sexta-feira, 13 de novembro de 2015

007 Contra Spectre – É bom, mas nem tanto


É triste, tão triste, quando você vai ao cinema com aquela expectativa nas alturas e sai de lá um pouco decepcionado. Eu sei, a culpa é minha, criar expectativas demais nunca dá certo, mas é que, poxa, era o James Bond, um personagem que está comigo desde que eu era pequena, quando meu pai me colocava para assistir todas as produções antigas do agente secreto britânico mais charmoso do mundo. Só que o novo filme da franquia, 007 Contra Spectre, do diretor Sam Mendes, é mais ou menos, ainda mais se comparado com o anterior, o ótimo 007 Operação Skyfall (Comentei aqui).


Esse deveria ser o melhor de toda Era de filmes com o Daniel Craig, afinal, ele finalmente encontra a Spectre, organização secreta que está por trás de toda dor e sofrimento que o agente passou nos últimos filmes, o elo que conecta todos os vilões anteriores num objetivo comum. Só que esse objetivo ficou meio bobo, com cara de preguiça dos roteiristas, e a motivação de Blofeld (Christoph Waltz), o líder e criador de Spectre, é sem sal e mais voltada para motivos pessoais do que para realmente “dominar o mundo”, algo que todo vilão quer.

Em 007 Contra Spectre, o novo Secretário de Segurança do Reino Unido (Andrew Scott) deseja acabar com o programa de espiões 00 para implantar um novo sistema de segurança no qual vários países serão interligados pelo uso de vigilância tecnológica. E após seguir um pedido de M (Judi Dench), que deixou um vídeo explicando uma missão antes de morrer, James Bond (Craig) é suspenso do trabalho. Mesmo extraoficialmente, ele continua sua perseguição na ânsia de encontrar o cabeça da Spectre, a organização criminosa que está por trás de tudo, desde a morte de Vesper, em Cassino Royale, até a explosão de sua antiga casa em Skyfall. Enquanto isso, seus antigos colegas lutam contra a extinção do programa. De certo modo, a história lembra Missão Impossível 5: Nação Secreta (Comentei aqui).

Cabeça da Spectre


Com a ajuda do novo M (Ralph Fiennes), de Q (Ben Whishaw), Moneypenny (Naomie Harris) e Madeleine (Léa Seydoux), a nova Bond Girl que é filha de um ex-vilão, James Bond precisa descobrir o que é a Spectre, quem faz parte e quais seus planos. Em meio a várias destruições de carro, perseguições, lutas (as melhores acontecem dentro de um helicóptero e dentro de um trem) e conspirações, Bond ainda encontra fantasmas do seu passado.

Só que o que tinha tudo para ser ótimo é apenas morno. Até mesmo o romance do pegador Bond com Madeleine é insosso, sem muita química. Daniel Craig nos entrega o mesmo 007 de sempre, mas mais inconsequente e menos introspectivo. Arrisco dizer que até mais burocrático. As tiradas inteligentes e divertidas, algo que amamos tanto no agente, ficaram quase escassas dessa vez. Dizem que apesar de ter assinado contrato para mais um filme, esse talvez seja o último do ator na pele de Bond, tanto que o desfecho da história deixa isso em aberto. Segundo Craig disse no fim das gravações, ele preferia “cortar os pulsos” do que fazer mais uma continuação.

Com Q, o gênio


Blofeld

Christoph Waltz, que eu amo de paixão, é um vilão sem muita convicção, cinismo ou loucura. Esperava-se que ele fosse o mais incrível de todos os vilões, já que ele é o chefe. Silva, o antagonista de Javier Barden em Skyfall, samba na cara de Blofeld.

A produção de 007 continua impecável, mesmo que a história seja mais bobinha. Os cenários e as locações, os figurinos, as cenas de ação, a trilha sonora, tudo isso é muito bem feito e muito bonito, como os filmes do agente sempre devem ser. Bond continua com seus ternos justos que deixam Craig gostoso charmoso.

Bond Girl da vez

Daniel Craig ainda está bem gato

Quem canta a música tema dessa vez é Sam Smith, com a canção Writing’s on the Wall. É boa, muito boa, mas como não comparar com Adele sempre divina em Skyfall, que ganhou até Oscar?

Enfim, apesar de tudo, 007 Contra Spectre é bom, vale com certeza uma ida ao cinema. Só não é tão bom quantos os anteriores. 

E, sim, Daniel Craig continua lindo de um jeito muito estranho e “torto”.

Recomendo.

Teca Machado


9 comentários :

  1. Olá!

    A beleza está nos olhos de quem vê. O Craig é lindo sim! hahaah é uma beleza mais madura. Não acompanho a série, mas, sua resenha é a primeira que leio e a primeira opinião pendente pro negativo que vejo. Vários amigos meus querem ver, mas, particularmente, eu não veria, não é meu gênero favorito.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oii Tecaa!! *-*
    Poxa, pena que você não curtiu tanto esse..
    Eu adoro filmes nesse estilo, mas eu assisto mais os Missão Impossível do que os do James Bond.
    Mas adoro eles também.
    Aliás, essa atris loira fez um dos últimos filmes de Missão Impossível!

    Beeijoo
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, Teca!

    Ahhh, sério? E eu achava que esse filme era TOP 5!
    Cara, mas é o Daniel Graig, meu xará! Como assim você não gostou?
    Brincadeira.
    Infelizmente s vezes vamos com muita expectativa para pouco filme...

    Beijos!
    Participe do sorteio #SomosTodosIguais no Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  4. Teca... "Tu te tornas eternamente responsável pela expectativa que crias."
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Eu também não gostei!
    Achei o vilão meia boca... E esse Daniel Carig ainda não me convenceu como Bond... Mesmo adorando o cara! Eu o acho tão feio que ele fica bonito, entende? Eu não...
    Rsrsrsr

    Aproveitando, marquei vc em uma TAG lá no meu blog! Ela é bem divertida e adoraria que vc a respondesse caso ainda não o tenha feito.
    Se o fizer, me avise para que eu possa vir ver!

    Beijos!
    Fabi Carvalhais
    pausaparapitacos.blogspot.com.br - @pausaparapitacos

    ResponderExcluir
  5. Não gosto de filmes 007, me julguem kkk

    Beijos,

    http://sweetlikecaramel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Acho que nunca vi nenhum filme dessa franquia, acredita!? haha
    Mas qualquer dia desses vou pegar todos pra assistir ^^
    Também acho super chato ir super animada ver um filme e sair da sala decepcionada.. :/
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Pensa em um filme mediano, é esse aí.
    Nossa amiga que falou do missão impossível tem toda a razão, esse quinto foi o melhor, destruidor mesmo, agora esse 007, o filminho mais ou menos hein!
    Antagonista pouco motivado e honestamente, mal interpretado, o prórpio Craig parecia meio enjoado do papel e a bond girl, bem, depois da Rebecca Ferguson e sua personagem Ilsa eu nem quero comentar mais nada.
    bjs LP
    quatroselos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Teca!!

    Expectativas acabam com a gente, né?! Sei bem como é isso.
    Eu até gosto de 007, mas confesso que não assisti todos os filmes #shameonme

    Mas Skyfall foi muito, muito, muito bom, por isso já achei difícil superar, sabe?!
    Eu sempre acho difícil um livro ou um filme superar o anterior caso ele tenha sido incrível. Aí não crio muitas expectativas também,né? Hahaha

    Mas no geral, parece gostoso de assistir e perder algumas horinhas. Vou assistir quando puder e te conto o que achei.

    Bjs!

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá Teca, tudo bem? Comigo foi exatamente ao contrário, fiz a escolha pelo filme por não ter outros que me interessassem mais em exibição! Meu noivo se interessou e eu acompanhei... Olha, para quem não estava com expectativas o filme me agradou! Não foi aquela emoção e tal... mas foi legal...talvez tenha gostado mais pela companhia! ahahah
    Beijo e ótima Segunda-Feira
    Vandira

    ResponderExcluir