sábado, 6 de fevereiro de 2016

O Festim dos Corvos – Quarto livro de As Crônicas de Gelo e Fogo


Quando peguei para ler O Festim dos Corvos, quarto volume da série As Crônicas de Gelo e Fogo (mais conhecida como Game of Thrones), de George R. R. Martin, já esperava que ele fosse o livro mais lento de todos os anteriores. Vi comentários dizendo que foi um divisor de águas, o que explora menos batalhas e mortes e foca mais na conspiração e na amarração da trama para os próximos volumes. Uma espécie de promessa para o que há de vir.



Sim, O Festim dos Corvos é o mais “pesado” da série e demora a desenrolar, possui poucas reviravoltas tremendas, como é típico do autor. Confesso que em alguns momentos chegou perto do maçante, já que vários dos meus personagens preferidos nem deram as caras e muitos dos novos não ganharam meu coração. Mas as últimas cem páginas são do Martin que conhecemos, de tirar o fôlego, de ficar com cara de “Whaaaaaaat?”, de falar “Agora ferrou”.

Um dos pontos cruciais de O Festim dos Corvos é que o leitor a todo momento se pergunta “Cadê o Jon Snow? Cadê a Daenerys? Cadê o Bran? Cadê o Tyrion?”. Passei o livro todo agoniada, querendo saber aonde eles andavam, ao que no final George R. R. Martin explica que o livro 4 e 5 deveriam ser um só. Então, ao invés de fazer um enorme, ele dividiu. Mas não dividiu a história, dividiu os personagens. Contou a história toda de alguns personagens aqui e toda a história de outros no próximo, então os dois volumes acontecem ao mesmo tempo.

Georginho matador de personagens
Se você não leu os livros anteriores, os próximos dois parágrafos podem conter spoilers:

O Festim dos Corvos foca em Porto Real, Bravos, Dorne, Ninho da Águia e Ilhas de Ferro. A Guerra dos Cinco Reis está chegando ao fim. Sobraram apenas Tommem, no Trono de Ferro, e Stannis, que se encontra na Muralha. Cersei se tornou rainha absoluta, como regente do filho. Mas os Greyjoy estão se reorganizando na busca de um novo rei para as Ilhas de Ferro.

Enquanto isso, em Dorne, filhas e sobrinhas do príncipe Oberyn buscam vingança e desejam coroar a princesa Myrcela como rainha. Já Mindinho trama para ter o poder do Ninho da Águia com sua “filha” bastarda Alayne, na verdade Sansa. Arya está em Bravos atrás de respostas, Sam segue ordens de Jon Snow indo para a Cidadela e Jamie pediu que Brienne fosse em busca de Sansa, como cumprimento da promessa feita à Catelyn.

Pode-se dizer que as estrelas desse livro são as mulheres. Em todas as tramas paralelas elas se destacam e são parte importantíssima. Mas é Cersei a diva suprema, a mais interessante, a louca. Com o maior número de capítulos, pela primeira vez temos acesso à rainha, que antes era vista pelo leitor apenas pelos olhos dos outros personagens. E digo: Ela é ainda mais vaca do que pensávamos. Mas falo isso como um elogio. Ela é aquela que amamos odiar e odiamos amar, uma das personagens mais bem construídas. Ela está tão embebida pelo poder e pela inveja do irmão e dos outros homens por não ter nascido do sexo masculino que sua obsessão a cega e não percebe que está jogando Westeros à ruínas. Rapaz, e como ela está arruinando tudo! Jamie até tenta abrir os olhos da irmã, mas a relação entre os dois esfriou. A mudança de Jamie é a mais perceptível. Ele está se tornando um homem mais correto, que não faz tudo “por amor”, como ele disse logo no primeiro livro.


Sansa e Arya têm capítulos fracos. Temos acesso a elas, mas nada realmente importante ou interessante acontece. Acredito que o autor estava preparando terreno para os próximos volumes. Sam faz uma viagem da Muralha ao extremo sul cheia de percalços, mas também sem uma reviravolta surpreendente. A trama de Dorne é bacana e promete bons momentos futuros. Brienne passa por maus bocados, como era de se esperar em uma busca praticamente impossível por todos os sete reinos. A mais chata foi a história das Ilhas de Ferro, que foram enroladas demais, mas que deixaram um gancho tremendo para Daenerys. 

O título O Festim dos Corvos é uma analogia muito boa, tanto porque depois da guerra, com tantos mortos, os corvos se refestelam com os corpos deixados para trás, quanto por fazer uma alusão ao Olho de Corvo, tio de Theon que é pretendente à coroa das Ilhas de Ferro.

Mesmo sendo o mais denso da série, esse quarto livro é extremamente bom e envolvente, parte primordial do desenrolar da história daqui para frente.

Mal posso esperar pelo quinto!

Recomendo muito.

Teca Machado 

5 comentários :

  1. Oi, Teca! Tudo legal?

    Amiga, eu li apenas os dois primeiros livros da saga, e estou com o terceiro em minha estante. Minha meta é ler este terceiro livro este ano e já engatar no quarto livro na sequência, pois George Martin é o cara!
    Arrasou na resenha!

    Beijos!
    Participe do sorteio "Carnaval com livros" no Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniel!
      Ele é o cara meeeeeesmo!
      O terceiro é o mais comprido, mas até agora foi o mais legal na minha opinião.
      Prepare seu coração, gente demais morre, hahaha.

      Beijoooos

      Excluir
  2. Teca, não li a parte dos spoilers porque vou ser sincera e comecei apenas no fim de 2015 o primeiro livro. Como tenho as leituras obrigatórias do blog, estou demorando demais para conseguir avançar na história.
    Mas antes tarde do que nunca, né?

    Espero conseguir um tempo livre para ler o livro. Como já foi resenhado no blog, tenho que lê-lo nas horas extras mesmo. Hahahahahaha
    Aí é super difícil. Mas está na minha cabeceira!

    Uma amiga minha me falou que o quarto é o pior livro de todos e que é pura enrolação. Com sua resenha compreendo que na verdade é uma trama mais política que de ação e talvez por isso ela não tenha gostado.

    Bom, chegarei aí. Algum dia! Hahahahaha

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carol!
    Ele já é mais devagar mesmo, aí você alternando com as leituras do blog vai ser mais difícil. Mas você chega lá, ânimo! Hehehe.
    Ele é realmente menos ação de todos até agora e com poucos dos personagens que todo mundo ama, por isso talvez seja o menos amado. Mas é bom mesmo assim.

    Beijoooos

    ResponderExcluir
  4. Nossa, nossa.. tô com os livros todos em casa pra ler e doida pra começar, mas tenho tantos livros pra ler ainda... rs
    Em breve vou ver se começo essa série.
    Ótima resenha, como sempre!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir