terça-feira, 24 de novembro de 2015

O fim de uma saga: Jogos Vorazes: A Esperança – O Final


Aquele momento difícil em que você vai falar sobre o fim de uma saga que você amou tanto os livros quanto os filmes: Jogos Vorazes.


Jogos Vorazes: A Esperança – O Final deixa qualquer fã dos livros batendo palminhas de parabéns devido à sua fidelidade ao original, e deixa também quem só viu os filmes sem nenhuma dúvida em relação ao enredo, com uma história muito bem amarrada, efeitos especiais excelentes, atuações excepcionais e cenas de luta muitíssimo bem orquestradas. O diretor Francis Lawrence, responsável pelas três últimas produções da franquia, acertou em cheio no tom do filme. Mesmo que seja voltado para adolescentes, o diretor não fugiu de fazer uso da violência descrita nos livros e nem de nos dar uma heroína ambígua, em que ser boazinha ou heroica nunca foi a sua intenção, e sim simplesmente salvar sua família.

O longa começa exatamente onde o anterior acabou, com Katniss (Jennifer Lawrence) se recuperando dos ferimentos em sua garganta causados por Peeta (Josh Hutcherson). O rapaz, uma espécie de namorado, foi “envenenado” na Capital, onde sofreu lavagem cerebral e agora deseja matar Katniss, a voz da revolução. Abalada com essa transformação do garoto doce que sempre a salvou em um monstro cruel, o Tordo deseja mais do que tudo acabar com o Presidente Snow (Donald Sutherland) com as próprias mãos.



Enquanto isso, os Distritos estão finalmente unidos e começando a guerra contra a Capital. Katniss, Gayle (Liam Hemsworth), Finnick (Sam Clafin) e outros soldados partem para a batalha, mas longe das linhas inimigas, apenas para filmar propagandas revolucionárias, por ordem da Presidente Coin (Julianne Moore). Katniss deseja desobedecer o que lhe foi pedido, mas agora a Capital é uma zona de guerra até mesmo pior do que as arenas foram um dia.



Um dos maiores acertos da franquia de Jogos Vorazes foi a escolha de Jennifer Lawrence como a protagonista. Katniss não é espalhafatosa, simpática ou apaixonada pela revolução. Ela sem querer se tornou a faísca que faltava para o povo se rebelar e com isso virou massa de manobra. Lawrence sabe aproveitar isso e interpreta muito mais com olhares e gestos do que com falas. A garota acertou no tom de melancolia e tristeza que a personagem pede.



O resto do elenco também é ótimo, com Josh Hutcherson crescendo a cada filme. Em A Esperança – O Final ele passa uma luta interna psicológica de dar dó. Julianne Moore é sempre um acerto, assim como Donald Sutherland, Woody Harrelson, Sam Clafin, Elizabeth Banks, Jena Malone, Natalie Dormer e Philip Seymour Hoffman, que faleceu no meio das filmagens e precisou ter suas cenas reescritas. Só senti que Liam Hemsworth foi o mais mal aproveitado, ainda mais porque ele não é dos melhores atores do mundo.

Fiquei bem tensa em várias sequências (Mesmo sabendo o que ia acontecer) e triste e emocionada em outras. O filme é daqueles que mexem com as emoções e sentimentos, impossível ficar indiferente à ele.





Com a mistura certa de cenas mais introspectivas com uma ação desenfreadas em outras, Jogos Vorazes: A Esperança – O Final foi um desfecho incrível para uma saga que manteve a qualidade alta em todos os volumes da franquia (Mesmo que A Esperança – Parte 1 seja o mais lento). Katniss, de certo modo, encontrou o seu final e eu amo o fato de que Suzanne Collins, a autora dos livros, tenha dado um desfecho realístico no sentido de que o felizes para sempre não é simples ou de contos de fadas, e sim cheio de marcas, cicatrizes e pesadelos.

Sentirei saudades de todos os anos esperar novembro e a estreia de um novo filme.

Recomendo muito.

Teca Machado

5 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Ainda não fui assistir ao filme porque fiquei meio desanimado com os anteriores. Contudo, tenho lido tantos elogios que estou ficando curioso.
    Nessa semana vou conferir o filme e confirmar se ele é realmente tão bom quanto o livro.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de novembro. Você pode ganhar um livro incrível!

    ResponderExcluir
  2. Todo mundo assistindo A Esperança menos eu! :'(
    Mas vou fazê-lo em breve! Só preciso esperar essa época de provas e trabalhos da faculdade passar e vou assistir com certeza!! *-*
    Todo mundo está dizendo que ficou bem fiel ao livro e que o filme está incrível!

    Beeijo
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  3. Aí, Teca!
    Eu também vou sentir saudades, mas vou comprar os DVDs e assistir sempre que quiser! Hahahahaha

    Concordo plenamente com você sobre quão incrível a história do livro é porque, além da crítica política sutil, a autora mostrou o pós-guerra. O que acontece depois que "vencemos" a luta. O quão difícil é superar e conviver com as cicatrizes que vão te acompanhar até a morte.

    E o filme foi bem fiel ao livro no contexto geral, mas fiz uma lista de cenas que haviam sido mudadas para a Izabela do blog quando ela me disse que era "super fiel" e vou te poupar da lista, até porque entendo que muitas vezes você tem que mudar a história para conseguir encaixá-la em um livro.

    Mas com certeza é uma história que vai deixar saudades e que vou adorar rever quando tiver um tempo sobrando. :)

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Teca! Tudo bem?

    Caramba, meu. Sério, eu realmente PRECISO comprar o box de livros dessa trilogia para ler e poder assistir aos filmes, consequentemente comentando aos quatro cantos sobre as minhas impressões a respeito deles. Já cansei de ver todo mundo dizendo que é maravilhoso, ótimo, de tirar o fôlego e coisas do gênero! Me recuso mesmo a ver os filmes sem ter lido os livros; é uma tradição, entende?

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Ainda não vi o último filme da saga, mas tô doida pra ir ver! ^^
    A ansiedade ta me matando... rs
    Ótima resenha!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir