terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Spotlight – Segredos Revelados: Semana de maratona Oscar 2016


Continuando a semana com a maratona do Oscar 2016, o filme do dia, o quinto dos oitos concorrentes a Melhor Filme, é o drama jornalístico Spotlight – Segredos Revelados, do diretor Tom McCarthy.


Focado no hiper-realismo do cinema, tanto que quase parece um documentário, Spotlight é total e completamente diferente da última produção do diretor, uma comédia dramática do Adam Sandler chamada Trocando os Pés. A partir de agora deveria ser obrigatório que estudantes de jornalismo assistissem esse filme, assim como fazem com Todos Os Homens do Presidente, A Montanha dos Sete Abutres, Boa Noite, Boa Sorte e Bom Dia, Vietnã (Eu mesma assisti todos esses durante a faculdade e mais alguns outros).

Assim como muitos dos longas que estão concorrendo à estatueta esse ano, Spotlight é baseado em fatos reais e conta como foi feita a reportagem de 2002 do jornal Boston Globe que ganhou o Prêmio Pulitzer, o maior do jornalismo. A publicação possuía uma editoria especial chamada Spotlight (Holofote) focada em reportagens densas, profundas e que demoravam meses para serem apuradas. Quando passam a pesquisar sobre os abusos sexuais em crianças que padres fizeram nas últimas décadas acobertados pelo alto escalão do clero, o caso foi se desenrolando a ponto de chegar a quase uma centena de pedófilos e milhares de abusados nessa cidade que é tida como uma das mais fervorosas do catolicismo nos EUA.



De acordo com o que pesquisei, o diretor realmente se preocupou com a veracidade do que aconteceu e o roteiro passou isso para a tela. Tal fato foi bom e foi ruim: Bom porque é um filme real, verdadeiro, sem firulas, sem efeitos especiais. É a história nua e crua, os personagens são meros coadjuvantes. Ruim porque pode acabar sendo um filme lento e um pouco sem carisma para a maioria das pessoas, sem grandes reviravoltas. Até as cores sóbrias demais remetem à vida real, assim como o clima chuvoso e frio de Boston.

Ao contrário da maioria dos filmes, não são os personagens que levam a história. Em Spotlight a história é o ponto central. Os personagens estão ali apenas para ajudar a desenrola-la, o que faz com que o público não se conecte tanto com eles ou saiba mais sobre suas vidas pessoais e personalidades. O elenco é maravilhoso, com Michael Keaton, Mark Ruffalo, Rachel McAdams, Brian d’Arcy James, Liev Schreiber e Stanley Tucci, sendo que o destaque vai para Ruffalo, que até está concorrendo ao Oscar pelo seu repórter meio insano meio surtado. McAdams também foi indicada, o que achei um pouco exagero. Nossa eterna Regina George trabalha bem, mas nada que sobressaia aos olhos do espectador.



Muito focado em mostrar o trabalho incansável dos jornalistas em busca da verdade, Spotlight às vezes se resume à pesquisa, anotações, telefonemas, portas batidas na cara e discussões de pauta entre os repórteres. Mas isso não é ruim, essa é a realidade do jornalismo. Como uma posso dizer que o trabalho não é glamoroso e idealizado, é só corrido e insano, às vezes ingrato, como bem mostra.

Spotlight é um filme cuja história hoje já não aconteceria dessa maneira, pois ela passa em 2001 e 2002, período em que a internet começava a bombar. Em vários momentos falam que ela está matando os jornais e as matérias no estilo que a equipe faz. Nessa era de informação rápida, de fácil acesso e quase descartável, reportagens assim são segundo plano, quase não feitas mais. O que é uma pena, já que muitos escândalos vieram a luz com esse tipo de trabalho.


Spotlight é um filme muito bom, inteligente e merece a indicação ao Oscar. Ao todo ele concorre em seis categorias: Melhor Filme, Diretor, Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante, Roteiro Original e Montagem.

Recomendo.

Filmes concorrentes ao Oscar 2016:

Brooklyn
Mad Max
O Quarto de Jack
Spotlight - Ok

Teca Machado

9 comentários:

  1. Adoreii esse filme, mas acho que ele não leva o premio de melhor filme e também achei exagero a indicação da McAdams!

    Tava com saudade daqui ♥

    Faroeste Manolo
    Página Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thaís!
      Que bom que gostou.
      Foi exagero mesmo, ainda bem que ela não levou.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  2. Tecaaaaa
    Quero muuito assistir esse filme. Só com o trailer fiquei mega empolgada. Finalmente um filme mais recente e com destaque sobre nossa profissão. Que ganhe o oscar em alguma indicação, porque merece!!

    Beeijoo

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raíssaaaa
      E que destaque para a nossa profissão, hein?
      É tenso!
      :D
      Ainda bem que levou de Melhor Filme!

      Beijooos

      Excluir
  3. Oi, Teca! Tudo bem?

    AI.MEU.DEUS. MUITO obrigada por ter resenhado esse filme! Cara, não conhecia o bendito, mas agora já estou salvando a postagem nos favoritos pra anotar e assistir o quanto antes. Ser jornalista é um dos meus sonhos e ver a realidade da profissão assim, nua e crua, vai ser muito interessante!


    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros - docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jeni!
      Que bom que gostou da dica.
      Espero que tenha assistido e gostado do filme.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  4. QUERO ASSISTIR!!!!!!!!!!!! Menina, já falei em algum lugar aqui, mas quero muito ver esse filme.
    Tipo, somos jornalistas e sabemos que não há mais reportagem difícil nas redações porque é muito difícil de conseguir tempo em equipes cada vez mais reduzidas.

    Mas esse tipo de trabalho de pesquisa é muito interessante.
    Spotlight e Quarto de Jack são os que mais desejo assistir no momento, do Oscar, claro. Porque também tem o Deadpool. Hehehehe

    Bjs!

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, é basicamente impossível achar esse tipo de reportagem hoje em dia.
      E é uma pena!!! Porque isso é que faz o jornalismo valer a pena.
      :)

      Beijooos

      Excluir
  5. Mais um que quero assistir. Gosto de filmes assim: reais.
    Nos ajudam a aceitar que a vida é assim mesmo e o que vemos de glamour por aí é mais fingimento mesmo.
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir