sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Como se proteger do Zika vírus na sua viagem - Por Lala Rebelo & Dra. Giovana Moraes


Oi gente, aqui é LALA REBELO, do blog de viagens lalarebelo.com. Sempre posto aqui no Casos, Acasos e Livros posts lindos e felizes! rs. Mas hoje é preciso falar de algo MUITO sério, de utilidade pública.

Convidei a Dra. Giovana Moraes, dermatologista, para escrever no meu blog algumas dicas importantes para driblar o Zika vírus. As informações são tão valiosas que decidi compartilhar com vocês aqui também. 

Deixo agora a palavra com ela! ;)


O crescente aumento do número de pessoas infectadas pelo Zika vírus vem alarmando a população, principalmente as grávidas. E essa época de Carnaval é propícia e mais perigosa, pois saímos muito nas ruas, praias, ao ar livre etc.

A principal preocupação das futuras mamães é, sem sombra de dúvidas, os casos de microcefalia e também as outras síndromes neurológicas que estão relacionadas com o vírus como a de Guillain-Barré.

A transmissão do Zika se dá através da picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue. Também há indícios de que fluidos corporais, como o sêmen, o sangue e o próprio leite materno também possam propagar o vírus.

A principal dúvida das mulheres grávidas é O QUE FAZER para se proteger da doença

As grávidas e o restante da população, inclusive as crianças, devem se proteger da mesma forma que já faziam no caso da dengue:
  • Utilizando roupas para proteger a pele (roupas claras ofuscam a presença do mosquito, por brilharem muito, e favorecem a visualização do inseto). Evitando também muito perfume e hidratantes perfumados pois chamam o mosquito.
  • Evitando a picada do inseto, lembrando que o mosquito põe seus ovos em lugares com água parada (daí a importância de se combater os focos do mosquito, limpando a casa e a vizinhança e retirando objetos que possam favorecer o acúmulo de água).
  • Aplicando repelente nas áreas expostas.
A outra dúvida comum é sobre QUAIS os repelentes as grávidas e as crianças podem usar:
  • IR3535
O uso tópico de repelentes a base de Ethyl butylacetylaminopropionate (EBAAP) é tido como seguro para gestantes, sendo indicado, inclusive, para crianças de 6 meses a 2 anos, mediante orientação de um médico. A duração da ação dos repelentes que usam esse princípio ativo, como a loção antimosquito Johnson’s, entretanto, é curta e precisa ser reaplicado a cada 2 horas.

  • DEET
As grávidas podem usar repelentes que contenham o DEET (dietiltoluamida), com concentração entre 10% e 50%. Importante: Já as crianças de 6 meses a 2 anos NÃO podem usá-los. Lembrando que crianças até 6 meses NÃO devem usar nenhum repelente, apenas proteções físicas como roupas e mosqueteiros! As crianças de 2 a 12 anos podem usar o DEET, mas não devem usar repelentes com concentração de DEET superior a 10%.

O tempo de ação destes repelentes é de cerca de 6 horas.

São alguns deles: OFF!, Repelex e Autan.

  • ICARIDINA
Os repelentes que contêm icaridina também estão liberados para gestantes e para criançasacima de 2 anos. Por oferecer o período de ação mais prolongado (10 horas), estes repelentes, como o produto Exposis, estão sendo os mais procurados por adultos e gestantes (está muito difícil encontrar nas farmácias viu gente! Virou artigo de ouro em São Paulo!).


Há também opções de repelentes naturais, como a citronela e a andiroba, que não têm contraindicações, mas não possuem eficácia comprovada.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda os seguintes cuidados ao se fazer uso dos repelentes:
  • Evitar aplicação nas mãos das crianças, por poderem levá-las a boca;
  • Aplicar na pele por cima das roupas, nunca por baixo;
  • O repelente deve ser aplicado 15 minutos após o uso de filtros solares, maquiagem e hidratante, sendo sempre o ultimo;
  • Não aplicar o produto próximo aos olhos, nariz ou boca e genitais;
  • Sempre lavar as mãos após aplicar o produto;
  • Usar o produto no máximo três vezes ao dia;
  • Em caso de suspeita de qualquer reação adversa ou intoxicação, lavar a área exposta e, se necessário, procurar o serviço médico e levar a embalagem do repelente.
Gostaria agora de compartilhar aqui no final uma tabela dos sintomas da dengue, zika e chikungunya, que poderão ajudar muito no diagnóstico das doenças. É claro que ao menor sinal de algum desses sintomas devemos procurar um serviço de saúde, principalmente no caso de grávidas, mães que estão amamentando e crianças.


Espero ter ajudado vocês um pouquinho com essas informações.
E um bom Carnaval e uma boa viagem!! Com muita folia, filtro solar e REPELENTE!!!!



***

Obrigada, Gi, pelas dicas valiosas!

Beijos,
Lala Rebelo

Contato
E-mail - hello@lalarebelo.com
Snapchat - lalarebelo



Lala Rebelo é autora do blog de viagens LALAREBELO.COM. Publicitária, brasileira de Cuiabá, já morou em São Paulo, na França, nos Estados Unidos, na Espanha, na Inglaterra e vive hoje no Panamá (quando não está viajando). Com 27 anos, já esteve em mais de 50 países (e espera que este número não pare de aumentar...). Seu objetivo é te contagiar com essa loucura chamada VIAGEM e te inspirar a pegar um avião ou a estrada para qualquer lugar.


7 comentários:

  1. menina, to indo pro rio agora no carnaval e vou passar camadas e camadas de repelente, pq ZICA já basta a minha! hahahaha

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha.
      Espero que tenha sido tudo bem no Rio!

      Beijooos

      Excluir
  2. Realmente é muito importante se proteger.
    Ainda mais nessa época do ano!!

    Beijos

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se proteger e não deixar o mosquito se reproduzir!

      Beijooos

      Excluir
  3. Muito bom esse post da Lala. Saúde no Brasil já era uma merda, agora está uma calamidade. Temos que agilizar e fazer todo o possível para erradicar essas doenças que são muito graves e podem deixar de existir se a população se mexer e cuidar melhor da área onde vive e de nós mesmos.

    Espero que as coisas melhorem porque esse tipo de propagação é muito triste.

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calamidade é pouco, né?
      E são tão poucas informações sobre as doenças mesmo.
      :(

      Beijooos

      Excluir
  4. É... não tá fácil.. e parece que o povo não tá nem aí.. deixa quintal sujo, água acumulada e ambiente propício a proliferação do mosquito na maior cara de pau.. difícil desse jeito. Se todo mundo não ajudar, a situação só vai piorar.
    Mas as dicas são sempre super válidas. Curti!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir