram, elas estão vivas pelo menos.

    E acho que essa é uma questão da vida, né? Porque uma doença como o câncer não afeta apenas à pessoa que ficou doente, mas toda a família e os amigos dela. E o que você faz depois? Como voltar a viver?

    Gosto desse tipo de ideia. Vou dar uma olhada no livro depois. Embora, com a chegada de outubro vá demorar um pouco para eu pegar algo que não seja macabro... Hahahaha

    Beijão!
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caroooooooool
      Sim, essa é a questão: Depois da cura vem o que?
      Adorei que a autora focou nisso, não na doença ou no romance.
      Totalmente diferente de A Culpa é das Estrelas.
      Leia, você vai gostar!

      Beijoooos

      Excluir