sexta-feira, 27 de novembro de 2015

A Desconhecida – Um thriller interessante


Se você gosta de suspenses, quando vê uma capa como de A Desconhecida, de Peter Swanson, que recebi em parceria com a Editora Novo Conceito, já fica interessado. Quando lê que na contracapa que a história tem um quê de Hitchcock, se empolga mais ainda. E a sinopse ajuda a criar ainda mais esse clima de thriller. Minhas expectativas ficaram altas e infelizmente não foram alcançadas. Calma, o livro é bem bom e a história super interessante, mas a forma como foi desenvolvido não foi das melhores.


Em A Desconhecida, o pacato e completamente normal George Foss segue sua vida que beira o entediante. Quando numa sexta-feira, ao tomar uma cerveja com sua amiga/namorada/ficante Irene, se depara com uma antiga colega de faculdade que ele não via há vinte anos, suas vida vira de ponta cabeça de uma maneira inimaginável.

George se vê jogado em um caso de polícia que envolve roubos, corrupção, assassinato, conspiração, extorsão e perseguição. Os eventos não são o que parecem e ele precisa decidir em quem confiar, uma tarefa difícil quando a única pessoa em quem ele pode remotamente acreditar é uma que aprontou muito décadas antes.

A premissa é muito bacana e as reviravoltas inteligentes, principalmente o desfecho, mas teve algo ali que não me prendeu muito. Seria o tipo de livro que eu leria muito rápido, mas levei uma semana. Talvez seja culpa do George, o protagonista um pouco banana, ou culpa da Liana, a Desconhecida do título, que não é cativante e soa um tanto falsa, apesar de instigante.

Peter Swanson
Um ponto positivo do livro é que a história é narrada alternadamente com capítulos no presente e outros no passado, diferenciado por estar em letra itálica. No começo o leitor está totalmente no escuro sobre o que aconteceu entre eles quando se conheceram, sabe apenas que Liana partiu o coração do protagonista. Mas os trechos no passado vão nos dando vislumbres do que aconteceu até que ele consegue formar o quadro completo

George, como eu disse lá em cima, é banana, um palerma. Um cara que acha que é apaixonado e fica cego, faz tudo o que não deveria fazer por uma mulher que mentiu para ele da pior maneira possível. Ele faz favores para ela que chegam a ser inverossímeis. Dava vontade de pegar ele pelo colarinho da camisa e sacudir para ver se entrava juízo. Já Liana, totalmente ambígua e traiçoeira, nos dá raiva também, mas pelo menos não é uma pastel, pelo contrário, é inteligente até demais. É o tipo de personagem ou ame ou odeie, mas você não ficará indiferente à ela.

O final de A Desconhecida (Calma, não vou dar spoiler :P) é bem aberto, o que deixa uma dúvida: Tem continuação ou o autor quer que a gente imagine mesmo o que houve? Eu torço por um volume dois, com certeza, apesar de que pesquisando sobre o assunto não haja nenhum indicação que seja o caso.

A Desconhecida não é o melhor thriller que eu já li, mas é um livro bom.

Recomendo.

Teca Machado


9 comentários:

  1. Teca, essa capa é bem sinistra, né?
    Antes de ler sua resenha achei que fosse um livro de suspense sobrenatural, tipo Stephen King.
    Mas me interessei mesmo assim.
    Xoxo, Lud Arantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que eu também achei, Lud?
      Me surpreendi quando vi que era um suspense tipo thriller psicológico.
      Eu adoro o gênero!

      Beijooos

      Excluir
  2. Ai, Tekinha, finais em aberto cortam o meu coração porque eu gosto de saber o que o autor queria dizer com isso. Morro de curiosidade.
    Sou fã de thrillers psicológicos, então vou procurar esse livro para mim msm que o final me dê raiva, haha.

    Beijoooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto de tudo explicadinho, mesmo que seja um final que eu não goste, haha.
      Procura mesmo, é legal!

      Beijooos

      Excluir
  3. Teca
    eu não gosto de personagens bananas que fazem coisas idiotas quando estão apaixonados (apesar que isso acontece na vida real). Eu ainda não sei como me sinto em relação a Liana, gosto de personagens misteriosos e inteligentes, mas não traiçoeiros. Apesar disso eu daria uma chance ao livro pelo enredo misterioso!

    Bjinhus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha.
      Eu também não sou muito fã dos bananas, não.
      Eu gostei da Liana, é a personagem mais interessante do livro.
      :D

      Beijooos

      Excluir
  4. Oi, Teca!!

    Não fiquei muito entusiasmada com esse livro depois da sua resenha. Aparentemente ele é bom, mas fiquei curiosa com os títulos que me recomendou do Harlan Coben então vou começar por eles. Vamos pegar os melhores primeiros e os bons depois... Hahahahaha

    E personagem banana irrita mesmo! Eu senti isso em Razão e Sensibilidade, de Jane Austen. É um romance bom, mas os personagens não agradaram.

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha.
      Oi, Carol!
      Mas não deixe de ler.
      :D
      Sou suspeita para falar, porque eu adoro o meu carequinha Harlan Coben, hahaha.

      Beijooos

      Excluir
  5. Passei na Leitura essa semana e vi a capa desse livro e fiquei tentando lembrar de ontem eu já o tinha visto antes... agora lembrei, foi dos seus recebidos! rs
    Poxa, pena que o livro não alcançou suas expectativas, mas menos mal que ele ainda não deixa de ser bom.
    Vou dar uma chance pra ele. Só não sei quando... rs
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir